26 anos do bicampeonato da Copa Libertadores da América

Após conquistar a América e o mundo pela primeira vez, em 1992, o São Paulo repetiu a dose no ano seguinte e de modo ainda mais convincente. A temporada começou com a equipe Tricolor jogando até quatro vezes por semana (somente em abril o SPFC jogou 16 vezes em 30 dias e, por falta de datas, recusou-se até a jogar o Torneio Rio-São Paulo).

Na Copa Libertadores, ao menos, o São Paulo teve o calendário um pouco aliviado por ser, então, o atual campeão. Desta maneira, entrou na segunda fase da competição, já no “mata-mata”. O mais curioso, entretanto, é que o primeiro adversário que enfrentou foi justamente o último combatido no ano anterior: o Newell’s Old Boys, equipe argentina, que vinha sedenta pela chance de desforra.

E os “hermanos” começaram bem. Motivados, venceram a primeira partida, em Rosario, por 2×0. Não foi o suficiente. No Morumbi, mesmo com Raí enfaixado, com o pulso quebrado, os tricolores massacraram os argentinos por 4×0.

Nas quartas de final e semifinais, o Tricolor eliminou o Flamengo – que naquele mesmo ano enfrentaríamos novamente em uma das finais mais inesquecíveis do futebol, a Supercopa da Libertadores – e o Cerro Porteño, de Gamarra, Arce e do técnico Carpegiani. A final foi contra a Universidad Católica, do Chile, que havia eliminado a equipe base da famosa seleção colombiana do início da década de 90, o América de Cali.

No primeiro jogo, em casa, o Tricolor proporcionou a maior goleada da história das finais da Libertadores até hoje. 5×1, fora o baile. Gols de López, contra, Vítor, Gilmar, Raí e Müller. Especial menção também a Zetti, que realizou uma série memorável de quatro defesas seguidas. Após o fim do jogo, ao técnico chileno só restou aplaudir: “O São Paulo é um time de mestres, uma equipe iluminada”.

Posto isto, o resultado da partida de volta, no Chile (Católica 2 x 0), realizada em 26 de maio de 1993, não importou muito, e os tricolores puderam comemorar a América aos seus pés pela segunda, e não última, vez… Confira Aqui

 

Fonte: saopaulofc.net

Anúncios

São Paulo deve ter reforços para sequência antes da Copa América

Desfalques são uma realidade com a qual Cuca tem tido que lidar desde que assumiu efetivamente o comando do São Paulo. No entanto, a situação de alguns atletas está prestes a mudar a partir desta semana e o treinador deve ter pelo menos dois reforços já para o compromisso do próximo domingo, contra o Bahia, no Estádio do Morumbi, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

Após a partida com o Fortaleza, que marcou o reencontro do São Paulo com Rogério Ceni e terminou com vitória do Tricolor do Morumbi por 1 a 0, com gol marcado por Hernanes, o treinador revelou que deve ter ao menos dois novos jogadores à disposição para trabalhar durante a semana e escalar em breve.

“Pelo menos uns dois a gente vai ter à disposição para que domingo a gente faça um bom jogo. O Campeonato Brasileiro é difícil e todos os jogos são importantes para a gente continuar vencendo”, disse.

Apesar de não ter citado nominalmente os atletas que irão voltar, Cuca deve contar com os retornos de Luan e Alexandre Pato, que correram em campo na última sexta-feira e deram início a transição para o campo após um período de recuperação de suas respectivas lesões. A expectativa é de que ambos trabalhem com o grupo já na próxima terça, na reapresentação.

Fora de ação desde a decisão do Campeonato Paulista, contra o Corinthians, Luan sofreu um estiramento na coxa esquerda. Já Alexandre Pato teve uma pequena lesão na região cervical durante o empate por 1 a 1 com o Flamengo, no domingo passado, após pancada por trás de Thuler.

“Isso não é uma questão, não tem um culpado. Foi um pré-temporada que em três dias estava jogando. O jogador não teve tempo para se preparar, para fortalecer. Fi se fortalecendo jogo a jogo e o índice de lesão cresce. Não é um planejamento errado, era o que tinha que acontecer. No meio do ano vamos deixar a equipe mais fortalecida em todos os aspectos”, explicou Cuca sobre os lesionados.

Terceiro colocado do Campeonato Brasileiro com 10 pontos, o São Paulo terá a semana cheia para trabalhar visando o próximo compromisso da competição, no próximo domingo, às 11h (de Brasília), no Estádio do Morumbi, diante do Bahia. O confronto, inclusive, será repetido na quarta-feira seguinte, pela primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Tricolor é finalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior

Pelas semifinais da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Tricolor encarou o Guarani na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara. Mais uma vez com o apoio da torcida, o São Paulo venceu por 5 a 2 e está na final do torneio. Com gols de Antony (2), Fabinho, Paulinho e Vitinho, o time de Cotia estará no Pacaembu na sexta-feira, dia 25 de janeiro, na decisão do mais tradicional torneio de base do Brasil.

Sem poder contar com seu principal artilheiro, Gabriel Novaes, suspenso, o técnico Orlando Ribeiro optou por colocar Danilo na composição do ataque. Com isso, o Tricolor iniciou a partida com Thiago Couto, Caio, Tuta, Morato e Welington; Diego, Rodrigo Nestor e Paulinho; Antony, Danilo e Fabinho.

Se a temperatura ambiente era de 36 graus, a do jogo também era alta. Logo aos três minutos, Rodrigo Nestor roubou a bola e lançou para Antony, que saiu cara a cara com o goleiro e não perdoou, 1 a 0. Quatro minutos depois, o camisa 7 quase ampliou, mas a bola raspou a trave pelo lado de fora.

O São Paulo era mais agudo no ataque, enquanto o Guarani tentava assustar nos contra-ataques. Aos 25 minutos, Danilo desarmou o atacante do Bugre na bola, mas o árbitro erroneamente marcou falta e aplicou cartão amarelo. Fabinho, Antony e Paulinho tiveram boas oportunidades, mas o goleiro Guilherme apareceu bem, defendendo sua meta.

Aos 44 minutos, Danilo fez grande jogada dentro da área, passou pelo marcador e também pelas mãos de Guilherme, mas a bola pegou na trave e voltou para o goleiro. Nos acréscimos, Diego sentiu a coxa esquerda, mas seguiu no jogo. Os times foram para o intervalo e na volta foram surpreendidos com a queda de energia de uma das torres de refletores, o que atrasou o segundo tempo em 17 minutos.

Com a bola rolando novamente, Fabinho, aos 5 minutos cruzou, Rodrigo Nestor desequilibrado tentou de letra, mas saiu sem força. Aos 7 minutos, foi a vez de Fabinho receber um passe na medida de Rodrigo Nestor, 2 a 0 São Paulo. Danilo mais uma vez carimbou o travessão, inflamando ainda mais a torcida, que não parava de cantar na Arena.

Aos 18 minutos, Paulinho cruzou na área e o bugrino cortou com a mão, pênalti para o São Paulo, que foi cobrado por Fabinho, mas o goleiro Guilherme defendeu. Na sequência, mostrando que não havia abalado o time, o Tricolor foi para cima. Antony, de novo, arriscou de fora da área, no cantinho esquerdo, ampliando, 3 a 0.

Com dores na coxa, Diego foi substituído por Marcos Jr, enquanto Ed Carlos substituiu Fabinho. Na sequência, Antony e Danilo deram espaço para Sena e Weverson atuarem nos 20 minutos finais. Com 30 minutos, o Guarani diminuiu. Entraram Vitinho e Fasson, saindo Welington e Rodrigo Nestor. Ainda deu tempo para mais gols são-paulinos: Paulinho recebeu de Vitinho e finalizou. Aos 47, o Guarani diminuiu mais uma vez, mas o Tricolor fez mais um com Vitinho no apito final.

Com a vitória, o Tricolor será finalista da 50ª Copa São Paulo de Futebol Júnior. Essa é a décima primeira vez que o time do Morumbi chega em uma final do torneio, sendo que venceu três, 1993, 2000 e 2010. No ano passado, esteve na final, mas foi derrotado por 1 a 0 pelo Flamengo.

O São Paulo enfrenta o Vasco na decisão – os cariocas eliminaram o Corinthians. A final está marcada para dia 25 de janeiro, sexta-feira, às 15h30, no estádio do Pacaembu.

São Paulo: Thiago Couto, Caio, Tuta, Morato e Welington (Vitinho); Diego (Marcos Jr), Rodrigo Nestor (Fasson) e Paulinho; Antony (Sena), Danilo (Weverson) e Fabinho (Ed Carlos)
Técnico: Orlando Ribeiro

 

Fonte: saopaulofc.net

Em entrevista ao jornal peruano Cueva fala sobre futuro no São Paulo

Christian Cueva não pensa em deixar o São Paulo após a disputa da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Em entrevista ao jornal peruano Libero publicada neste domingo, o meia afirmou que só pensa em cumprir seu contrato, deixando de lado especulações que o ligam a clubes da Europa e dos Estados Unidos.

“Eu não falo essas coisas, na verdade. Tenho contrato com o São Paulo até 2021. De minha parte, seria irresponsável falar de outro clube”, anunciou Cueva.

Lugano diz que Carneiro deve estrear no São Paulo após a Copa, mas faz um alerta sobre a lesão

Em viagem à Rússia a convite da Conmebol e da Fifa, para seguir as partidas do Uruguai, Lugano também está aproveitando para sondar reforços para o São Paulo, mas não deixa de acompanhar a rotina do clube e falou com propriedade sobre a situação de Gonzalo Carneiro.

Há dois meses, o atacante foi contratado pelo Tricolor junto ao Defensor Sporting, do Uruguai, por U$ 800 mil por 50% dos direitos e não conseguiu vê-lo em ação devido a uma lesão no púbis.

“Gonzalo está treinando e se dedicando. Ontem, fez dois períodos intensos, muito fortes, e nada sentiu“, disse, em entrevista ao Globoesporte.com, e projetou contar com o jogador após o Mundial.

“Imaginamos que ele possa jogar na volta da Copa do Mundo, mas é preciso cuidado, porque é o tipo de lesão traiçoeira, que pode voltar, se não for bem tratada. Tomara que aguente. É muito bom jogador“, completou.

Além de Gonzalo Carneiro, o técnico Diego Aguirre conta com Diego Souza, Brenner e Santiago Tréllez brigando pelo posto de centroavante do esquema de 4-2-3-1.

Torcedores.com