São Paulo recupera todos seus jogadores, treina e viajará para a Argentina

Nesta tarde, o São Paulo fez seu último treino antes de viajar para a Argentina e enfrentar o Colón pela Copa Sul-Americana. Todos os jogadores do elenco estavam presente no treino.


O técnico Diego Aguirre abriu apenas 15 minutos da atividade para a imprensa e não deu pistas do time que vai a campo diante dos argentinos. Minutos antes, porém, ele confirmou que Diego Souza não será relacionado devido ao desgaste físico.

Durante o período que puderam ser observados, os jogadores fizerm um aquecimento mediado pelo preparador físico Fernando Piñatares e logo depois um aquecimento com bola.

O treino foi acompanhado de perto por Lugano e Ricardo Rocha. O coordenador de futebol, inclusive, aproveitou para bater um papo descontraído com Nenê, Reinaldo, Diego Souza e Everton.


Após o treino, a delegação viajará para Buenos Aires, onde continua a preparação para encarar o Colón, na quinta-feira.

Anúncios

Decidindo fora de seus domínios, São Paulo não consegue virada desde 2015

O São Paulo enfrentará o Colón, da Argentina, na quinta-feira, na tentativa de se manter vivo na disputa da Copa Sul-Americana, única competição além da Série A que o Tricolor ainda disputa em 2018. Apesar da boa fase, o São Paulo não tem um bom histórico recente quando precisa reverter um resultado adverso em mata-mata longe do Morumbi.

A última vez que o Tricolor perdeu o primeiro jogo em casa e depois conseguiu a classificação para a próxima fase de um torneio eliminatório foi em 2015. Na ocasião, o time são-paulino perdeu para o Ceará por 2 a 1 na Copa do Brasil, porém, no Cestelão, conseguiu vencer por 3 a 0 e avançou para as quartas de fina da competição.

Neste período, foram cinco confrontos em que o primeiro duelo em casa foi uma derrota e o resultado final foi uma eliminação. Desses jogos, apenas um foi em uma competição internacional. Em 2016, contra o Atlético Nacional pela semifinal da Copa Libertadores. Naquele ano, o Tricolor perdeu por 2 a 0 em casa e viu os colombianos saírem com o resultado favorável por 2 a 1 na Colômbia.

Mas sob comando de Aguirre, o clube do Morumbi já conseguiu reverter um resultado adverso. Na estreia do treinador, o São Paulo perdeu por 1 a 0 nas quartas de final do Campeonato Paulista, mas conseguiu venceu o segundo jogo por 2 a 0. O outro duelo eliminatório em que saiu perdendo com Aguirre foi contra o Atlético-PR. O Furacão conseguiu o 2 a 1 na Arena da Baixada e depois segurou o empate em 2 a 2 no Morumbi.

O São Paulo visita o Colón na quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Brigadier General Estanislao López. Para avançar de fase , os comandados de Diego Aguirre precisam de um triunfo por 2 a 0 para avançar para as oitavas de final. Uma vitória simples leva o confronto para a decisão de pênaltis. Qualquer triunfo por um gol de diferença a partir de 2 a 1 classifica o Tricolor pelo critério de gols fora de casa. Já o Colón, precisa apenas de um empate para avançar.

Diego Souza está fora do duelo contra o Colón

Em entrevista coletiva, técnico Diego Aguirre anunciou a ausência de Diego Souza. O jogador não enfrentará o Colón, nesta quinta-feira, pela segunda fase da Copa Sul-Americana. O duelo terá início às 21h45 (de Brasília), em Santa Fe, na Argentina.


“O Diego Souza não tem problema físico, mas pela sequência de jogos pode ter alguma dificuldade. É um jogador importantíssimo. Preferimos que trabalhe aqui (em São Paulo) para o jogo de domingo (contra a Chapecoense). É o único caso que entendemos que era melhor. Os demais vão jogar”, afirmou Diego Aguirre.

Além do desgaste físico, a confusão com Ortíz no jogo de ida é outro fator para que Aguirre não utilize o camisa 9. “Tem muita relação (a briga), talvez. Pode ser uma dentre outras”, comentou o treinador.

Aguirre pode fazer algumas mudanças, mas promete “força máxima” contra o Colón

Após vencer o Sport pelo Campeonato Brasileiro, no domingo, o São Paulo volta suas atenções para a Copa Sul-americana, onde enfrenta o Colón, na Argentina, quinta-feira. A equipe comandada por Diego Aguirre tentar se recuperar da derrota por 1 a 0 para os argentinos, na semana retrasada, no Morumbi.

Além da viagem ao país vizinho, o Tricolor terá apenas dois dias de intervalo para seu próximo compromisso no Brasileirão, contra a Chapecoense, no domingo. A equipe defenderá a liderança do Campeonato Brasileiro e por isso, o técnico uruguaio pode fazer algumas alterações na formação que iniciará a partida diante do Colón.

– Força máxima sempre, mas força máxima para mim é jogue quem jogar. Para mim, todos os jogadores são importantes e têm chance de jogar. É possível que façamos algumas mudanças, mas isso faz parte do planejamento. Vamos começar com um time muito forte na Argentina para tentar a classificação – disse Aguirre.

No jogo de ida, Aguirre realmente usou força máxima. Porém, o Tricolor não conseguiu furar a retranca dos argentinos e saiu derrotado do Morumbi.

No duelo contra o Sport, o treinador substituiu Nenê, Rojas e Diego Souza ainda na metade do segundo tempo, dando indícios de que os três podem participar ao menos de parte da decisão de quinta-feira.

– É um desafio a mais que temos pela frente. Nós perdemos o primero jogo e temos que ir na Argentina inverter essa situação. Temos que tentar ganhar, tentar classificar. E eu não dou prioridade ao Campeonato Brasileiro. Para mim, são duas competições importantes e vamos tentar a classificação – acrescentou o treinador uruguaio.

Para avançar de fase, o São Paulo precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença. Caso vença por 1 a 0, a vaga nas oitavas será decidida nas penalidades.

– É um jogo dificílimo, mas acredito muito na capacidade do nosso time. Acredito que a gente tem condição de ir lá e reverter esse placar – disse o volante Hudson.

“Vamos mantendo nosso foco de cada jogo ser uma final”

Ao fim da partida contra o Vasco, neste domingo (05), o elenco são-paulino celebrou muito a vitória diante do rival (2×1), que levou o clube à liderança do Campeonato Brasileiro. Após sair na frente logo no primeiro minuto de jogo, com Rojas, a equipe sofreu o empate e, sem desistir até o apito final, conseguiu o gol do triunfo no final da segunda etapa, feito por Tréllez.


“Não sei nem o que falar porque torcida veio, nos apoiou, e vocês viram que foi um jogo truncado. A vitória é fruto do trabalho, dos pés no chão, independente do que aconteceu no passado a gente manteve o foco de cada jogo ser uma final. Tivemos a oportunidade de assumir a liderança e conseguimos com muito sacrifício. Vamos seguir em frente porque o trabalho está apenas começando”, disse o lateral-esquerdo Reinaldo.

O camisa 10 são-paulino também destacou a força do Tricolor em, principalmente, seguir lutando até conseguir o gol da vitória. “Acredito que a gente fez o gol muito cedo e, naturalmente, fomos pra trás, deixamos eles crescerem, mas nós somos batalhadores, não desistimos nunca e estamos muito felizes por essa vitória tão importante.”

Bruno Alves, que na disputa deste domingo fez a dupla de zaga com Arboleda, também exaltou a vitória após o Tricolor enfrentar uma partida tão complicada. “A gente sabe que no Brasileirão não tem jogo fácil, hoje o Vasco fez um grande jogo diante da gente, digno de Campeonato Brasileiro, mas fomos felizes e soubemos sofrer um pouco para depois sairmos com a vitória”, completou.


O são-paulinos voltam às atividades na próxima quarta-feira, quando começam a preparação para enfrentar o Sport. A partida contra o time de Recife acontece no próximo domingo (12), às 16h, na Ilha do Retiro.

 

saopaulofc.net

Pausa na Sul-Americana e foco total no Campeonato Brasileiro

O duelo de ida com o Colón (1 x 0) pela Sul-Americana já ficou para trás, e o elenco tem o confronto com o Vasco da Gama no radar: no próximo domingo (5), às 16h, no Morumbi, o Tricolor enfrentará os cariocas pelo Campeonato Brasileiro.

“Pensamos cada jogo como uma final. Domingo é um jogo que significa muito para nós por serem três pontos que temos que tentar manter em casa. Por isso teremos todos os jogadores à disposição, vamos com força máxima para fazer o melhor jogo possível”, avaliou o técnico Diego Aguirre, que completou.

“Às vezes acontece, os jogadores não são máquinas e muitos fatores emocionais fazem os jogos terminar com derrota. Temos que continuar sendo protagonista no Brasileirão. Faz parte, temos, como time, que ter tranquilidade”, emendou.

Com 32 pontos, o São Paulo está na vice-liderança da competição nacional, atrás apenas do Flamengo (34). “Temos que manter a tranquilidade e virar a chave, porque teremos pela frente o Campeonato Brasileiro e queremos brigar lá na frente, entre os primeiros colocados”, finalizou Reinaldo.

Nesta sexta-feira (3), no Centro de Treinamento da Barra Funda, o elenco se reapresentará para abrir os preparativos de olho nos cariocas. Antes de receber os vascaínos, o time são-paulino terá dois dias de ajustes sob o comando do treinador uruguaio.

O decisivo confronto de volta com os argentinos, em Santa Fé, será disputado no próximo dia 16, às 21h45. O vencedor medirá forças contra o Junior Barranquilla-COL (eliminou o Lanus-ARG) na sequência do torneio.

 

saopaulofc.net

Derrota na Sul-Americana vira lição e São Paulo foca no Campeonato Brasileiro

O São Paulo foi surpreendido e saiu derrotado para o Colón, em pleno Morumbi. O resultado não estava nos planos do Tricolor, que estava confiante por conta dos bons resultados conquistados no Campeonato Brasileiro. Agora a equipe de Diego Aguirre recolhe os cacos do mau resultado e o usa como aprendizado para se manter focado.

– Tiramos uma lição de um jogo que tínhamos que ter saído com um resultado melhor para jogarmos tranquilos na Argentina. Agora, é virar a chave rápido. Na derrota, aprendemos muito. Fica a lição para levarmos não só para a Argentina, mas para domingo, contra o Vasco – afirmou o volante Hudson.

A comissão técnica do Tricolor pede que o elenco se mantenha focado e não deixe o ritmo cair.

– Me senti orgulhoso pelas grandes vitórias, e temos que assumir que pode acontecer uma derrota. O que não pode acontecer é que essa derrota nos mude em alguma coisa. Temos de continuar sendo protagonistas no Brasileirão. Faz parte, temos, como time, que ter tranquilidade – disse o técnico Diego Aguirre.

Agora, o foco do São Paulo é no Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, pela 17ª rodada, o Tricolor enfrenta o Vasco, no Morumbi.

“Meu time me dá confiança, e temos muito jogo pela frente”

“Me senti orgulhoso pelas grandes vitórias, e temos que assumir que pode acontecer uma derrota. O que não pode acontecer é que essa derrota nos mude em alguma coisa”. As palavras do técnico Diego Aguirre durante a entrevista coletiva após o duelo com o Colón-ARG (1 x 0), no Morumbi, mostram que o treinador confia que é possível reverter para manter o clube na briga pelo bicampeonato da Sul-Americana.

“Me senti orgulhoso pelas grandes vitórias, e temos que assumir que pode acontecer uma derrota. O que não pode acontecer é que essa derrota nos mude em alguma coisa”. As palavras do técnico Diego Aguirre durante a entrevista coletiva após o duelo com o Colón-ARG (1 x 0), no Morumbi, mostram que o treinador confia que é possível reverter para manter o clube na briga pelo bicampeonato da Sul-Americana.

“Na Argentina será outra história. Nós podemos fazer um jogo melhor como já fizemos muitas vezes. Temos que acreditar nas coisas boas que estamos fazendo. Vamos ter, mais adiante, a segunda parte desta história para ver como acaba. Logicamente não estou feliz, esperava outro jogo. A próxima partida vai definir quem se classifica, e teremos nossas armas, variações, para ganhar em Santa Fé, que é difícil, mas não pensamos que seja impossível”, finalizou.

Site Oficial

Aguirre vê São Paulo nervoso e menos focado contra o Colón, mas diz confiar em virada na Argentina

O técnico Diego Aguirre acredita que faltou foco ao São Paulo na derrota por 1 a 0 para o Colón, nesta quinta-feira, no Morumbi, pela primeira partida da segunda fase da Copa Sul-Americana. O resultado complica o Tricolor na competição. O segundo jogo está marcado para o dia 16 de agosto, em Santa Fe, na Argentina.

– Tem muitas coisas que posso pensar do jogo de hoje. Primeiro, que não entramos totalmente focados, 100% como vínhamos fazendo no Campeonato Brasileiro. Hoje, no futebol, se você não entra absolutamente ligado, pode acontecer isso, que não encontramos o jogo – afirmou.

O treinador também viu a equipe mais nervosa do que o normal. Brenner foi expulso no fim, e Diego Souza também poderia ter recebido cartão vermelho ao dar um chute em Ortiz no segundo tempo. O jogador tricolor alega que foi agredido anteriormente.

– Talvez, ficamos um pouco nervosos, e isso não pode acontecer. Nós vínhamos de uma sequência boa, mas eu sempre falo de respeitar todos os rivais. Acho que nos custou pensar em outra competição. Não falo isso como uma desculpa, e falei para os jogadores no intervalo, que nós poderíamos jogar mais, sabemos jogar melhor. Às vezes, acontece, os jogadores não são máquinas e muitos fatores emocionais fazem os jogos. Eu me senti orgulhoso pelas grandes vitórias, e temos que assumir que pode acontecer uma derrota. O que não pode acontecer é que essa derrota nos mude em alguma coisa. Temos de continuar sendo protagonistas no Brasileirão. Faz parte, temos, como time, que ter tranquilidade – disse Aguirre.

Segundo jogo em Santa Fe
– Vai ser outra história (na Argentina). Nós podemos fazer um jogo melhor, como já fizemos muitas vezes. Hoje jogamos contra um time fechado e não encontramos o caminho dos gols. Mas temos que acreditar nas coisas boas que estamos fazendo. Vamos ter, mais adiante, a segunda parte desta história para ver como acaba. Logicamente não estou feliz, esperava outro jogo, mas como tenho falado, os jogadores não são máquinas e podem descer um pouco o nível, perdendo um jogo. Temos que rapidamente nos recuperar, ganhar o próximo e continuar com esse ciclo bom que estamos tento. Uma derrota não muda a essência do time e todas as coisas boas que fazemos.

Time titular contra o Vasco
– Pensamos cada jogo como uma final. Domingo é um jogo que significa muito para nós por serem três pontos que temos que tentar manter em casa. Por isso teremos todos os jogadores à disposição, vamos com força máxima para fazer o melhor jogo possível.

São Paulo tem histórico de expulsões em torneios continentais

O São Paulo é favorito nesta quinta-feira., diante do Colón, às 19h30, no Morumbi, em jogo que abre a segunda fase da Copa Sul-Americana. No entanto, o Tricolor tem que ligar o sinal de alerta para outro adversário: o cartão vermelho.


O São Paulo recebeu 11 cartões vermelhos nas últimas 12 partidas que realizou em competições da Conmebol. Na atual edição da Sul-Americana, foram três nos dois jogos contra o Rosario Central, ainda pela primeira fase da competição: Rodrigo Caio, no primeiro tempo do 0 a 0 na Argentina, e Petros e Cueva, no Morumbi.

A lista ainda conta com João Schmidt, Denis, Calleri, Centurión, Maicon, Lugano e Wesley, expulsos ao longo da campanha do São Paulo até a semifinal da Libertadores de 2016, e Buffarini, que foi expulso na partida de ida contra o argentino Defensa Y Justicia, na primeira fase da Sul-Americana do ano passado.

Nenhum dos três expulsos nesta edição da Copa Sul-Americana está à disposição do técnico Diego Aguirre para enfrentar o Colón. Petros e Cueva foram vendidos, enquanto Rodrigo Caio ainda se recupera de cirurgia no pé esquerdo, realizada em maio.

No retorno após a pausa para a Copa do Mundo, o Tricolor tem convivido com suspensões. Everton levou o terceiro cartão amarelo e Araruna, um vermelho, diante do Flamengo e desfalcaram o time na rodada seguinte, diante do Corinthians. Para enfrentar o Grêmio, o São Paulo não teve problemas por cartão, mas viu Militão, Hudson e Arboleda receberem o terceiro amarelo e ficarem supensos da partida contra o Cruzeiro, no domingo. Em Belo Horizonte, Anderson Martins levou cartão e acabou suspenso também.

Nesta quinta-feira, diante dos argentinos, a questão disciplinar é um dos principais adversários do São Paulo, já que o adversário não é tão perigoso, em teoria. O Colón ficou somente na 11ª colocação entre os 28 clubes que disputaram a última Superliga Argentina. Eles venceram apenas 11 das 27 partidas que disputaram e somou 41 pontos. Na Sul-Americana, a equipe se classificou ganhando duas vezes do Zamora: 2 a 0 na Venezuela e 1 a 0 na volta.

O São Paulo tem condições de abrir vantagem neste primeiro confronto, basta se controlar para terminar a partida com 11 em campo e construir um placar com diferença significativa de gols sob seus domínios.

Confira o histórico de expulsões do São Paulo em suas 12 últimas partidas por torneios continentais:

São Paulo 2 x 1 River Plate – João Schmidt expulso (Libertadores-16)
The Strongest 1 x 1 São Paulo – Denis e Calleri expulsos (Libertadores-16)
São Paulo 4 x 0 Toluca – nenhum tricolor expulso (Libertadores-16)
Toluca 3 x 1 São Paulo – Centurión expulso (Libertadores-16)
São Paulo 1 x 0 Atlético-MG – nenhum tricolor expulso (Libertadores-16)
Atlético-MG 2 x 1 São Paulo – nenhum tricolor expulso (Libertadores-16)
São Paulo 0 x 2 Atlético Nacional – Maicon expulso (Libertadores-16)
Atlético Nacional 2 x 1 São Paulo – Lugano e Wesley expulsos (Libertadores-16)
Defensa Y Justicia 0 x 0 São Paulo – Buffarini expulso (Sul-Americana-17)
São Paulo 1 x 1 Defensa Y Justicia – nenhum tricolor expulso (Sul-Americana-17)
Rosario Central 0 x 0 São Paulo – Rodrigo Caio expulso (Sul-Americana-18)
São Paulo 1 x 0 Rosario Central – Cueva e Petros expulsos (Sul-Americana-18)

Aguirre projeta duelo diante do Colón pela Sul-Americana

O Tricolor está pronto para receber o Colón-ARG na noite desta quinta-feira (2), às 19h30, no Morumbi, pelo duelo de ida da segunda fase da Sul-Americana. Nesta quarta (1º de agosto), o técnico Diego Aguirre concedeu entrevista coletiva no CT da Barra Funda e na sequência finalizou os ajustes no time são-paulino.


“Faz uns dias que estamos pensando em o que é melhor para o jogo de amanhã e domingo, contra o Vasco. Talvez nós cuidemos algum jogador, mas vamos com um time muito forte. Pode ser que dois ou três não joguem, mas a maioria vai estar. A Sul-Americana também é uma prioridade, um objetivo e temos que estar fortes para este jogo e domingo”, disse o treinador, que emendou.

“Tentamos dar um bom treino, que os jogadores entendam o que fazer, com intensidade e ideias. As vitórias vão dando credibilidade, confiança e isso começa a crescer, mas o mais importante é a atitude dos jogadores, a vontade de vencer. Juntos, estamos dando o máximo para que o São Paulo volte a estar como está agora, brigando por coisas importantes. Não tem nada de especial, porque o mais importante é a entrega dos jogadores”, analisou.

O vencedor, que avançará para as oitavas de final, enfrentará o Junior Barranquilla-COL (eliminou o Lanus-ARG). Para chegar até aqui, o Tricolor eliminou o Rosario Central: empate sem gols na Argentina, na ida, e triunfo por 1 a 0, na volta, com gol de Diego Souza.

Já o Colón bateu o Zamora, da Venezuela, antes de encarar o time são-paulino. Foram duas vitórias sobre os venezuelanos: 2 a 0 na ida, fora de casa, e 1 a 0, no confronto decisivo de volta, na província de Santa Fé.

“Temos algumas informações sobre o Colón. Temos que nos preparar para um jogo difícil, porque times argentinos têm muita entrega, muita vontade, e temos que continuar com essa sequência boa. Seria importante ganhar para deixar a classificação encaminhada. É uma equipe dura, conheço alguns jogadores, o treinador é muito bom. Será uma partida dificílima”, avaliou Aguirre, que completou.

“Não queremos mudar muito, porque estamos bem, mas às vezes é necessário trocar alguma peça para que o time não perca a identidade. Para nós, o título é um objetivo. Mas é uma competição muito difícil. Não pode pensar que tem um jogo fácil, porque é tão difícil como o Campeonato Brasileiro. Temos que pensar nas duas competições”, finalizou.

 

saopaulofc.net

São Paulo decide poupar Liziero de jogo da Sul-Americana

Enquanto Aguirre comandava atitude para preparar o time do São Paulo para o jogo contra o Colón, em jogo de ida da Copa Sul-Americana, Jucilei deu um passo no processo de recuperação de lesão na coxa esquerda e iniciou a transição do REFFIS para o campo e trabalhou no gramado.

Segundo o site oficial do Tricolor, o volante fez exercícios com alternâncias de velocidade, direção e intensidade sob os olhares dos fisioterapeutas. O jogador seguirá com a programação da comissão e deve voltar à disposição em pelo menos três semanas.

Jucilei sofreu um estiramento na região adutora da coxa esquerda na vitória do São Paulo por 1 a 0 sobre o Flamengo, no Maracanã, no último dia 18. Desde então, o meio-campista trabalha em período integral (manhã e tarde) no REFFIS para se recuperar da lesão muscular.

Sem o volante, Diego Aguirre tem escalado do time com Hudson, Liziero e dado chances aos garotos Luan e Araruna.

Por onde andam os campeões da Sul-americana 2012?

Em alta no Brasileirão 2018, o São Paulo volta a disputar, de forma mais contundente, um título importante. Você se lembra quando foi o último título do clube?

Em 2012, o time do Morumbi derrotou o Tigre, da Argentina, por 2 x 0, e sagrou-se campeão da Copa Sul-americana daquele ano. A partida ficou marcada por uma confusão que ocorreu no intervalo e fez com que a equipe argentina se recusasse a volta a campo.O árbitro decidiu encerrar a partida dando o título para o São Paulo. Veja por onde andam os jogadores que atuaram naquela partida:

Rogério Ceni

O ídolo da torcida Tricolor e maior goleiro artilheiro do mundo anunciou sua aposentadoria em 2015, sendo chamado para ser técnico do próprio São Paulo na temporada de 2016. Com maus resultados, foi demitido do cargo e, em 2018, assumiu o comando do Fortaleza. Com a equipe cearense, Ceni lidera a série B do Campeonato Brasileiro.

Paulo Miranda

Zagueiro improvisado na lateral direita, Paulo Miranda foi expulso depois da confusão do intervalo junto com Angel Díaz, do Tigre. Foi bastante elogiado na campanha da Sul-americana de 2012, mas não conseguiu repetir o bom futebol no resto de sua passagem pelo São Paulo. Atualmente, o zagueiro faz parte do elenco do Grêmio para a temporada de 2018 e cometeu uma gafe em sua apresentação dizendo que a zaga do Internacional seria a melhor do mundo.

Rafael Toloi

Zagueiro revelado pelo Goiás, Toloi ganhou a simpatia do torcedor são-paulino na conquista da Sul-americana. Além de desempenhar grande liderança na zaga com Rhodolfo, também foi responsável por um dos gols na goleada sobre o Universidad do Chile por 5 a 0 com uma pancada em cobrança de falta. Em 2015, o jogador foi negociado com a Atalante, onde atua até hoje como titular.

Rhodolfo

Outro pilar da defesa são-paulina em 2012, Rhodolfo chegou ao São Paulo por indicação de Paulo Cesar Carpegiani e deixou boa impressão. No ano seguinte, com a chegada de Lúcio, o zagueiro ficou sem espaço e acabou sendo envolvido em uma negociação de empréstimo com o Grêmio, que cedeu o volante Souza ao time paulista. Atualmente, Rhodolfo está no Flamengo e se recupera de lesão na coxa.

Bruno Cortez

O lateral esquerdo fez boa temporada em 2011 pelo Botafogo e despertou o interesse de vários clubes. Chegou ao São Paulo com desconfiança, mas sua boa atuação na Copa Sul-americana de 2012 garantiu uma negociação com o Benfica, de Portugal. Hoje, Cortez é titular do Grêmio e estava no elenco que conquistou a Copa Libertadores da América em 2017.

Wellington

Revelado nas categorias de base do próprio São Paulo, Wellington tinha o apoio e o prestígio da torcida por ter sido formado em Cotia. Apesar da idade, demonstrava muita segurança na saída de bola e na marcação. Após essa conquista, o volante acabou sendo emprestado para vários clubes e, atualmente, está no Atlético-PR.

Denilson

Também cria das categorias de base do São Paulo, Denilson formava a dupla de volantes com Wellington mesclando experiência e juventude em 2012. Denilson chegou a jogar no Arsenal e voltou ao São Paulo em 2011 em um contrato de empréstimo. Em 2015, foi negociado com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos. Atualmente, o jogador está sem clube.

Jadson

Camisa 10 da equipe são-paulina na conquista da Sul-americana, o meia foi um dos principais destaques do time na competição. O São Paulo e Corinthians envolveram Jadson e Alexandre Pato em uma troca, em 2014. O meia se identificou com a equipe do Parque São Jorge, acabou negociado com o futebol árabe em 2016, mas voltou em 2017 para o Corinthians, onde atua até hoje.

Lucas

Principal jogador do São Paulo naquela competição, Lucas é tido até hoje como um ídolo pela torcida são-paulina. Na final, o jogador marcou um dos gols da vitória. Curiosamente, Lucas já estava vendido ao Paris Saint Germain por quase 110 milhões de reais. Em 2018, sem espaço no time francês, o jogador foi negociado com o Tottenham, da Inglaterra.

Willian José

Muito questionado no começo de passagem pelo São Paulo, William José jogou quase durante toda a competição em virtude de lesões e suspensões de Luis Fabiano. Na própria final, o camisa 9 cumpria suspensão por ser expulso no jogo de ida na Argentina. Atualmente, William José é jogador do Real Sociedad, da Espanha e vive boa fase. O atacante tem feito muitos gols no Campeonato Espanhol e foi até convocado para os amistosos da Seleção Brasileira antes da Copa do Mundo contra Alemanha e Rússia.

Osvaldo

Autor do segundo gol da partida final, Osvaldo conquistou o carinho dos torcedores são-paulinos com uma grande atuação na Sulamericana de 2012. Sua principal característica era a velocidade e as mudanças de direção. Deixou o São Paulo em 2014, quando assinou com o Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos. Atualmente, o atleta joga pelo Buriram United, da Tailândia.

Ney Franco

Questionado mesmo durante a conquista da Sul-americana, Ney Franco teve sua passagem pelo São Paulo encerrada em 2013 após entrar em algumas polêmicas com Rogério Ceni, dando declarações na imprensa dizendo que o goleiro influenciava em contratações. O técnico trabalha no Goiás e atualmente ocupa a sexta posição na Série B do Campeonato Brasileiro.

São Paulo coloca novos três jogadores na lista da Copa Sul-Americana

Nesta tarde, o São Paulo fez três substituições na lista de inscritos da Copa Sul-Americana. Os atacantes Everton e Rojas, além do lateral-direito Bruno Peres entraram na lista no lugar de Bruno, Marcos Guilherme e Júnior Tavares que foram negociados com outros clubes. O Tricolor tem pela frente, o Colón da Argentina e os confrontos irão acontecer nos dias 2 e 16 de Agosto.


– Lembro que fiquei triste por não jogar na primeira fase, mas agora estou regularizado e à disposição. Fiquei na torcida contra o Rosario, e agora quero ajudar os meus companheiros – afirmou Everton, em entrevista.

Veja como ficou a lista do São Paulo:

Goleiros: Sidão, Jean e Lucas Perri
Laterais: Edimar, Éder Militão, Reinaldo, Bruno Peres e Régis
Zagueiros: Bruno Alves, Rodrigo Caio, Anderson Martins e Arboleda
Meio-campistas: Nenê, Jucilei, Lucas Fernandes, Liziero, Shaylon, Hudson e Araruna
Atacantes: Everton, Rojas, Diego Souza, Tréllez, Carneiro, Morato e Brenner