Ultrapassados? Técnico do São Paulo defende técnicos brasileiros, mas evita rebater Jorge Jesus

Cuca prefere não entrar em debate, mas deixa clara sua opinião de que os treinadores brasileiros não são ultrapassados. Questionado sobre uma declaração do português Jorge Jesus nesta linha, o técnico do São Paulo contemporiza a polêmica.

“As coisas têm de ser divididas: seria muito fácil rebater o que ele falou, mas a gente tem que separar as coisas. Esta entrevista que ele deu foi lá na Arábia, no ano passado, que só saiu agora”, começou Cuca na manhã de hoje, na coletiva que concedeu após o primeiro treino do São Paulo no dia.

Em longa resposta, o técnico tricolor sugeriu que o próprio Jorge Jesus seja questionado sobre o assunto para ter a oportunidade de mudar ou não de opinião. “Ele poderia dizer se teve dificuldade com algum time, se os treinadores estão ultrapassados; seria uma maneira melhor de se falar”, opinou.

Cuca não quis entrar em polêmica e falou sobriamente sobre o assunto por alguns minutos, até elogiando Jesus em alguns momentos. “Pelo que eu vi dele, é um cara que tem ética profissional, tem respeito”, afirmou, sem deixar de defender a classe.

“Acho muito raro que ele venha a falar isso hoje, o sentimento hoje não seria esse. Lógico que temos muito a evoluir, todos nós técnicos brasileiros. É uma que questão que eu prefiro ficar fora, mas não me sinto de forma alguma ultrapassado”, diz o são-paulino, argumentando que “não tem diferença” entre os treinamentos dos times brasileiros e estrangeiros.

A declaração de Jorge Jesus, no entanto, não parece um insulto. Em entrevista publicada na revista francesa So foot, ele diz que “o treinador brasileiro já foi um pouco ultrapassado em tudo o que diz respeito ao treinamento”, tratando da situação no passado. “Porque sempre tiveram grandes jogadores que resolvem os problemas táticos sozinhos. Os treinadores não foram obrigados a pensar e criar ideias coletivas, e acabaram sendo ultrapassados. Agora está começando a mudar”, opinou na ocasião.

Flamengo tem “um baita de um time”

O líder do Campeonato Brasileiro vive boa fase não só por causa de seu treinador, entende Cuca. “Vejo que o Jorge Jesus tem um baita de um time, por mérito dele mas por muito mérito do Flamengo em geral. Se você for ver, os 11 que jogam são nível de seleção”, considera, dizendo que “tira o chapéu” não só para Jesus, mas para o Flamengo como um todo.

UOL

Weverton defende Tiago Volpi por falha em gol do Palmeiras: “Morumbi tem o pior refletor que existe”

Um dos destaques do Palmeiras no empate em 1 a 1 com o São Paulo neste sábado (13), o goleiro Weverton fez questão de absolver o rival Tiago Volpi no lance que rendeu ao Verdão a igualdade no placar, onde o goleiro são-paulino erra o tempo da bola e acaba ajudando a empurrá-la para o fundo das redes.

“Para ser sincero, ainda não vi o lance. Para o goleiro, é bem complicado a bola quando sobe. Aqui, eu vejo e pouca gente fala, mas o Morumbi na minha opinião é o pior refletor pro goleiro que existe. Prefiro jogar onde tenha pouco, do que aqui. Ele vai direto no rosto do goleiro e é difícil você sair do gol, é muito complicado. Talvez isso tenha atrapalhado ele, é uma bola difícil. Ficamos felizes pelo gol, mas sabemos que as vezes isso faz parte do jogo, todo mundo trabalha para fazer o melhor pelo seu clube. Estamos felizes pelo que conquistamos aqui hoje”, disse Weverton após a partida.

Em entrevista coletiva, o técnico do São Paulo, Cuca, também falou sobre o assunto. “O Palmeiras teve uma sorte incrível, um gol espírita. Acho que a iluminação atrapalhou o Volpi. Ele pegou umas ainda que impedido uma boa do Carlos Eduardo. Naquela bola ele foi atrapalhado e muda todo o jogo, bem na hora que o Toró estava para entrar e matar no contra-ataque. Lamentável. Não era o que a gente queria. Apesar do Palmeiras ter mais posse de bola no segundo tempo nós tivemos mais chance”, avaliou o treinador rival.

VEJA O LANCE DO GOL DO PALMEIRAS:

Embedded video

OLHA O GOL@OlhaOGoL__

Gol do Palmeiras! 1×1 – Dudu (Brasileirão)

230 people are talking about this

O goleiro palmeirense ainda falou sobre sua atuação individual e destacou a concorrência pelo posição no clube. “Talvez tenha sido o jogo que mais trabalhei, mais fiz defesas. É atípico pelo que o grupo vem fazendo desde a chegada do Felipão. Mas eu fico feliz por poder ajudar, cada vez mais ganhar a confiança da equipe e estar fazendo as coisas bem. A concorrência aqui é difícil e quem joga tem que fazer o melhor. Prass e Jailson tem muita qualidade e quando jogam procuram fazer o seu melhor e sempre ajudam”.

Com o empate, o Palmeiras chegou a 26 pontos na tabela de classificação e mantém a liderança isolada do Brasileirão, mas a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari viu a vantagem para o vice-líder Santos cair de cinco para três pontos com a vitória do Peixe sobre o Bahia.

Fonte: Torcedores.com

Aloísio Chulapa defende Pato e pede contratação de pivô no São Paulo

O São Paulo vive um momento conturbado na temporada. Sem vencer há sete jogos, o time deixa a desejar no desempenho ofensivo, e mesmo com os tentos marcados sobre Atlético-MG e Cruzeiro, Alexandre Pato, uma das principais contratações do clube para a temporada, vem sendo muito criticado.

Para Aloísio Chulapa, no entanto, as cobranças não são justas. Na visão do ex-atacante que marcou época no Tricolor, o camisa 7 está fazendo sua parte, mas precisa de mais apoio dos companheiros.

“Ele está sozinho e todo mundo critica! Contrata um pivô, para de querer jogar pelos lados! Precisa do cara certo para jogar ao lado do Alexandre Pato”, disse, nesta sexta-feira, em evento realizado em São Paulo.

Além disso, Aloísio reforçou a ideia da necessidade de um pivô no comando de ataque são-paulino, e pediu um jogador que tenha características parecidas com as suas ou de ninguém mais, ninguém menos que Adriano Imperador.

“O São Paulo ainda não entendeu que precisa de um jogador como eu, como o Adriano”, completou.

Por conta da Copa América, o futebol brasileiro agora tem uma pausa, e só retorna no meio do mês de julho. O São Paulo volta a entrar em campo no dia 13/07, no Morumbi, contra o Palmeiras, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Leco se defende: ‘A gestão não teve problema nenhum. Faltava o futebol’

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, aproveitou a entrevista coletiva que a Federação Paulista organizou nesta quarta-feira para os finalistas do Paulistão para defender seu trabalho na presidência do São Paulo. Segundo ele, o que falta para a gestão não ser criticada são resultados do time de futebol.

– O futebol determina a avaliação da gestão. Ele estando bem, a gestão está bem. Tenho a audácia de colocar que a gestão não teve problema nenhum até hoje, ao contrário, foi muito correta e proveitosa em todos os sentidos. Faltava o futebol. E o futebol tem subido degraus que credenciam o São Paulo a estar, por exemplo, aqui, neste momento, em que vai disputar com outro gigante o título – disse.

Leco assumiu um mandato tampão na presidência em 2015, após a renúncia de Carlos Miguel Aidar, e foi eleito em abril de 2017. O mandato atual se encerra no fim de 2020 e ele nem pensa em renunciar, pedido comum em protestos da torcida e de grupos de conselheiros de oposição.

– Eu não tenho notícia de que haja uma maioria pedindo a renúncia. O que vi foram pequenos movimentos, especialmente em momentos negativos do futebol, coisa que não está ocorrendo agora – declarou.

– Sempre procuramos fazer o melhor, dotar o elenco das melhores condições, formar uma comissão técnica que dê certo. E essa, nesse momento, está dando. Quero registrar a importância do Mancini nesse processo, além da do Cuca. São profissionais de enorme qualidade que estão envolvidos no processo. Isso nos anima. Temos feito esforço muito grande para dar ao futebol do São Paulo condições de competir buscando ganhar. A gestão foi posta em dúvida e espero que, com o futebol indo bem, ela volte a ser reconhecida.

O São Paulo disputa o título paulista às 16h dos próximos dois domingos, primeiro no Morumbi e depois na Arena Corinthians.

 

Fonte: Lance