Hudson comemora melhora do São Paulo, mas lamenta gol sofrido no final

Os tricolores celebraram muito a vitória deste domingo sobre o Ituano no Morumbi, mas apesar do triunfo, restou uma sensação de que poderia ter sido melhor. Ao menos para o volante Hudson, que lamentou o gol sofrido na reta final do duelo.

“O gol do Ituano… Fomos melhores o jogo inteiro e tomamos um gol em uma bobeada nossa. O time deles é baixo, então tomamos um gol de bola parada, não era o ideal. Mas acho que hoje foi o melhor jogo dos últimos nossos. O time demostrou uma crescente e eu acho que isso aí que a gente fez hoje foi muito melhor”, afirmou o volante.

Após acertar a trave duas vezes, o São Paulo acabou punido aos 37 minutos. Depois de Tiago Volpi fazer defesa espetacular com o pé direito em chute de Bassani, o Ituano descontou com Morato, que cabeceou dentro da pequena área, sozinho, a cobrança de escanteio vindo da esquerda para fazer prevalecer a “lei do ex” e manter o time do interior vivo na disputa por uma vaga nas semifinais do Paulistão.

Havia três jogos que o São Paulo não conquistava uma vitória. Agora, o São Paulo terá a missão de não deixar o Ituano reverter a vantagem construída no Morumbi. As equipes voltam a se encontrar na próxima quarta-feira, no estádio Novelli Júnior, em Itu, às 19h15 (de Brasília).

 

Fonte: ESPN

Hudson culpa planejamento quebrado e diz que São Paulo precisa melhorar

Nesta noite, no Anacleto Campanella, o São Paulo ficou apenas no empate por 1 a 1 com o rebaixado São Caetano no fechamento da primeira fase do Campeonato Paulista. O rendimento irritou parte da torcida e também ficou longe do esperado pelos jogadores. O capitão Hudson acredita que a quebra do planejamento da temporada, que começou com o técnico André Jardine, pode explicar o desempenho da equipe.

“Claro que é frustrante [a campanha]. Sabemos que estamos muito abaixo do que podemos estar. Tivemos um planejamento de pré-temporada que foi quebrado, sofrendo com lesões e mudanças de posição”, disse o volante.

Nas quartas de final, o Tricolor paulista vai enfrenta o Ituano, líder do grupo. O calendário será definido em reunião na Federação Paulista, amanhã.

“É um outro campeonato, com mata-mata e teremos o Morumbi [que foi afetado pelas chuvas] de volta. E o São Paulo precisa melhorar muito”, completou Hudson.

 

Fonte: UOL

São Paulo renova com Hudson, que estava perto do fim do contrato

Derrotas nos clássicos, risco de eliminação na 1ª fase do Paulistão, contusão de Hernanes… Em meio a tantos acontecimentos ruins, uma boa notícia para o São Paulo: Hudson renovou seu vínculo, que terminaria em dezembro – ele já poderia assinar um pré-contrato com qualquer interessado a partir de julho.

O Blog apurou que o novo acordo garante o volante por mais dois anos no Morumbi, ou seja, até dezembro de 2021. Embora o Tricolor não confirme, Hudson teve direito a um reajuste salarial, depois da boa temporada passada com a camisa são-paulina – ele já havia ido bem em 2017, quando emprestado para o Cruzeiro.

O Tricolor passou a dar prioridade para a prorrogação do contrato de Hudson depois do Brasileirão de 2018, quando um clube dos Emirados Árabes Unidos pediu informações para levá-lo. O risco de ver o volante assinar um pré-contrato a partir de 1º de julho pressionou o presidente Leco e o diretor-executivo de futebol Raí a fechar um acordo rápido.

De acordo com o Tricolor, o martelo foi batido no mês passado, antes de Cuca ser contratado. Mas, uma das primeiras perguntas do novo técnico ao iniciar o planejamento são-paulino, disse respeito a Hudson. Cuca faz questão da permanência do jogador.

 

Fonte: Blog do Jorge Nicola

Além de Hudson, Liziero segue em recuperação de lesão no SP

O São Paulo não deve ter Hudson e Liziero para o jogo do próximo domingo, contra o Bragantino. A dupla participou do aquecimento dos os demais jogadores do elenco na manhã desta segunda, mas não participou do treino tático comandado pelo interino Vagner Mancini.

A dupla, apesar do avanço, segue sob os cuidados dos preparadores físicos e estão no estágio final da transição do Reffis para o CT da Barra Funda. Liziero está fora desde o jogo contra o Guarani, no dia 31 de janeiro, quando sofreu uma entorse no tornozelo direito. Já Hudson levou uma bolada na cabeça e teve uma leve concussão, semana passada.

Por determinação do São Paulo, os jornalistas tiveram acesso apenas aos 15 minutos iniciais do treino do Tricolor. Após o fechamento dos portões do centro de treinamento, Mancini fez testes na equipe titular no treino tático.

Vale lembrar que o elenco terá alguns desfalques na próxima semana. Apesar dos possíveis retornos de Hernanes e Willian Farias, a comissão técnica não terá Brenner, Araruna, Everton, Reinaldo, Biro Biro e Joao Rojas, todos lesionados, e o uguruaio Gonzalo Carneiro, suspenso.

No domingo, o Tricolor mede forças com o Bragantino pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. O time comandado pelo técnico Vagner Mancini soma 10 pontos em 24 disputados e está na terceira colocação do Grupo D, fora da zona de classificação para o mata-mata.

 

Fonte: Lance

Hudson, Liziero e Farias não treinam e podem desfalcar o São Paulo

Com problemas físicos, Liziero, Hudson e Willian Farias desfalcaram o treino do São Paulo na manhã desta sexta-feira, no CT da Barra Funda, e viraram dúvidas para o duelo com o Red Bull Brasil, neste domingo, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

Hudson sofreu uma concussão após levar uma bolada no rosto e bater com a cabeça no chão durante o treino da última quinta-feira. O volante está em observação no departamento médico, mas a tendência é que não seja relacionado.

Já Liziero, que havia treinado normalmente nos últimos dois dias, voltou a sentir dores no tornozelo direito e ficou em tratamento no Reffis. Assim, caso as ausências de Hudson e Liziero sejam confirmadas, Hernanes vira opção para atuar como segundo volante, com Nenê encarregado pela armação.

Willian Farias, por sua vez, ficou fora das atividades pelo segundo dia consecutivo em função de dores na coxa direita. A comissão técnica, porém, ainda tem expectativa de contar com o atleta no domingo. Se ele não reunir condições de jogo, Luan deverá ser titular como primeiro volante.

A novidade da atividade desta manhã foi Brenner. Recuperado de uma lesão na coxa esquerda, o atacante participou normalmente do aquecimento, única parte do treino liberada para a imprensa, mas ainda não será utilizado.

Além de Brenner, o técnico interino Vagner Mancini tem outros três desfalques certos: Everton (estiramento na coxa esquerda), Araruna (contratura na coxa direita) e Joao Rojas (cirurgia no joelho direito).

Uma possível escalação do Tricolor tem: Tiago Volpi; Igor Vinícius, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Jucilei e Hernanes; Antony, Pablo e Gonzalo Carneiro.

Com nove pontos, o São Paulo ocupa o terceiro lugar do Grupo D do Paulista e precisa de uma vitória para voltar à zona de classificação. O time encerra a preparação para o duelo com o Red Bull na manhã deste sábado.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Expulsão de Hudson e lesão de Liziero podem fazer São Paulo mudar o esquema

O volante Hudson foi expulso na derrota do São Paulo por 2 a 0 para o Talleres, na noite da última quarta-feira, na Argentina, e está fora do jogo de volta pela segunda fase preliminar da Copa Libertadores, no dia 13, no Morumbi.

O camisa 25 levou dois cartões amarelos durante o segundo tempo por faltas duras em Pochettino e Palacios. Pouco depois da expulsão, o Tricolor sofreu o segundo gol, em bela jogada e chute de Pochettino, aos 41 minutos da etapa final.

O substituto natural de Hudson é Liziero. O problema é que o jovem volante ainda se recupera de um entorse no tornozelo direito que o tirou das últimas duas partidas e é dúvida para o duelo de volta, na próxima quarta-feira.

Já Luan retorna após o último jogo da Seleção Brasileira sub-20 no Campeonato Sul-Americano do Chile, no próximo domingo, ficando novamente à disposição. Só que ele tem as mesmas características de Jucilei, não de Hudson ou Liziero. E Willian Farias, que também é primeiro volante, não é o substituto ideal.

Como o São Paulo precisará atacar para reverter o placar, há a possibilidade de o técnico André Jardine mudar o esquema tático, caso Liziero não se recupere a tempo. Em um possível 4-1-4-1, o Tricolor jogaria com quatro meias atrás de Pablo.

Três deles seriam Hernanes, Nenê e Everton, que dificilmente sairão do time, apesar da atuação discreta em Córdoba. Os dois primeiros jogariam mais centralizados, enquanto o terceiro seguiria aberto na esquerda.

A outra vaga, destinada ao ponta direita, pode ser preenchida por Antony, Helinho ou Biro Biro, que está recuperado de problemas gástricos. Gonzalo Carneiro, que foi bem contra o São Bento, sabe jogar fora da área e surge como opção.

Para se classificar à terceira fase da Pré-Libertadores, o São Paulo precisa vencer o jogo de volta por três gols de diferença. Caso devolva o 2 a 0, a vaga será definida nos pênaltis. Se sofrer um gol, precisará marcar outros quatro para avançar na competição.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Hudson diz que faltou coragem ao São Paulo em derrota para o Santos

Os jogadores do São Paulo deixaram o Pacaembu claramente surpresos com a facilidade que o Santos teve para derrotá-lo neste domingo. O volante Hudson, um dos líderes do elenco, acredita que a equipe tricolor precisa mudar a postura para ter melhores resultados na temporada

“Enfrentamos um time que tem ideias parecidas. Só que a gente não conseguiu colocar as ideias do Jardine em prática e o Santos foi superior. Temos que ter mais coragem com a bola. Só jogar na transição fica arriscado, pois a equipe erra muito. O contra-ataque é muito bom, mas só ele talvez não seja adequado”, comentou o volante.

André Jardine viu diferente e acredita que o time mostrou sim coragem e parou na efetividade do rival. “O que me deixou satisfeito foi a coragem para, em algum momento, trazer dificuldade ao Santos no primeiro tempo e não aceitar o domínio, lutar para ir mais à frente. Lamentamos bastante por não ter efetividade quando conseguimos roubar a bola perto do gol”, comentou.

O treinador acredita que, apesar da derrota, não há motivos para desespero, assim como também adotou os pés no chão quando o time venceu as duas primeiras partidas no Paulistão. “Hoje (domingo) não foi bom, mas nos últimos dois jogos tivemos bastante efetividade, assim como seguramos empolgação nas duas vitórias. Hoje (domingo) seguramos a frustração. Vai sofrer, porque sofre com derrota, mas vamos avaliar as lições, avaliar o que não funcionou para melhorar no próximo jogo”, minimizou.

Fonte: Terra

Hudson critica oscilação do SPFC em 2018, e projeta time mais forte em 2019

O São Paulo terminou 2018 sem conquistar um título. Ainda assim, o clube tem motivos para comemorar. No Campeonato Brasileiro, a equipe chegou a liderar a tabela de classificação, e garantiu uma vaga para Pré-Libertadores. Por isso, Hudson faz um balanço positivo da temporada, apesar de criticar a oscilação de performance nas competições.

“A equipe cresceu bastante de rendimento, e eu consegui acompanhar a evolução do time. No finalzinho, infelizmente, não foi como a gente esperava. Criamos uma expectativa, demonstramos que poderíamos ter conquistado algo a mais pelo São Paulo, mas, infelizmente, o time não foi tão regular quanto precisava ser para conquistar o Brasileiro. Fica o balanço de um ano em que o São Paulo se reconstruiu com um novo time, e que podemos fazer um 2019 muito bom”, avaliou o capitão Hudson, em entrevista concedida ao UOL Esporte antes do início das férias.

Depois de defender o Cruzeiro em 2017, Hudson retornou ao São Paulo. O volante demorou para se consolidar outra vez no Tricolor por causa de uma lesão de grau 4 na coxa direita, sofrida ainda quando jogava pelo time mineiro

“Foi um ano que começou um pouco difícil para mim, porque cheguei ao São Paulo com uma lesão mais séria do que pensava ser e que me incomodou, pelo menos até o começo do Brasileirão. Tive de parar ao menos duas vezes nos quatro primeiros meses do ano para me tratar e me recuperar para fortalecer o músculo do adutor.”

Confira os principais trechos da entrevista com Hudson:

Oscilação

Às vezes, a gente pecou um pouco por causa da falta de confiança para reverter um resultado adverso, por não ter cabeça suficiente e um plano de jogo para reverter uma situação. Eu acho que a maior missão do Jardine é fazer com que as pessoas vejam o São Paulo com um jeito de jogar. É isso que a gente tem de buscar para o São Paulo não oscilar tanto, para que a gente possa superar as dificuldades. A nossa missão é essa para que 2019 seja melhor do que 2018.

Impressão deixada por Jardine

Muito boa [a impressão que o treinador deixou], porque ele implementou as ideias dele. Teve pouco tempo de treino. Mas começamos a entender o que ele quer passar. Acho que com tempo e uma boa pré-temporada, a gente vai assimilar muito melhor e passar para o campo o que ele quer

Técnico jovem

Não faz diferença o fato de ele ser tão jovem. É um cara inteligentíssimo, e é vencedor. Não é por acaso que ele é o treinador do São Paulo. Entendemos que as ideias dele podem acrescentar muito para a nossa equipe, que precisa de alguns ajustes.

Nota da redação: André Jardine, o treinador do São Paulo, tem 39 anos.

Libertadores

Estou ansioso demais para jogar a Libertadores. É um campeonato muito especial para o São Paulo, para a instituição é completamente diferente jogar esse torneio. O São Paulo tem cara de Libertadores. Em 2016 não tínhamos um time excelente, mas era uma equipe com cara de Libertadores. Então, eu tenho certeza de que vamos ter um time com cara de Libertadores, que vai brigar para fazer a melhor campanha possível. O torcedor dá uma importância muito grande para a Libertadores, e nós também. É um campeonato que marca a carreira de qualquer jogador.

 

Fonte: UOL

Após sondagens do exterior, São Paulo acelera renovação de Hudson

O São Paulo pode ter fechado a sua temporada de maneira melancólica após liderar o Campeonato Brasileiro e, no segundo turno do nacional, deixar o título e a vaga para a fase de grupos da Copa Libertadores escaparem. No entanto, há quem tenha motivo para comemorar no elenco Tricolor. Hudson terminou 2018 valorizado no mercado e já foi procurado pelo clube para renovar o seu contrato.

O representante do volante deve conversar com Raí, executivo de futebol tricolor, para definir a ampliação do vínculo – hoje válido até 30 de dezembro de 2019. Ou seja, a partir do segundo semestre do próximo ano ele estaria livre para assinar um pré-contrato com outra equipe sem que o São Paulo recebesse qualquer compensação financeira. O encontro está previsto para acontecer durante a Florida Cup, nos Estados Unidos.

A preocupação do Tricolor paulista para acelerar a renovação tem explicação. O jogador, de 30 anos, despertou o interesse de outros clubes nesta janela de transferência. Os representantes do meio campista foram procurados por um funcionário de um time dos Emirados Árabes, que perguntou sobre valores, mas ainda não formalizou uma proposta.

Segundo pessoas próximas, o jogador está satisfeito no São Paulo e não pretende deixar o Morumbi. No entanto, uma oferta financeiramente mais vantajosa poderia mudar essa história. Nesta janela de transferência, ele também já teve o seu nome especulado em outros clubes, até mesmo do Brasil. Porém, o Tricolor paulista e os representantes do atleta não foram procurados por equipes nacionais nos últimos dias.

Hudson espera receber uma valorização financeira no São Paulo e assinar um contrato de longa duração. O camisa 25 chegou ao Morumbi em abril de 2014, após bom Campeonato Paulista pelo Botafogo-SP. Na última temporada, foi emprestado ao Cruzeiro, onde se destacou na participação do título da Copa do Brasil.

 

Fonte: UOL

Jardine arma o time com a volta de Hudson e variações

Com o retorno de Hudson, recuperado de fadiga muscular, e algumas variações, o técnico André Jardine comandou um trabalho tático no CT da Barra Funda nesta quinta-feira (29) que armou o time para o duelo com a Chapecoense no próximo domingo (2), na Arena Condá.

O capitão, que não enfrentou o Sport (0 x 0) na última segunda-feira (26), trabalhou entre os titulares sem qualquer restrição nesta manhã e está novamente à disposição.

No coletivo, o treinador aproveitou a atividade para observar as opções para a vaga do lateral-esquerdo Reinaldo, que está suspenso pelo terceiro cartão amarelo na competição nacional. Assim, Edimar e Caíque foram testados no setor.

A equipe foi escalada com Jean; Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Edimar (Caíque); Hudson, Liziero e Nene; Helinho, Diego Souza e Everton. Na reta final do tático, o comandante promoveu algumas alterações e trocou Everton por Everton Felipe, Nene por Shaylon e Diego Souza por Brenner.

O zagueiro Walce, capitão da equipe Sub-20 do Tricolor que conquistou a Supercopa diante do Palmeiras nesta semana, foi chamado para integrar os trabalhos no CT da Barra Funda e treinou sob o comando de Jardine.

Ao encerrar as atividades, a segunda parte do elenco passou por exames clínicos, de eletrocardiograma e ecocardiograma para uma avaliação clínica e cardiológica completa em um hospital da capital paulista especializado em exames e check-up.

Tradicionalmente, os exames são sempre realizados no início das temporadas. No entanto, para largar na frente e ganhar mais dois dias de preparação no próximo ano antes da Flórida Cup, o São Paulo antecipou as avaliações.

A primeira metade do grupo já tinha passado por uma bateria de exames na última quarta (28) que contou com especialistas em cardiologia, nutrição, ortopedia e medicina do esporte.

 

Fonte: saopaulofc.net

Hudson treina e pode voltar ao time titular do São Paulo na última rodada

O volante Hudson, desfalque do São Paulo no empate sem gols com o Sport por desgaste muscular, participou de todo o treino desta quarta-feira e pode ser uma das novidades da equipe que enfrenta a Chapecoense na última rodada do Brasileirão, às 17h de domingo, na Arena Condá.

Embora não tenha separado duas equipes com 11 jogadores, o técnico André Jardine indicou que pode formar a dupla de volantes com Liziero e Hudson. Os dois trabalharam juntos na equipe sem coletes, que tinha habituais titulares como Bruno Alves, Diego Souza e Everton, além de Edimar, que deve substituir o suspenso Reinaldo em Chapecó.

Fellipe Lucena

@fellucena

Sem coletes estavam Shaylon, Bruno Alves, Rodrigo Caio, Edimar, Hudson, Liziero, Everton e Diego Souza.

Com coletes estavam Brenner, Anderson Martins, Rodrigo, Araruna, Everton Felipe, Jucilei, Nenê e Helinho.

Veja outros Tweets de Fellipe Lucena

Reinaldo, aliás, ficou no Reffis ao lado de Arboleda (gripado) e Tréllez (tomou uma pancada na partida contra o Sport). Luan e Gonzalo Carneiro, embora tenham corrido no gramado após se recuperarem de lesões, têm chances reduzidas de estarem em campo. Bruno Peres e Rojas, em recuperação, são baixas certas.

O provável São Paulo tem Jean, Araruna, Arboleda (Rodrigo Caio), Bruno Alves e Edimar; Hudson, Liziero e Nenê; Helinho, Everton e Diego Souza.

Para terminar no G4 e se classificar diretamente para a fase de grupos da Libertadores, o São Paulo precisa vencer a Chapecoense e torcer para o Grêmio não superar o Corinthians em Porto Alegre. A vaga pode ser garantida até com um empate, desde que os gaúchos percam sua partida.

 

Fonte: Lance

DESFALQUES: Bruno Peres e Hudson desfalcam o São Paulo na partida desta segunda-feira

Bruno Peres e Hudson vão desfalcar o São Paulo na partida desta segunda-feira, contra o Sport, às 20h, no Morumbi, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O lateral-direito está com estiramento muscular na coxa direita, enquanto o volante vai ser poupado por conta de um desconforto muscular nas pernas. Os dois sentiram depois da derrota para o Vasco.

Por outro lado, Diego Souza, que ficou fora contra o Vasco por conta de um problema no joelho, foi a campo mais uma vez neste domingo e está confirmado para o duelo contra o Sport.

A tendência, então, é que a escalação do São Paulo seja: Jean; Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Liziero e Nenê; Everton, Helinho e Diego Souza.

 

Fonte: Globo Esporte

Atuações do São Paulo: Hudson vai mal, e Tréllez não tem futebol para ser titular

Hudson: falhou no lance do gol do Vasco, junto com Jucilei, e teve uma partida bem abaixo do que está acostumado. Foi substituído por Shaylon. Nota: 4,0

Tréllez: não é jogador para ser titular do São Paulo. Ausência de Diego Souza forçou sua escalação, mas não fez por onde permanecer em campo e saiu para entrada de Pedro Bortoluzo. Nota: 4,5

Shaylon: entra em campo com pouca animação e zero concentração. Perdeu a bola por falta de atenção no meio de campo e deu a chance de o Vasco fazer o segundo gol. Nota: 4,5

Veja as notas dos jogadores do Tricolor:

Jean [GOL]: 4,5
Bruno Peres [LAD]: 4,0
Arboleda [ZAG]: 5,5
Rodrigo Caio [ZAG]: 5,5
Reinaldo [LAE]: 4,5
Jucilei [VOL]: 4,0
Hudson [VOL]: 4,0
(Shaylon [MEC]): 4,5
Nenê [MEC]: 5,0
Everton [ATA]: 5,0
Helinho [ATA]: 5,0
(Antony [ATA]): 5,0
Tréllez [ATA]: 4,5
(Pedro Bortoluzo [ATA]): 5,0