Danilo é traidor ou foi traído? Olha essa história

Danilo Gabriel de Andrade, ou mais conhecido apenas como Danilo, carrega o status de ídolo pelas passagens vitórias em São Paulo e Corinthians. Porém, há uma ala são-paulina que coloca o meia como traidor por ter ido jogar no rival ao invés de voltar ao Morumbi. Só que a história não é bem assim.

HISTÓRIA

Contratado em 2004 pelo São Paulo a pedido do técnico Cuca, o meio-campista veio do Goiás sem muita badalação, disputou posição com Marquinhos no começo e logo se tornou peça fundamental do time atuando pela faixa esquerda de campo junto ao lateral Junior.

No ano seguinte, agora com o técnico Emerson Leão, a formação de 3-5-2 no Tricolor e fez com que o futebol de Danilo explodisse e transformasse na referência. Longe de ser um velocista, o meia canhoto era o cérebro do time são-paulino e disparava pancadas de qualquer lugar do gramado. Atuando assim, ele foi decisivo nas conquistas de Paulistão, Libertadores e Mundial de Clubes.

As atuações do meio-campista na conquista do título brasileiro do são-paulino em 2006 fizeram o Kashima Antlers, do Japão, não ter dúvidas em comprá-lo e viu o atleta se transformar em um dos maiores ídolos do clube entre os anos de 2007 e 2009.

POLÊMICO RETORNO AO BRASIL

Com saudades da família e amigos, Danilo optou em não renovar com o time japonês para voltar Brasil em 2010 e, logicamente, foi bater na porta do São Paulo Futebol Clube para saber como poderia traçar um plano de retorno.

O Tricolor chegou a abrir conversas com o agente Gilmar Rinaldi para repatriar o meia, porém, tinha como prioridade a renovação de contrato do atacante Washington e acabou deixando como segundo plano. Depois, quando correu atrás, já era tarde demais pelo fato do Corinthians ter fechado acordo.

“Eu trabalhava com o Washington e ele estava negociando renovação de contrato com o São Paulo. Então, falei com o São Paulo, eles tinham interesse no Danilo, mas tinham que escolher se iriam renovar com o Washington [ou priorizar o retorno do meia e escolheram o Coração Valente]”, contou Gilmar Rinaldi, em entrevista ao UOL Esporte.

“Quando Danilo conseguiu a liberação no Japão, o Andrés [Sanchez, presidente do Corinthians na época] me ligou e eu dei a prioridade ao Corinthians. Depois, o São Paulo ainda tentou falar com o Danilo, mas a prioridade já era para o Corinthians”, completou o empresário.

A história foi confirmada pelo próprio Danilo em entrevista há um ano ao UOL Esporte. O meio-campista contou que a escolha pelo rival Corinthians após a desistência do São Paulo se deu pelo fato de ser uma equipe em ascensão dentre aquelas que haviam lhe feito proposta.

“Estava no Japão há três anos e, na época, estava conversando para retornar ao São Paulo. Mas no final da história acabei indo para o Corinthians, em um ano que a equipe estava em evolução. Também havia chegado o Ronaldo Fenômeno e o Roberto Carlos. Acabei optando pelo Corinthians”, revelou Danilo, que apontou o motivo da decisão”, contou o jogador.

“Eu vi o que era melhor no momento. No São Paulo, graças a Deus, eu tinha uma história muito bonita e foi muito bom o tempo que eu fiquei lá. Na época, sentei com o Gilmar Rinaldi, que era o meu empresário e sabe muito de futebol. O empresário nessa hora é fundamental. Por ele também ter jogador futebol [o ex-goleiro atuou no Flamengo, Internacional, São Paulo e na seleção], achamos que naquele momento o Corinthians estava em ascensão. Fizemos a escolha certa porque as coisas acabaram se encaminhando muito bem na minha carreira”, finalizou.

NÚMEROS DE DANILO PELO SÃO PAULO

Pelo Tricolor do Morumbi, Danilo disputou 193 jogos (111 vitórias, 44 empates e 38 derrotas), 37 gols e conquistou quatro títulos (Paulista 2005, Libertadores 2005, Mundial 2005 e Brasileirão 2006).

Danilo é traidor ou foi traído?

 

Fonte: Meu Tricolor

São Paulo e Corinthians entram em quadra nesta terça-feira pelo NBB

Em momentos distintos, São Paulo e Corinthians voltam às quadras pelo Novo Basquete Brasil (NBB). Nesta terça-feira, o Tricolor encara o o Bauru, no Ginásio Panela de Pressão. Enquanto o Timão, que busca uma sequência de vitórias, enfrenta o Mogi das Cruzes, no Ginásio Professor Hugo Ramos. Os confrontos vão ser iniciados no mesmo horário: às 20h (horário de Brasília).

O São Paulo soma 18 vitórias e ainda ocupa a terceira colocação no NBB, o que corresponde a 75% de aproveitamento. Este grande desempenho dentro das quadras pode ser responsabilizado pelo trio Georginho, Leo Meindl e Shamell. Os jogadores são destaques nas estatísticas do torneio.

O Bauru, adversário do Tricolor, por sua vez, ainda não conseguiu uma regularidade na competição e ocupa a 12ª posição. A equipe tem apenas 45,8% de rendimento até o momento.

PARA DRIBLAR A DIFICULDADE…

Em oitavo na tabela de classificação, o Corinthians tem 12 triunfos e 12 derrotas, sendo 50% de rendimento. A equipe apresenta muita dificuldade para concluir as cestas com êxito, somando apenas 88 de saldo. No entanto, o seu adversário desta terça-feira também tem um saldo ruim, apesar de positivo, 51.

Se o Timão não tem trio, Fuller pode tentar suprir essa ausência. O americano naturalizado peruano marcou 24 pontos e deu 7 assistências na vitória contra o Pato Basquete. Ele pode ser a esperança para as vitórias do time.

Lance

São Paulo quebra invencibilidade de 48 jogos do Corinthians no Feminino

São Paulo e Corinthians se enfrentaram na tarde deste sábado (29) pela quarta rodada do Brasileirão Feminino. Os gols do tricolor foram marcados por Gláucia e Duda. Em Cotia, o São Paulo jogou melhor e promoveu a primeira derrota da equipe alvinegra em 11 meses. Eram 48 partidas de invencibilidade.

Jogando em casa, o São Paulo abriu o placar aos 20 minutos de jogo. A atacante Gláucia recebeu cruzamento na área e cabeceou firme para dentro do gol. 1 a 0 para o São Paulo, que passou a jogar com tranquilidade e dominou as ações do jogo.

Durante o primeiro tempo, o São Paulo foi muito agressivo na marcação e conseguiu limitar as ações do ataque corintiano. Com uma linha muito alta e sempre pressionando as jogadoras com a bola, não deu muitas chances para a equipe alvinegra. No final da primeira etapa, aos 41, o Tricolor ampliou o placar: Carol fez boa jogada e rolou para Duda, que marcou o segundo.

Na segunda etapa, o Corinthians voltou melhor e pressionou a defesa do São Paulo, que se comportou muito bem e não deu espaço para as atacantes alvinegras. No fim do jogo, a equipe do Corinthians pareceu cansar e já não conseguiu criar grandes chances. O São Paulo administrou o resultado e conseguiu a primeira vitória em casa no torneio.

Agora, o São Paulo tem mais um clássico pela frente no Brasileirão Feminino: viaja até Vinhedo para enfrentar o Palmeiras. Já o Corinthians recebe a Ferroviária no Parque São Jorge, em reedição da final do ano passado.

UOL

São Paulo x Corinthians já tem 36 mil ingressos vendidos

O São Paulo já vendeu 36 mil ingressos para o clássico deste sábado, às 19h, contra o Corinthians, no Morumbi. A partida pela sexta rodada do Paulistão só terá torcedores do Tricolor no estádio.

As entradas seguem sendo comercializados pelo site da Total Acesso e nas bilheterias físicas. Vários setores já estão esgotados.

Os ingressos para esta partida variam de R$ 40 a R$ 240, sem contar meia-entrada e descontos para sócios-torcedores.

BILHETERIAS DO MORUMBI

12/02 a 14/02 – das 10h às 17h
Atendimento ao público geral: bilheteria 03
Atendimento a cadeiras cativas: bilheteria 01
Atendimento a camarotes: bilheteria 03 interna

15/02 (dia do jogo)
Atendimento ao público geral: bilheteria 03 – das 10h às 19h45
Atendimento ao torcedor PCD: bilheteria 06 – das 13h às 19h45
______

DEMAIS PONTOS DE VENDA PARA TORCIDA DO SÃO PAULO
*sujeitos a disponibilidade

Estádio Conde Rodolfo Crespi – Juventus
Rua Javari, 117, Moóca – São Paulo
13 e 14/02, das 11h às 17h

Estádio Anacleto Campanella
Rua Walter Tomé, 64 – São Caetano
12, 13 e 14/02, das 11h às 17h

Ginásio do Ibirapuera
Rua Manuel da Nóbrega, 1361 – São Paulo
12, 13 e 14/02, das 11h às 17h

————————————————–

NÃO HÁ VENDA DE INGRESSOS PARA A TORCIDA VISITANTE
————————————————–

Lance

Veja as promessas de Corinthians, Santos, São Paulo e Palmeiras na Copinha

 

Gazeta Esportiva

Pela primeira vez na história, Liberta terá os quatro grandes clubes de SP

Pela primeira vez na história, os quatro grandes clubes paulistas disputarão juntos a Copa Libertadores da América. Na noite da última quarta-feira, o Corinthians venceu o Ceará, no Castelão, por 1 a 0, e se garantiu no principal torneio de clubes da América do Sul, se juntando aos seus rivais Palmeiras, Santos e São Paulo – já classificados com, pelo menos, duas rodadas de antecedência do fim do Brasileirão.

Disputada desde 1960, a Copa Libertadores jamais recebeu as quatro principais forças do estado de São Paulo juntas. Em 2016, 2013 e 2006, o Trio de Ferro da capital paulista – formado por Corinthians, Palmeiras e São Paulo – esteve presente, mas sem o Peixe. Na temporada 2005, vencida pelo Tricolor do Morumbi, o torneio contou com a presença de Palmeiras, Santos e São Paulo, mas com a ausência do Timão.

Em 2020, o caminho mais complicado certamente será o do Corinthians. Isto porque, o clube do Parque São Jorge é o único que não está classificado diretamente para a fase de grupos. Antes de igualar seus rivais, o Timão precisa passar por dois confrontos eliminatórios, que embora ainda não tenham data divulgada, acontecerão em janeiro e/ou fevereiro.

Caso o Alvinegro confirme sua presença na fase de grupos do principal torneio de clubes da Conmebol, há a possibilidade do Timão cair em um dos grupos de seus rivais, gerando assim clássicos já nos primeiros confrontos da Copa Libertadores 2020.

Donos de oito títulos da Copa Libertadores, os grandes paulistas já protagonizaram jogos memoráveis no torneio continental, como os confrontos históricos entre Corinthians e Palmeiras, em 1999 e 2000, a semifinal da edição 2012, envolvendo o Santos de Neymar e companhia e o Corinthians de Tite, ou até mesmo o tabu imposto pelo São Paulo ao Verdão, que nunca venceu o rival do Morumbi nesta competição.

As participações de cada um dos grandes paulistas na Copa Libertadores*:

Corinthians – 15 (1977, 1991, 1996, 1999, 2000, 2003, 2006, 2010, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016 e 2018);

Palmeiras – 20 (1961, 1968, 1971, 1973, 1974, 1979, 1994, 1995, 1999, 2000, 2001, 2005, 2006, 2009, 2013, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020);

Santos – 15  (1962, 1963, 1964, 1965, 1984, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011, 2012, 2017, 2018 e 2020);

São Paulo – 20 (1972, 1974, 1978, 1982, 1987, 1992, 1993, 1994, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013, 2015, 2016, 2019 e 2020)

*Em negrito, os anos em que cada um dos clubes conquistou o torneio

Lance

São Paulo, Inter e Corinthians fazem o campeonato da mediocridade, diz Rizek

O apresentador André Rizek criticou os desempenhos de São Paulo, Internacional e Corinthians no Campeonato Brasileiro. Analisando, durante o Seleção SporTV de hoje, as primeiras colocações do Campeonato Brasileiro, assim como a briga por vagas na próxima edição da Libertadores, o jornalista chamou o campeonato do trio de ‘medíocre’ e ‘incompetente’.

“São Paulo, Inter e Corinthians fazem o campeonato da mediocridade. Campeonato do sono, da mediocridade, da incompetência. Aliás, o campeonato deles é parecido em quase tudo, porque eles trocaram de técnico durante a competição e não deu em nada. A troca de treinador não deu em nada em nenhum dos três”, afirmou Rizek.

“Não foi uma troca para corrigir rumos, foi uma troca para punir o técnico anterior”, completou Martín Fernandez.

Já sobre a luta por uma vaga direta na próxima Libertadores, Lédio Carmona acredita que o tricolor paulista, sexto colocado, diferentemente do ano passado, conseguirá a classificação.

“Eu acho que o São Paulo pega a vaga. Não é que seja um grande ato de heroísmo, é que os outros são piores”, opinou.

UOL

Rony no São Paulo? Confira!

Athletico vira bola da vez no mercado e faz tática para evitar desmanche

Campeão da Copa Sul-Americana de 2018 e da Copa do Brasil deste ano sem investir tanto para montar o seu elenco, com um teto salarial baixo quando comparado a outros clubes brasileiros, o Athletico-PR virou a bola da vez no mercado da bola nacional. Jogadores como Rony e Bruno Guimarães devem ser alvos de propostas das principais equipes do país e de times do exterior. Por isso, os paranaenses já criaram uma estratégia para tentar evitar a saída dos atletas.

São Paulo, por exemplo, até mostrou disposição para tentar fazer uma investida por Rony. Já Bruno Guimarães é bem avaliado no Corinthians. No entanto, o que afasta os rivais é a questão financeira. Coincidentemente, o Tricolor paulista é hoje treinado por Fernando Diniz, que trabalhou no Athletico em 2018, e o Alvinegro será dirigido em 2020 por Tiago Nunes, que estava à frente do Furacão.

Fonte: UOL Esportes

Em grande duelo Majestoso, são-paulinas terão que buscar virada fora de casa

Após mais de um mês de espera, a bola voltou a rolar pelo Campeonato Paulista Feminino. Os primeiros 90 minutos das finais entre São Paulo e Corinthians aconteceram no Morumbi, na manhã deste sábado (2). Sob forte calor, as duas equipes fizeram um grande jogo, bastante equilibrado, com maiores chances do Tricolor, mas vitória simples das adversárias.

A vaga para às finais foi conquista sobre o Santos, ainda em 21 de setembro. Porém, com a ida do Corinthians para a Libertadores, a competição Estadual parou por mais de um mês. Neste tempo, as atletas do São Paulo disputaram um torneio quadrangular para manter o ritmo de jogo, a Copa Paulista, em que foram vice-campeãs. Neste mesmo campeonato, o técnico Lucas Piccinato perdeu por contusão a camisa 10, Ary, que rompeu os ligamentos do cotovelo, Jaja e Chaiane, com problemas no tornozelo. Driely se contundiu em treinamento, enquanto Ottilia passou por cirurgia após lesão ainda nas semifinais do Paulista.

Por outro lado, o comandante voltou a contar com Yaya, que estava com lesão no tornozelo, sendo dispensada da Seleção Brasileira Sub-20, e Jaqueline, que voltou após vestir a camisa verde e amarela. Com esse elenco à disposição, o time foi a campo com Carla, Antônia, Thaís, Bruna, Natane, Cris, Yaya, Brenda, Giovana, Cristiane e Valéria. O São Paulo começou propondo seu estilo de jogo e chegando na área, porém, foi o Corinthians que abriu o marcador com Crivellari, no início de jogo.

O Tricolor continuou se impondo no jogo e chegou com perigo em algumas oportunidades. A jogada que mais funcionava era o cruzamento de Valéria para a finalização de Cristiane, que deu trabalho para a goleira alvinegra. Yaya foi derrubada na área, mas o árbitro nada marcou. Quando o adversário chegava, a zaga são-paulina funcionava, não alterando o placar do primeiro tempo.

No segundo, o time do Morumbi voltou com o mesmo time e a mesma raça, empurrado pela torcida, que cantava sem parar e jogava junto, mesmo sob forte calor. Em mais um cruzamento de Valéria, a zaga corintiana afastou a bola com a mão, mas o árbitro novamente não interpretou desta forma, não marcando nada. Jaqueline entrou no lugar de Giovana, dando ainda mais volume ao ataque. Cristiane quase deixou tudo igual em uma finalização de bicicleta, que saiu rente a trave. Roberta substituiu Brenda. As tentativas de chegada foram inúmeras, mas o Tricolor saiu derrotado pelo gol no primeiro tempo.

A partida de volta e decisiva está marcada para 16 de novembro, em Itaquera, apenas com torcedores do Corinthians. A partida terá transmissão da Sportv, Rede Vida, Tv Cultura e FPF TV. O Tricolor precisará vencer por uma vitória simples para levar o duelo para os pênaltis ou mais para conquistar o troféu no tempo regulamentar.

FICHA TÉCNICA:
Escalação: Carla, Antônia, Thaís, Bruna, Natane, Cris, Yaya, Brenda (Roberta), Giovana (Jaqueline), Cristiane e Valéria.
Técnico: Lucas Piccinato

saopaulofc.net

Criticado pela torcida, Daniel Alves é o que mais corre pelo São Paulo

Em apenas três meses, Daniel Alves já deixou a capa de herói e passou a ser alvo de críticas no São Paulo. Até a dedicação do camisa 10 torcedores chegaram a questionar. Faltaria mesmo esforço do astro? Para analisar a questão, o UOL Esporte teve acesso a dados internos do clube sobre o desempenho do lateral direito. Quando atuou por 90 minutos com a camisa do Tricolor paulista, ele foi invariavelmente quem mais correu em campo. A melhor marca registrada foi na vitória por 2 a 1 sobre o Fortaleza, no Pacaembu, quando correu 11,8 quilômetros.

A média do veterano pelo Campeonato Brasileiro, atuando tanto como lateral direito quanto no meio de campo, tem sido de 11 quilômetros percorridos por partida. Das 15 vezes em que entrou em campo, o único jogo em que ele precisou ser substituído no triunfo sobre a Chapecoense, fora de casa, quando sentiu desconforto muscular na coxa direita.

Daniel Alves teve até agora participação direta em quatro gols do São Paulo – sendo que nestes jogos o time balançou as redes apenas 11 vezes. Em três oportunidades ele deu assistências para os companheiros e, na estreia contra o Ceará, deixou a sua marca. São números que deixam muitos torcedores variando da desconfiança às críticas, considerando a elevada expectativa criada por sua contratação.

Curiosamente, quando atuava na Europa, o jogador também apresentou desempenho semelhante temporada após temporada (veja lista abaixo). Vale destacar que, na maior parte destes casos, os seus times tinham ataques bem mais efetivos. O ponto fora da curva nos 15 primeiros jogos do brasileiro em cada temporada foi em 2017, pelo Paris Saint-Germain, quando fez três gols e deu cinco assistências.

Segundo o Footstats, ele foi um dos quem mais deu passes para finalizações dos companheiros, com 35 ações do tipo. Além disso, só é superado no número de assistências de gols por Antony (que tem cinco em 25 confrontos). Ele ainda conseguiu desarmar os adversários em 30 oportunidades.

Primeiros 15 jogos de Daniel Alves por temporada desde 2003:

2003 – Sevilla – 2 gols
2004 – Sevilla – 0
2005 – Sevilla – 1 gol, 3 assistências
2006 – Sevilla – 1 assistência
2007 – Sevilla – 3 assistências
2008 – Barcelona – 1 gol, 3 assistências
2009 – Barcelona – 1 gol, 3 assistências
2010 – Barcelona – 2 gols, 3 assistências
2011 – Barcelona – 1 gol, 3 assistências
2012 – Barcelona – 1 gol, 1 assistência
2013 – Barcelona – 2 gols, 1 assistência
2014 – Barcelona – 3 assistências
2015 – Barcelona – 0
2016 – Juventus – 2 gols, 2 assistências
2017 – PSG – 3 gols, 5 assistências
2018 – PSG (lesionado, Copa)
2019 – São Paulo – 1 gol, 3 assistências

UOL

Sub-17: São-paulinos venceram o Corinthians no Pacaembu na manhã deste sábado (02)

A equipe Sub-17 venceu o Corinthians na manhã deste sábado (02), no Pacaembu, em jogo válido pela primeira semifinal do Campeonato Paulista. Os tricolores superaram o rival por 2 a 1, gols de Marquinhos e contra.

O São Paulo demorou para engrenar, mas quando conseguiu, teve grandes chances. Marquinhos fez a jogada pela esquerda e cruzou para a área, Theo finalizou cruzado, mas o goleiro conseguiu pegar. Outra boa chance saiu aos 25, com Cachoeira, em chute de fora da área que o goleiro encaixou.

Aos 36 minutos, o Tricolor abriu o placar com Marquinhos. O atacante recebeu na direita, levou para o meio e mandou a bomba, sem chances de defesa para o goleiro. Apesar de terminar melhor o primeiro tempo, o tricolor sofreu o empate nos minutos iniciais da segunda etapa, após duas ótimas defesas de Young.

Em busca da vitória, os são-paulinos foram pra cima, e o técnico Rafael Paiva mudou a equipe aos 18 minutos: entraram Cauê e João Adriano, saíram Talles Wander e Pagé. Em um lance pouco depois, um jogador do Corinthians foi expulso ao pisar em Cachoeira.

A insistência são-paulina surtiu efeito aos 32 minutos. João Adriano fez o cruzamento e Cauê subiu com o zagueiro, que desviou de cabeça para o próprio gol. A partida de volta está marcada para o próximo sábado (09), ainda sem local definido.

São Paulo: Young; Vinicius (Flávio), Pablo, Luizão e Gabriel; Léo, Théo (Palmberg), Pagé (João Adriano), Cachoeira, Marquinhos e Talles Wander (Caue)
Técnico: Rafael Paiva

Sub-15 perde
Já a equipe infantil sofreu um revés no início das semifinais. O Tricolor foi derrotado pelo Santos na manhã deste sábado, no estádio Ulrico Mursa: 3×0. O segundo confronto acontecerá no próximo final de semana, com mando são-paulino.

saopaulofc.net

Na gana pelo título inédito, São Paulo e Corinthians se enfrentam na final do Campeonato Paulista

#FinalMajestosa do Campeonato Paulista de 2019 está aí e será um clássico. O São Paulo recebe o Corinthians no Morumbi neste sábado (2) a partir das 11h (de Brasília) pela partida de ida da final.

Nesta sexta-feira, estiveram presentes em coletiva de imprensa os técnicos Arthur Elias e Lucas Piccinado, a Coordenadora de Futebol Feminino da Federação Paulista Aline Pellegrino e as jogadoras Cristiane Pardal.

O São Paulo vai em busca do tricampeonato, enquanto o Corinthians, tenta título inédito após ter batido na trave no ano passado, contra o Santos, e terminado com o vice. Porém, para o elenco atual, independente do lado que a taça ficar, será a primeira conquista de um paulista.

O comandante do São Paulo, que assumiu um time 100% novo e teve um ótimo retrospecto em 2019, conquistando acesso para a Série A-1 da próxima temporada e o título da A-2, reconhece a importância de cada jogo e afirma estar com ‘muita gana e garra para conseguir o título’.

“Desde que entrei no Centro Olímpico, eu e Arthur [Elias] disputamos alguns paulistas juntos e batemos na trave duas vezes. É uma competição dura demais, difícil demais. Todos os jogos têm uma importância muito grande”, disse o técnico, relembrando o bom retrospecto dentro de casa. São 7 vitórias em 9 jogos.

Já Arthur Elias, que vem embalado de título da Libertadores da América e do vice-campeonato brasileiro, também carrega o gostinho amargo de ser o único título que ainda não tem. O técnico conquistou o vice três vezes e reconhece que o time merece.

“A equipe faz uma temporada fantástica, estamos jogando um futebol merecedor para chegar nas finais. Dos últimos 10 campeonatos que disputei, cheguei a 9 finais e está 4 a 4. Quero desempatar isto para ficar mais favorável”, finalizou Arthur, relembrando que a partida de volta será dentro de casa, mas que deve ser decidido só nos minutos finais.

Para Cristiane, que passou a maioria da temporada fora das partidas por conta de lesão, mas conseguiu se recuperar para a final, é um título absurdamente importante mesmo que já tenha jogado fora do país e conquistado todos os títulos nacionais.

“Sempre gostei [do Paulista]. É um campeonato muito competitivo, muito bacana, as equipes do interior são chatas de jogar contra, dão um baita trabalho”, falou Cris.

“Vindo esse título vai ser muito importante para o grupo todo e para mim também, todo mundo quer contar no currículo quando parar de jogar, é o único que eu não tenho dentro do Brasil”, ressaltou uma das maiores jogadoras do futebol feminino.

Já para a zagueira Pardal, a mentalidade é simples: vencer. Com boas expectativas, ela também espera levantar a taça pela primeira vez.

“A expectativa é muito boa, esperamos sair vencedores, também não tenho esse título Paulista, tá faltando o Paulista. Ano passado batemos na trave contra o Santos e espero que esse ano possamos sair vitoriosas”, disse.

A partida tem tudo para ser uma das maiores da história do futebol paulista, que terá transmissões multiplataforma pela primeira vez, bem como a abertura do Morumbi e da Arena Corinthians para que elas aconteçam.

As duas equipes se encontram pela primeira vez desde 2001, quando se enfrentaram pelo mesmo campeonato e a vitória foi do Corinthians por 4 a 2. Os dois já se enfrentaram cinco vezes, com quatro vitórias são paulina.

ESPN