São Paulo segue Daniel Alves de perto, mas vê Copa América valorizá-lo e não cria expectativas

São Paulo tem interesse em Daniel Alves e está em cima da situação do lateral. Mas o clube não cria grandes expectativas pela contratação, pois vê poucas chances de fechar com o jogador.

O Tricolor mantém conversas e segue a situação de perto, mas aguarda uma sinalização de Daniel Alves de que ele deseja voltar ao Brasil para, então, fazer uma proposta oficial. O clube ouviu que o jogador está de férias e pensando na carreira, e sabe que o lateral não precisa ter pressa para definir seu futuro.

Antes da Copa América, o São Paulo pensava em buscar o lateral-direito, cujo contrato com o PSG terminaria em junho, mas viu o desempenho do capitão da Seleção “atrapalhar” esse desejo. O jogador de 36 anos foi eleito o craque da competição, se valorizou no mercado e ficou em evidência para mais clubes.

Fora do PSG, Daniel Alves está livre. Por isso, a janela internacional de transferências para vindas ao Brasil, fechada desde a última quarta-feira, não afeta sua situação, assim como para uma possível transferência aos clubes da Europa. O São Paulo sabe que não tem como competir financeiramente pelo jogador e matém enorme cautela.

Daniel Alves não tem pressa para definir futuro; São Paulo monitora lateral — Foto: Getty ImagesDaniel Alves não tem pressa para definir futuro; São Paulo monitora lateral — Foto: Getty Images

Daniel Alves não tem pressa para definir futuro; São Paulo monitora lateral — Foto: Getty Images

 

Paralelamente a isso, o São Paulo precisaria livrar mais a folha salarial para poder fazer um investimento desse nível. Atletas como Bruno Peres e Jucilei, fora dos planos, continuam com futuro indefinido. O lateral tem possibilidades na Itália (o Genoa é uma delas) e treina separado no CT da Barra Funda. Já o volante não tem usado as instalações do Tricolor.

O técnico Cuca quer a contratação de um lateral para fechar o elenco. Hoje Igor Vinicius é a única opção de ofício. O atleta, inclusive, tem Daniel Alves como referência. Hudson pode ser improvisado no setor, mas prefere atuar como volante.

No mercado, João Pedro era um nome que Cuca aprovava, mas não foi unanimidade na diretoria e se transferiu ao Bahia. O uruguaio Martín Cáceres foi consultado, mas prefere ficar na Europa. Juanfran, livre após sair do Atletico de Madrid, é elogiado na direção, mas não é unanimidade na comissão técnica. Ele foi oferecido em junho. Adriano, ex-Besiktas, foi alvo, mas o São Paulo desistiu da negociação e atleta acertou com o Athletico-PR.

Globo Esporte

Anúncios

São Paulo tenta contratação de Daniel Alves desde a Copa América

Pode parecer um sonho quase impossível, mas o São Paulo trabalha nos bastidores há pelo menos um mês na tentativa de contratar Daniel Alves. Com direito à proposta oficial. A informação sobre o interesse, revelada ao Blog por um empresário influente, foi confirmada por uma fonte são-paulina.

Os grandes problema são a concorrência europeia e as cifras. Daniel Alves tem ofertas da Juventus, da Itália, além de dois times da Espanha e um da Inglaterra.

Ainda assim, o Tricolor tem uma vantagem em relação aos rivais: foi quem ofereceu o maior tempo de contrato. Se Daniel Alves assinar com o São Paulo, ficará no Morumbi por dois anos e meio, ou seja, até dezembro de 2021, quando o lateral-direito já terá 38 anos de idade.

As conversas entre São Paulo e representantes de Daniel Alves começaram durante a Copa América. O fato de ser torcedor tricolor poderia virar um trunfo – o capitão da seleção brasileira nunca escondeu que era são-paulino durante a infância na Bahia e que gostaria de encerrar a carreira no clube do coração.

Daniel Alves tem pedido aos clubes europeus, entre salários e luvas, algo na casa dos € 5 milhões (R$ 21,1 milhões) por temporada. Isso equivale a R$ 1,7 milhão por mês, algo que nenhum atleta no futebol brasileiro ganha.

O lateral, de 36 anos, está livre no mercado desde junho, quando terminou seu contrato com o PSG. Nos últimos dias, o jogador brincou em uma postagem sobre a necessidade de procurar emprego.

Jorge Nicola

Mais de 218 mil torcedores e arrecadação de R$ 58, 7 milhões: São Paulo se despede da Copa América

Chegou ao fim a participação da cidade de São Paulo na Copa América. Depois de receber seis jogos do principal torneio do continente, a capital paulista recebeu 218.522 torcedores nas partidas realizadas na Arena Corinthians e no Morumbi e, ao todo, registrou faturamento de mais de R$ 58 milhões apenas com a venda de ingressos.

Cidade mais populosa do país, São Paulo recebeu oito das 12 seleções participantes da Copa América. Apenas Uruguai, Paraguai, Equador e Venezuela não apareceram na capital paulista, que registrou média de 36.420 torcedores em cada uma das seis partidas que sediou. A renda média foi de R$ 9.787.473 milhões de reais.

Os duas vitórias da Seleção Brasileira com maior diferença de gols (3×0 na Bolívia e 5×0 no Peru) aconteceram em São Paulo. A seleção chilena, quarta colocada no torneio, também aplicou uma goleada ao vencer o Japão, no Morumbi, por 4 a 0. Apesar disso, a média de gols não foi das mais altas. Ao todo, as redes foram balançadas 16 vezes, o que dá 2,66 gols por partida. O duelo entre Colômbia e Chile foi o único sem gols.

A participação de São Paulo na Copa América ainda rendeu cifras milionárias à Conmebol, que viu R$ 58.724.840,00 entrarem em seus cofres. Apenas a abertura do torneio, entre Brasil e Bolívia, registrou mais de R$ 22 milhões em arrecadação com bilheteria. Ainda há valores não divulgados como comercialização de produtos oficiais, patrocinadores e alimentos e bebidas dentro dos estádios.

Outro ponto positivo foi a qualidade dos gramados, principalmente da Arena Corinthians. O técnico Tite chegou a elogiar o campo do estádio alvinegro e classificou o gramado do Morumbi como um ‘tapete’. Jogadores de outras seleções elogiaram o mesmo ponto.

Assim como o Morumbi já foi devolvido ao São Paulo, a Arena Corinthians voltará às mãos do Timão nos próximos dias. Vale lembrar que no dia 14 de julho, o Alvinegro recebe o CSA pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Um dia antes, o Morumbi sedia o clássico entre São Paulo e Palmeiras também pela competição nacional.

Os jogos da Copa América realizados em São Paulo:

14/6 – Morumbi – Brasil 3×0 Bolívia – 47.619 pagantes – R$ 22.476.630
17/6 – Morumbi – Japão 0x4 Chile – 23.242 pagantes- R$ 4.701.930
19/6 – Morumbi – Colômbia 1×0 Catar – 22.079 pagantes – R$ 5.385.300
22/6 – Arena Corinthians – Brasil 5×0 Peru – 42.317 pagantes – R$ 10.009.630
28/6 – Arena Corinthians – Colômbia 0x0 Chile – 41.692 pagantes – R$ 8.971.600
6/7 – Arena Corinthians – Argentina 2×1 Chile – 41.573 pagantes – R$ 7.180.285

 

Fonte: Lance

Arboleda admite propostas e pode deixar o São Paulo após a Copa América

Em busca de uma redenção na atual temporada, Cuca quer seu elenco na ponta dos cascos assim que o Campeonato Brasileiro recomeçar – ao término da Copa América. Por isso, o treinador do ?São Paulo já está fazendo uma “faxina” no plantel, no sentido de liberar quem anda encostado, e aguarda por reforços pontuais. Além disso, o mentor tricolor tem consciência de que pode perder peças importantes nesta janela de transferências.

Um dos alvos do Tricolor dando o que falar no mercado europeu é o zagueiro Arboleda, que vem jogando de titular sob o comando de Cuca. O beque está defendendo atualmente a seleção do Equador na Copa América, mas andou questionado a respeito de possíveis propostas. Há alguns meses, ele teve o nome ligado a um suposto interesse do Atlético de Madrid (ESP).

“A verdade é que a minha cabeça está no São Paulo. Por aí existem muitos rumores, muitas propostas, mas a minha cabeça está com o São Paulo e com a seleção neste momento. Vamos esperar. Vou deixar que a diretoria resolva essas coisas aí. Agora, estou pensando na Copa América e em fazer um bom trabalho para voltar ao São Paulo com a cabeça boa”, declarou o defensor de 23 anos.

Nos bastidores, a informação é de que não haverá definição sobre o futuro de Arboleda antes do torneio entre seleções. Aos 27 anos, o zagueiro tem uma idade considerada ideal para uma transferência. Além do Atlético de Madrid (ESP), clubes da Inglaterra também andaram sondando o equatoriano, que tem vínculo no Morumbi até junho de 2022.

Fabito Moino@Fabito_Moino

Gareca seria um ótimo nome para técnico do São Paulo. Cuca não dá.

Veja outros Tweets de Fabito Moino

Na Copa América, Arboleda atuou apenas na derrota para o Chile por 2 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Na estreia, o zagueiro foi preterido na goleada por 4 a 0 sofrida para o Uruguai, em Belo Horizonte. Neste domingo (23), os equatorianos cumprem tabela diante do Japão, novamente no Mineirão. Os sul-americanos são o lanterna do Grupo C e não têm mais chances de classificação para as quartas de final.

 

Fonte: 90min

São Paulo cutuca rivais com Morumbi na Copa América: à frente de arenas

O São Paulo saciou o desejo de receber outra vez uma competição internacional. Após a vitória da Colômbia sobre o Qatar, ontem à noite, o Morumbi fechou a sua participação na Copa América. No total, o estádio recebeu três partidas, sendo uma a de abertura do torneio, com Brasil e Bolívia. Para o Tricolor paulista, o saldo foi positivo. “Totalmente favorável para a gente a Copa América no Morumbi. Não dá para falar em problemas.

Se computar o retorno de mídia internacional, por exemplo, é um ganho muito grande. Estamos bem contentes. Tivemos uma série de itens modernizados, ficamos à frente de outras arenas que foram feitas há quatro anos. Tudo que era muito importante para modernizar o Morumbi, dentro das condições normais, foi feito. Cada um vê de um jeito. Tem gente que acha que cobrir é modernizar, eu gosto de estádio, eu não gosto de arena. Para mim, é tudo parecido [em arena]”, disse Eduardo Rebouças, diretor executivo de infraestrutura do clube.

Para ser palco do evento, o Morumbi precisou passar por algumas obras, ganhou dois telões e uma nova iluminação. O clube não revela o quanto foi investido, mas a reportagem apurou que o São Paulo desembolsou cerca de R$ 10 milhões. A reforma dos vestiários contou com a verba oriunda do patrocínio da Ambev. “Todas as medidas de maior custo vão serão rateadas de uma maneira inteligente. O patrocínio do telão vai pagar. É claro que temos de dispor de um pouco de dinheiro, mas fizemos tudo muito enxuto”, afirmou Eduardo.

“Temos uma iluminação de ponta, que os outros estádios não têm, nosso gramado drena em cinco minutos, o telão e o vestiários foram reformados. Estamos no patamar dos melhores. Nós chegamos na ponta, temos o que é o melhor. O Morumbi entra para o grupo dos maiores estádios do Brasil”, completou o dirigente. Os dois telões foram instalados nas arquibancadas. Durante a partida entre Chile e Japão, uma das peças apresentou problemas em alguns instantes. O equipamento funcionou normalmente ontem, na despedida da competição. “Todas as questões já estão sanadas. Encontramos o problema. Recebemos o equipamento em cima da hora. O telão é de ótima qualidade e checamos tudo”, garantiu o dirigente, que vai deixar o Morumbi à disposição do São Paulo a partir de hoje.

Segundo apurou a reportagem, a organização também viu de maneira positiva a passagem da Copa América pelo Morumbi. Mesmo com a necessidade de algumas adaptações serem feitas para os padrões Fifa, tudo aconteceu da maneira esperada. Vale destacar que a cidade de São Paulo ainda receberá três partidas – Brasil contra o Peru, no sábado, um duelo das quartas de final e a disputa do terceiro lugar – todos na Arena Corinthians.

Sonho tricolor

O São Paulo teve o sonho frustrado de receber a Copa do Mundo, em 2014. A partir de outubro de 2007, quando o Brasil fora confirmado como a sede da principal competição do planeta, o clube criou um projeto para modernizar o estádio.

Mas o plano tricolor virou pesadelo no dia 1º de setembro de 2010, quando o arquirrival Corinthians anunciou de maneira oficial a construção da Arena. Antes, a diretoria do São Paulo lutou para colocar as suas ideias em prática e cumprir os requisitos impostos pela Fifa. Projetos brotaram.

O renomado arquiteto e designer Ruy Ohtake apresentou a sua peça. Cobertura para a arquibancada, campo mais próximo dos torcedores, novos vestiários, túnel de acesso para os jogadores, estacionamento e novo centro de imprensa estavam entre as obras.

O pacote contemplava também uma estação de metrô e uma série de benfeitorias na região. No entanto, a maior parte dessas promessas só saiu do papel após 2014, e sem qualquer relação com o Mundial. O então todo-poderoso do Comitê Organizador e da CBF, Ricardo Teixeira, deu preferência para a parceria com Andrés Sanchez, do Corinthians, que também tinha o apoio do ex-presidente Lula.

 

Fonte: UOL

Em apenas três jogos, Conmebol gera renda de R$ 32,5 mi no Morumbi

O estádio do Morumbi encerrou sua participação na Copa América e registrou renda de R$ 32,5 milhões em apenas três partidas. O valor é quase o dobro alcançado pelo São Paulo nas nove partidas que o Tricolor fez em sua casa nesta temporada.

Nesta quarta, a Conmebol divulgou mais de 22 mil torcedores presentes no Morumbi para acompanhar a vitória da Colômbia sobre o Qatar, por 1 a 0. A entidade que organiza o futebol sul-americano faturou mais de R$ 5 milhões apenas com esta partida.

Somando a bilheteria arrecada nos jogos entre Brasil e Bolívia, e Chile e Japão, a Conmebol registrou um total de R$ 32,5 milhões apenas nos jogos realizados no Morumbi. As cifras milionárias não refletem arquibancadas lotadas, já que o estádio teve uma média de 30.558 presentes por partida, menos da metada da capacidade do Morumbi.

A efeito de comparação, o São Paulo – dono do estádio – registra renda de bilheteria de R$ 20,3 milhões em todos os seus jogos como mandante na temporada. Vale lembrar que o Tricolor fez alguns jogos no Pacaembu no início do ano por conta de reformas e também neste mês justamente por conta da Copa América.

Considerando apenas os jogos realizados no Morumbi, o clube tem R$ 17,8 milhões arrecadados com bilheteria em 2019. Vale lembrar que o São Paulo disputou a final do Paulistão com o Corinthians (58.713 pagantes) em seu estádio e também recebeu outro grande público no duelo contra o Talleres (44.737 pagantes), pela Copa Libertadores. Mesmo assim, os números não fazem páreo aos arrecadados pela Conmebol.

 

Fonte: Lance

Retorno de Pablo se aproxima com pausa para a Copa América

A pausa no calendário para a disputa da Copa América tem sido proveitosa para o atacante Pablo, que aproveitou este período para iniciar o processo de transição do REFFIS para o gramado, onde realiza trabalhos com os preparadores físicos após cirurgia para retirada de um cisto artrossinovial na região lombar da coluna.

Diariamente no CT da Barra Funda, o jogador se aproxima do retorno ao alternar atividades fisioterápicas no REFFIS com exercícios com bola.

Assim, seguindo a programação da comissão técnica, a expectativa é de que o atleta reintegre o elenco já na próxima semana, quando o Tricolor iniciará os preparativos para a sequência do Campeonato Brasileiro.

A rotina de treinamentos do atacante inclui circuito físico, que aprimora o condicionamento, e exercícios técnicos que priorizam os fundamentos, como passes, cabeceios e finalizações, sempre com alternâncias de velocidade, direção e intensidade.

“O trabalho é forte e simula atividades que o elenco realiza, e tenho me sentido muito bem, feliz. A recuperação está no caminho certo, tenho aproveitado este período para aprimorar a forma física e sinto que a evolução é diária”, afirma Pablo, que realizou a cirurgia no dia 18 de abril.

“O Pablo tem cumprido todas as metas diárias que estipulamos, e os treinos são monitorados para manter esta evolução do atleta. O processo de transição é importante para dar mais confiança ao jogador antes do retorno, e felizmente ele tem conseguido avançar em todas as etapas”, destaca o preparador físico Pedro Campos.

 

Fonte: saopaulofc.net

Morumbi recebe Colômbia x Catar, pela Copa América

O Morumbi recebe nesta quarta-feira (19), às 18h30, um embate nunca ocorrido antes no gramado do estádio: Colômbia contra Catar, pela Copa América 2019. Será o primeiro jogo da seleção asiática nos domínios do Tricolor, mas a equipe sul-americana, e o futebol colombiano de modo geral, tem muita história para contar, relacionada com o São Paulo.

Conheça ou relembre alguns pontos dessa trajetória:

A relação são-paulina com a Colômbia se iniciou em 1955: a primeira excursão para lá foi uma série invicta de cinco amistosos (duas vitórias, três empates). O confronto pioneiro foi contra o Atlético Nacional: 2 a 2, no dia 25 de junho. Quatro anos depois, o Tricolor retornou ao país para mais seis partidas, também não competitivas. Nesta oportunidade, conheceu as duas primeiras derrotas, mas o saldo ainda foi positivo: três vitórias, um empate.

O primeiro troféu são-paulino obtido em solo colombiano foi o Torneio Quadrangular de Cali, em 1960. A campanha, invicta, foi de duas vitórias (contra Huracán, da Argentina, 1 x 0; e Deportivo Cali, 4 x 1) e um empate (na estreia, 2 x 2 contra o América local). Naquela mesma viagem, participou também do Quadrangular de Medellín, mas neste conquistou apenas uma vitória (4 x 0) sobre o Atletico Nacional.

Outra série de amistosos invictos se deu em 1962, com seis vitórias em oito jogos, incluindo duas goleadas com cinco gols marcados: 5 x 2 no Independiente Medellín e 5 a 0 no Once Caldas. A última partida da era “amistosa” dos jogos na Colômbia foi em 1963, e o Tricolor perdeu por 3 a 2 para o Santa Fé.

Em 1974, a primeira partida de competição oficial: pela 2ª fase Copa Libertadores, o São Paulo empatou em 0 a 0 com o Millonarios, em Bogotá. O confronto se deu no grupo semifinal, que tinha ainda a participação do Defensor Lima, do Peru. No Brasil, os tricolores venceram os colombianos por 4 a 0. Ao fim da fase, os paulistas se classificaram à final. Na era “competitiva”, trazer bons resultados da Colômbia tornou-se um fato muito mais difícil. De 1974 até hoje, foram 12 jogos válidos por Libertadores, Supercopa e Copa Sul-Americana e o desempenho do São Paulo foi de duas vitórias, três empates e sete derrotas.

Ao todo, o Tricolor fez 50 partidas contra times ou combinados colombianos, com 23 vitórias, 13 empates e 14 derrotas; 92 gols marcados e 56 sofridos. Fora dessa relação se encontra, porém, a partida mais distinta do Tricolor contra colombianos. Foi a realizada em 15 de março de 1994: um amistoso em Bogotá contra a Seleção da Colômbia – a mesma que foi a sensação das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo por golear a Argentina, fora de casa, por 5 a 0, meses antes. O São Paulo, bicampeão mundial e da Libertadores, fez um jogo parelho, mas acabou derrotado por 1 a 0.

A Seleção Colombiana também realizou um jogo no Cícero Pompeu de Toledo, mas contra o time do Brasil. Pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, no dia 15 de novembro de 2000, a Seleção Brasileira venceu a Colombiana por 1 a 0, gol de Roque Júnior aos 47 minutos do segundo tempo, em partida que ficou para sempre lembrada como aquela em que Rogério Ceni tentou fazer um gol de falta com a camisa canarinho e pela manifestação crítica da torcida em relação ao desempenho dos jogadores nacionais, apesar da vitória.

Apesar de todo este histórico, a primeira recordação de qualquer tricolor quando pensa na Colômbia é referente ao atacante Victor Hugo Aristizábal, que defendeu as cores são-paulinas entre 1996 e 1998, chegando a representar o clube em uma Copa do Mundo pela seleção do país dele. Aristizábal fez gol de bicicleta (contra o Palmeiras, em 1996) e muito sucesso no Morumbi. O jogador completou 81 partidas e 37 gols pelo time – quinto maior artilheiro estrangeiro da história do São Paulo – e foi campeão paulista em 1998. Após Aristizábal, chegaram ao Tricolor os colombianos Pabon (2014), Wilder (2015) e Tréllez (2018/19), que, contudo, não repetiram o mesmo vitorioso desempenho.

Já no banco de reservas, a única experiência são-paulina com um treinador colombiano foi com Juan Carlos Osorio, em 2015. O técnico, que possuía um estilo ousado e ofensivo de postar a equipe, permaneceu à frente do grupo em 26 partidas (11 vitórias, 7 empates e 8 derrotas), quando deixou o clube para assumir o comando da Seleção do México, em preparação para a Copa do Mundo de 2018.

 

Fonte: saopaulofc.net

São Paulo prevê ajustes em telão que apresentou falha em Japão x Chile

Um dos novos telões do estádio do Morumbi parou de funcionar durante o confronto entre Japão e Chile, pela primeira rodada do Grupo C da Copa América, na noite desta segunda-feira. Instalada na última terça-feira, a peça sofreram um problema técnico de fibras e fusões, uma espécie de mau contato, durante o primeiro tempo da disputa, a segunda a partida sediada pelo local na competição.

A primeira vez em que a reportagem observou a falha após o encerramento dos hinos, quando a partida estava prestes a começar. A partir dali, sempre que a transmissão era mudada da câmera aberta para algum replay ou algum outro detalhe, a mesma parte ficava apagada. Houve falhas que duraram mais de dois minutos.

Tomás Rosolino

@TomasRosolino

Recém-inaugura, telão do Morumbi já apresenta falhas. Seguidas vezes fica com a parte superior direita apagada. Por enquanto, tem voltado ao normal de vez em quando. pic.twitter.com/YmnaN5mw7K

Vídeo incorporado

Veja outros Tweets de Tomás Rosolino

Apesar de no segundo tempo os telões terem funcionado normalmente, eles passarão por ajustes nesta terça-feira, segundo o diretor de infraestrutura do São Paulo, Eduardo Rebouças. A próxima partida da Copa América que acontecerá no estádio será na quarta-feira, entre Colômbia e Catar.

Os telões fazem parte das modernizações que foram feitas no estádio do Morumbi para sediar a Copa América. Além deles, um novo túnel que dá acesso ao gramado foi construído e os vestiários foram reformados e ampliados, agora contando até mesmo com hidromassagem.

Os novos telões do Morumbi têm 20,16 metros de largura por 7,68 metros de altura e pesam 24 toneladas cada. Além disso, a resolução da imagem é de 2016 x 768 pixels, prometendo imagem de qualidade apesar da distância das arquibancadas para a estrutura.

 

Fonte: Terra

Arena Corinthians e Morumbi terão reconhecimento facial também após a Copa América

Uma das principais preocupações da Conmebol para a Copa América, a segurança do torneio terá um recurso importante para prevenir a entrada de “barras-bravas” e de torcedores condenados pela justiça na Arena Corinthians e no Morumbi, os dois estádios que são sede de jogos em São Paulo: o reconhecimento facial – a tecnologia também estará presente em outros estádios da competição.

Segundo César Saad, chefe da segurança na Sede de São Paulo, a tecnologia vai continuar também após o torneio continental, e será usada em jogos do Brasileirão.

São Paulo terá também unidade móvel de uma delegacia montada na frente dos estádios — Foto: Maurício Oliveira São Paulo terá também unidade móvel de uma delegacia montada na frente dos estádios — Foto: Maurício Oliveira

São Paulo terá também unidade móvel de uma delegacia montada na frente dos estádios — Foto: Maurício Oliveira

 

Serão dois tipos de sistemas usados durante a Copa América, um da Polícia Civil de São Paulo e um da própria Conmebol:

  1. Da Polícia Civil de SP: Com banco de dados próprio e com câmeras em frente ao portão principal do Morumbi, apontada para os torcedores que entram no estádio. Qualquer pessoa que tiver mandado de prisão e for identificada será detida. Haverá também câmeras dentro do estádio.
  2. Conmebol: A organizadora do torneio vai instalar outras câmeras, ainda em fase de teste, para impedir que “barra-bravas fichados” entrem nos estádios. Caso eles sejam identificados, serão deportados – nesta sexta-feira dois torcedores argentinos já foram deportados de volta ao país.

São Paulo montou um plano de segurança que prevê desde atiradores de elite até proibição de bebidas alcoólicas no entorno dos estádios. Há também uma portaria baixada pelo Ministério da Justiça que proíbe a entrada no país de barras-bravas que constem em uma lista de torcedores violentos – dois argentinos já foram deportados logo ao chegarem no Brasil.

Além do sistema de reconhecimento facial, para a estreia da Seleção Brasileira nesta sexta-feira, no Morumbi, às 21h30, a segurança contará também com uma base de delegacia móvel montada em frente aos estádios.

Fonte: Globo Esporte

Saiba quanto o São Paulo vai faturar com o Morumbi na Copa América

O São Paulo terá direito a aproximadamente R$ 1,5 milhão, líquido, pela cessão do Morumbi para três partidas da Copa América. Além do jogo de abertura do torneio, entre Brasil e Bolívia, nesta sexta, o estádio tricolor ainda abrigará os confrontos entre Colômbia x Catar e Chile x Japão, todos pela fase de grupos.

O acordo firmado entre o São Paulo e a Conmebol, que organiza a Copa América, prevê um valor de R$ 500 mil de aluguel por cada partida.

Assim que o Morumbi foi confirmado como uma das sedes do torneio, o São Paulo iniciou uma série de melhorias no estádio. O torcedor que compareceu ao estádio nesta sexta-feira já se deparou com dois novos telões, de 154m2, cada, acima das arquibancadas centrais.

Também foi realizada reforma e modernização dos vestiários, que passaram de 110m2 quadrados para 200m2. O Tricolor ainda construiu um novo túnel de acesso ao gramado, agora com oito metros de largura (quase quatro vezes maior que o antigo), os novos refletores que aumentaram em mais de três vezes a capacidade de iluminação e ainda proporcionam uma economia de quase 40% no consumo de energia.

 

Fonte: Blog do Jorge Nicola

Confira a situação dos jogadores que podem chegar e sair do Tricolor na pausa para a Copa América

Com a parada para a Copa América o São Paulo está de olho na janela de transferência do meio do ano. Além da possibilidade de realizar algumas contratações, o Tricolor aguarda as propostas de outros clubes por seus jogadores. A ideia da diretoria é aproveitar o período de contratações para fazer caixa.

A pedido de Cuca o clube está no mercado em busca de um lateral e um centroavante, o lateral Adriano, de saída do Besiktas, tem conversa avançada com o Tricolor.

O atacante Juan Dinenno, emprestado do Racing ao Deportivo Cali, é alvo, mas a negociação poderá evoluir mais na abertura da janela internacional de transferências, em julho. Ricardo Oliveira, do Atlético-MG, foi um nome especulado nos bastidores do clube porém o atacante já atuou 7 vezes com a camisa do Atlético no Brasileirão e não pode defender outro time na competição.

Nesta parada alguns jogadores que não são vistos como atuantes no elenco comandado por Cuca podem deixar o clube. Como por exemplo o Nenê, jogador foi sondado pelo Goiás nos últimos dias

Confira a situação de alguns jogadores que podem chegar e sair do Tricolor na parada da Copa América 

Nenê: Nenê despertou o interesse do Goiás na época em que o São Paulo enfrentou o time goiano, porém os valores para negociação não facilitam o empréstimo do jogador para o clube alviverde. Fora dos planos de Cuca o jogador deve assinar um empréstimo com outro clube nessa parada para a Copa América.

Adriano: Segundo o Globoesporte.com o que impede a negociação entre São Paulo e Adriano de ser fechada imediatamente é a falta de um acerto financeiro. Clube e jogador tentam achar um meio termo entre o que o Tricolor deseja pagar e o que atleta quer receber, entre salários e luvas . O interesse dos dois lados permanece.

Juan Dinneno: Segundo apurou o UOL Esporte, o Tricolor paulista não conseguiu avançar da maneira que esperava nas negociações e estuda alternativas no mercado da bola, o clube não formalizou ainda uma proposta para o Racing, que não se mostra tão disposto a facilitar a transferência, porém ainda vê o atacante como preferência para o setor.

Tiago Volpi: Nesta semana, o site mexicano “Mediotiempo” noticiou que a diretoria do Querétaro tinha interesse na volta antecipada de Tiago Volpi, porém segundo o Globoesporte.com o goleiro afirmou que vai ficar no clube ao menos até o fim do ano, quando vence o contrato de empréstimo com o Querétaro, do México.

Antony:O São Paulo sabe que Antony é alvo de sondagens de diversos clubes europeus, mas avisou ao mercado da bola que não abre negociação para vender o jogador revelado em Cotia. Ou seja, o clube só admite perdê-lo pelo pagamento da multa da rescisória, de 50 milhões de euros

Arboleda: Em entrevista concedida ao SporTV, o jogador falou sobre o seu futuro e das especulações envolvendo o seu nome. Neste momento, ele declarou que o seu foco está na disputa da Copa América e no Tricolor do Morumbi: ”Ainda não sei. Não depende de mim. A minha cabeça, agora, está na seleção equatoriana e no São Paulo, clube que eu respeito muito, que me abriu as portas. Eu estou muito contente em jogar pelo São Paulo”, disse.

Folga de nove dias, reforços, remanejamento e mudanças: veja a entrevista de Cuca no São Paulo

Cuca, do São Paulo, confirmou nove dias de folga ao elenco durante a paralisação para a Copa América, falou em remanejamento de elenco, com busca de contratações em cima de carências, e projetou um time melhor no segundo semestre.

O técnico do São Paulo considerou o empate por 1 a 1 com o Atlético-MG, nesta quinta-feira, no Independência, um resultado que dá um pouco mais de confiança, embora não seja o ideal. Cuca também tratou como naturais as mudanças previstas nos bastidores do clube. O Tricoloravalia uma reestruturação no CT da Barra Funda e profissionais devem sair durante a paralisação.

Veja os principais pontos da entrevista do treinador:

Folga ao elenco

– Vou dar aos jogadores esse final de semana e a semana que vem de folga. São nove dias, criando com isso um ambiente de confiabilidade, um ambiente em que os jogadores sabem que estão em dívida com a gente e a gente em dívida com torcedor. Então a gente vai poder cobrar isso trabalhando concentrado nessas duas semanas. O São Paulo é uma ou quem sabe a única equipe que vai ficar em regime praticamente de concentração, exceção a um ou outro dia. Para mim, três semanas são suficientes tecnicamente para melhorar muito o nosso time, para no segundo semestre, sim, ser aquilo que esperamos.

Clima na reapresentação

– O meu trabalho… eu tenho dois meses e pouco de casa, com jogo em cima de jogo. Agora, entra um trabalho mesmo nesses dias de folga nosso muito importante. Talvez o mais importante de todos, que é o remanejamento, alguma contratação dentro das carências que temos, e três semanas de trabalho. Aí sim, no segundo semestre, entra o meu trabalho. Vivemos um momento de instabilidade técnica dentro do jogo, alternando bons e maus momentos. É um time recém-formado, então o que quero é criar um comprometimento maior com eles, para ter a nossa família, a família São Paulo. E essas três semanas vão me dar uma condição muito boa de fazer tudo isso.

Cuca, técnico do São Paulo, cita remanejamento e prevê time melhor no segundo semestre — Foto: Cristiane Mattos/BP FilmesCuca, técnico do São Paulo, cita remanejamento e prevê time melhor no segundo semestre — Foto: Cristiane Mattos/BP Filmes

Cuca, técnico do São Paulo, cita remanejamento e prevê time melhor no segundo semestre — Foto: Cristiane Mattos/BP Filmes

 

Trabalho no São Paulo longe do ideal?

– O que esperamos do time do São Paulo está longe do que podemos. Não falta entrega e luta, pelo contrário. Vamos trabalhar em cima do que entendemos que é necessário. Agora, o segundo semestre, sem dúvida nenhuma vai ser melhor do que esse primeiro.

Reestruturação

– Isso é mais coisa interna. O São Paulo como um todo é muito grande, gigante, e vai fazer algumas mudanças que lhe cabem. Não só no campo, como fora também. São coisas naturais que as vezes tem de se renovar. Acontece em todos os clubes.

Fonte: Globo Esporte

Leco vai fazer mudanças no Departamento de futebol na pausa da Copa América

Leco, Presidente do São Paulo FC, deverá fazer mudanças no Departamento de Futebol, depois de grupos aliados entregarem um documento pedindo uma reestruturação profunda no CT da Barra Funda.

Confira a matéria do Globoesporte.com.
O São Paulo analisa uma reestruturação no departamento de futebol durante a paralisação para a Copa América. Os grupos (espécies de partidos políticos) da base aliada ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, apoiam mudanças estruturais no CT da Barra Funda.

Essa reformulação vai gerar saídas de profissionais de diferentes áreas. Embora esteja pressionado, o diretor executivo de futebol Raí não teve sua demissão pedida pelos conselheiros. O técnico Cuca também não é citado, mas o trabalho está sob avaliação da direção.

Em meio à crise do São Paulo, na última terça-feira Leco fez uma cobrança geral por mais trabalho na reunião semanal de diretoria, realizada no CT.

Em tom crítico, o presidente abriu a conversa pedindo uma solução de problemas em cada área, e cobrou planejamento e resultado dos responsáveis pelos respectivos departamentos (futebol, jurídico, administrativo, financeiro, marketing e comunicação, entre outros).

Anteriormente, Leco pensava em fazer mudanças no futebol do São Paulo e teve essa ideia reforçada após quatro grupos pedirem uma reestruturação profunda no CT da Barra Funda.

Independentemente dos nomes, esse conselheiros apoiam o presidente para as decisões que forem tomadas. Mas nos bastidores cobram atitudes, pois enxergam um problema estrutural no futebol.

Na última sexta-feira, representantes dos grupos “Vanguarda”, “Legião Tricolor”, “Sempre Tricolor” e “Participação”, além do presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Abranches Pupo Barboza, se reuniram com Leco. Esses grupos representam cerca de 70 conselheiros.

Antes da reunião, eles haviam entregado um documento ao presidente pedindo mudança “firme e rápida” no futebol. Assinaram o documento os conselheiros Harry Massis Junior, Anselmo Cagnin Filho, Adilson Alves Martins e Osvaldo Vieira de Abreu. Os quatro e outros conselheiros também participaram do encontro.

Na conversa de mais de duas horas no Morumbi, os conselheiros não pediram demissões de profissionais específicos. Mas discutiram novas filosofias de trabalho, reavaliação do número de pessoas em cada área, funções dos diretores e o organograma do futebol, entre outros assuntos.

Além de Raí, atualmente trabalham no departamento o gerente Alexandre Pássaro, o coordenador Vagner Mancini e o diretor de relações institucionais Lugano, mais presente no dia a dia do futebol desde março.

A folga ao elenco durante a pausa para a Copa América também foi assunto. Assim como os torcedores, os conselheiros também não gostaram do período de dez dias inicialmente planejado.

O departamento de futebol reavalia esse tempo de descanso e deverá reduzir esse número, pois as metas previstas não foram batidas. O mais provável é que os atletas tenham sete dias de folga. Eles também terão um período de duas semanas de treinos no CT da base, em Cotia.

Ainda na reunião de sexta passada, os conselheiros questionaram o trabalho do departamento médico, preparação física e fisioterapia, entre outros setores do clube. Uma das críticas dos conselheiros é sobre o número de lesões e o tempo de recuperação dos atletas.

Agora, apesar de não haver um prazo, os grupos da base esperam que mudanças sejam feitas no dia a dia do CT e que Leco se sinta apoiado para tomar as atitudes necessárias.

Situação x oposição
No fim de fevereiro, conselheiros da oposição do São Paulo se reuniram com Leco no CT da Barra Funda para pedir a saída de Raí e propor mudanças. Eles apresentaram um documento com dez pontos a serem modificados no clube.

Agora, esse novo movimento da situação pedindo uma reestruturação profunda no futebol gerou uma rusga nos bastidores do São Paulo. Isso porque os opositores reivindicam que essa pauta foi levantada por eles há três meses e meio. Conselheiros da situação dizem, no entanto, que o foco e os temas das conversas com o presidente foram diferentes.

 

Fonte: Globo Esporte