Lisca alfineta Nenê e detona arbitragem: “Apitou todas as faltas para o São Paulo e nenhuma para nós”

Após a derrota para o São Paulo, neste domingo (26), o técnico do Ceará, Lisca, detonou a arbitragem do confronto, principalmente Wagner Reway, que deu sete cartões amarelos para sua equipe e expulsou Leandro Carvalho por reclamação.

– Tivemos um pênalti claríssimo ao nosso favor aos 27 minutos de jogo, Calyson foi puxado com as duas mãos na frente do árbitro. O árbitro foi muito mal hoje. Nós jogamos contra o São Paulo, a torcida e mais três. Ele apitou todas as faltas para o São Paulo e nenhuma para nós. No lance final expulsou o Leandro e ele (Leandro Carvalho) falou na minha frente: “O bandeira está de sacanagem”, foi isso que ele falou. Não tinha necessidade de expulsar – reclamou.

O treinador ainda aproveitou para Alfinetar Nenê, camisa 10 do Tricolor.

– Não vamos tirar o mérito, porque o São Paulo é uma grande equipe. Só pediria para o Nenê não virar a cara. Não precisa virar a cara quando está ganhando o jogo, não é bom isso, tá Nenê?! Você é um grande jogador, um craque, está muito bem no São Paulo, mas não precisa virar a cara não. Você foi bem ajudado hoje pelo trio de arbitragem. Bastante – disparou.

O São Paulo lidera o Brasileirão com 45 pontos, três a mais que o vice-líder do campeonato, o Internacional.

“Tem que ser assim, na raça”

No sufoco, diante de um adversário que cresceu após a pausa para a Copa do Mundo e deu trabalho na manhã deste domingo (26), o Tricolor teve que adotar uma postura aguerrida para defender a liderança do Campeonato Brasileiro. Fechado no campo de defesa, o Ceará dificultou a vida do São Paulo, que apenas na reta final da partida conseguiu balançar as redes para conquistar a vitória por 1 a 0.

“Tem que ser assim, na raça. Todos os jogos do Campeonato Brasileiro são difíceis, mas o time se dedicou para buscar a vitória. A equipe jogou bem e lutou para defender a liderança”, afirmou o atacante Diego Souza, que deu a assistência para o gol marcado pelo lateral-direito Bruno Peres.

Assim como o camisa 9, o meia Nene também destacou o espírito do time. “Vencemos na raça, porque não tivemos muitos espaços para chegar ao ataque. E manteremos essa postura até o final do campeonato. No lance do gol, o Reinaldo fez uma grande jogada e o Diego Souza foi inteligente para dar o passe para o Bruno Peres”, enalteceu.

Com o triunfo, o Tricolor defendeu a liderança do torneio, agora com 45 pontos, e ganhou ânimo extra para o próximo desafio: diante do Fluminense no domingo (2), às 16h, novamente no Estádio Cícero Pompeu de Toledo.

“A gente tem conversado que não vai encontrar jogo fácil no Brasileiro. O Ceará valorizou nossa vitória, e o grupo está de parabéns pela entrega que demonstrou durante o jogo”, acrescentou o zagueiro Anderson Martins. “O campeonato é complicado, mas vamos com tudo em busca de novas vitórias. Fomos felizes pra conquistar os três pontos, e vamos trabalhar para melhorar ainda mais”, emendou Bruno Alves.

 

 

saopaulofc.net

São Paulo martela, vence o Ceará em jogo tenso e mantém liderança do Brasileiro

Os 57 mil torcedores saíram do estádio do Morumbi, neste domingo (26/08), com um sentimento de alívio.

Depois de verem o goleiro Éverson – ex-cria das categorias de base do São Paulo – fazer excelentes defesas e quase garantir o empate, eles comemoraram o gol de Bruno Peres que deu a vitória ao time tricolor por 1 a 0.

O resultado fez a equipe comandada por Diego Aguirre manter a liderança do Campeonato Brasileiro e chegar aos 45 pontos, com quatro a mais do que o vice-líder Internacional.

Já a equipe cearense perdeu a sequência de cinco jogo sem derrotas e permaneceu na vice-lanterna da competição com 18 pontos.

O Jogo

Sem Hudson e Liziero, o técnico uruguaio do São Paulo apostou no jovem Luan ao lado de Jucilei. O garoto não comprometeu e viu seus companheiros de ataque amassarem os visitantes nos minutos iniciais.

O que ninguém esperava é que Everson, com a camisa 01, famosa por causa de Rogério Ceni, pegaria tanto. Em sequência extraordinária, o goleiro evitou gols de Reinaldo e Everton no primeiro tempo. Na etapa final, quando Shaylon já estava na vaga de Luan, Everson voltou a enervar os torcedores tricolores com defesas espetaculares em finalizações de Diego Souza e Nenê.

Sidão, cobrado pelas arquibancadas por causa da demora na reposição da bola, só foi exigido de verdade uma única vez, mas foi fundamental. Cara a cara com Reina, o dono da meta tricolor fez a defesa e, de repente, passou a ter o nome exaltado.

Confira este e outros vídeos em videos.gazetaesportiva.com O alívio desse clima de pressão e impaciência só chegou aos 32 minutos, quando Reinaldo resolveu se redimir de uma atuação ruim. O lateral fez fila dentro da área, rolou para o meio. Sem espaço, Diego Souza achou Bruno Peres, que não perdoou.

Agora, mais tranquilo, o São Paulo terá a semana livre antes de receber o Fluminense, domingo que vem, de novo no Morumbi, às 16h. No mesmo dia, mas de novo às 11h, o Ceará enfrentará o Flamengo, no Maracanã.

O São Paulo teve um grande domínio do jogo no primeiro tempo. Apesar de criar inúmeras chances, os donos da casa pararam nas excelentes defesas do goleiro Éverson.

Na segunda etapa, o time do Morumbi continuou em cima. Depois de perder inúmeras chances, os donos da casa abriram o placar. Reinaldo faz ótima jogada pela esquerda, passou por três marcadores e tocou para Diego Souza. O camisa 9 ajeitou para Bruno Peres, que finalizou no canto direito de Éverson, que não teve chances.

 

ESPN

 

Com o Morumbi lotado, Tricolor recebe o Ceará

Abraçado pela torcida, que comparecerá em grande número na manhã deste domingo (26), às 11h, no Morumbi, o Tricolor defenderá a liderança do Campeonato Brasileiro diante do Ceará em duelo válido pela 21ª rodada. Com 42 pontos, o São Paulo lidera o torneio e terá pela frente um adversário que está no 19º lugar, com 17 pontos.

“O torcedor gosta deste horário e comparece em peso para apoiar o nosso time. E que seja assim mais uma vez neste final de semana. Temos acompanhado a mobilização dos torcedores, que vão lotar o Morumbi, e queremos aproveitar esta energia positiva para brigar pela vitória”, afirmou o goleiro Sidão.

Invicto diante da torcida tricolor no torneio nacional deste ano, o São Paulo foi o melhor mandante do primeiro turno em aproveitamento de pontos, ao lado do Internacional: sete vitórias e apenas dois empates (92,5% de aproveitamento).

“Contamos com o apoio da nossa torcida, assim como aconteceu nos jogos anteriores, e vamos fortalecidos para tentar permanecer na primeira colocação. Queremos seguir no topo, e por isso o jogo de domingo é muito importante”, afirmou o zagueiro Anderson Martins, que teve a opinião compartilhada pelo lateral-direito Bruno Peres.

“É contagiante jogar no Morumbi lotado. E já sabemos que o estádio estará cheio neste domingo. Estamos prontos para representar a torcida em campo, e juntos vamos tentar buscar mais um resultado positivo no campeonato”, disse o ala.

Para o confronto deste final de semana, Hudson foi relacionado, mas segue como dúvida e será reavaliado momentos antes de a bola rolar. O camisa 25 se recupera de dores no joelho direito devido a um trauma na última partida, contra o Paraná Clube, na última quarta-feira (22). Desfalque certo é Liziero, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

SÃO PAULO x CEARÁ

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 26/08/2018 (domingo)

Horário: 11h (de Brasília)

Árbitro: Wagner Reway (MT-Fifa)

Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA-Fifa) e Eduardo Goncalves da Cruz (MS)

 

 

saopaulofc.net

Nenê comenta pressão, artilharia, jogo às 11h e ‘obrigação’ do São Paulo

Quem tem a oportunidade de frequentar o CT da Barra Funda ou o Morumbi em dias de jogos já se acostumou com o estilo de Nenê fora das quatro linhas. Os passos acelerados, seja para treinar ou para ir embora, não o impedem de cumprimentar quem passa por perto e de brincar com os amigos mais íntimos. Nesse ritmo, entre uma ligação e outra para combinar o próximo compromisso, Nenê chegou e se acomodou no banco à beira do gramado do centro de treinamento do São Paulo para uma conversa com a reportagem da Gazeta Esportiva.

De cara, o meia falou sobre o empate frustrante com o Paraná na última rodada do Campeonato Brasileiro. O camisa 10 tricolor concordou com o chefe Diego Aguirre e aproveitou para tentar explicar o motivo de um primeiro tempo tão ruim em Curitiba.


“Foi o primeiro tempo só. O segundo tempo jogamos muito bem, tivemos chance de ganhar o jogo, mas nós não entramos ligados, como vínhamos fazendo. Acho que foi isso. Nos duelos, não estávamos ganhando a primeira bola, eles estavam mais intensos nessa parte. Faltou isso mesmo. Faltou essa concentração, a intensidade”, explicou.

O tropeço na Vila Capanema se somou às vitórias de Internacional e Flamengo. O resultado disso foi a perda de gordura do São Paulo na liderança do nacional por pontos corridos. Pressão a mais para o confronto com o Ceará, nesse domingo, num Morumbi com mais de 60 mil pessoas?

“Não. Está tudo igual. Foi um contratempo, aconteceu. A gente não é robô. Acontece. Um (jogador) ou outro não estando com a mesma concentração acaba acarretando no que aconteceu, mas não é nada demais. É uma lição, sabemos que não tem jogo fácil, e agora é continuar com a mesma coisa, mesmo clima e mesma vontade e determinação de ganhar”, respondeu um dos principais líderes do grupo são-paulino, assim como Diego Souza, Hudson e Sidão.

Se o reflexo do empate com os paranaenses não preocupa Nenê, o horário do jogo contra o Vovô incomoda o meia. Afinal, jogar às 11 horas altera totalmente a programação alimentar dos atletas. A temperatura também poderia preocupar, mas a previsão é de 13°C e muito vento quando a bola rolar.

“É meio ruim. Ainda bem que aqui em São Paulo não é tão calor. Se fosse no Ceará ia ser complicado”, comentou aos risos, aliviado, antes de detalhar o motivo de sua rejeição. “É mais de acordar cedo, ter de comer como se você estivesse almoçando logo de manhã. Depois que começa o jogo, você acaba nem lembrando, tem a motivação do estádio lotado. A parte ruim é mais isso, ter de fazer uma alimentação mais pesada de manhã, um macarrão”, disse, antes de buscar um olhar mais positivo. “O bom é que acaba cedo e dá para estar com a família rápido logo depois, para aproveitar”.

Falando em percepção otimista, as próximas quatro rodadas, na teoria, podem dar ao São Paulo a chance de disparar na ponta da tabela, ou ao menos recuperar sua gordura em relação aos seus concorrentes. É inegável que Inter, Flamengo, Grêmio e Palmeiras terão missões mais árduas a seguir. Nenê, porém, pondera.

“A gente não fica pensando nisso, não. É jogo a jogo mesmo. Não tem jogo fácil, se é o lanterna ou não, a gente viu aí, empatamos com o Paraná. Muita gente falou ‘ah, mas é o último colocado’. Poxa, mas é um time complicado, jogando em casa, pressionado, tendo de buscar resultado. Então, não tem isso de 10º, 8º, 1º, todos os jogos são difíceis, ainda mais quando você está na situação que a gente está. Todo mundo quer ganhar de quem está na primeira colocação. Por isso, a gente não fica imaginando muita coisa, não, além do jogo seguinte”.

O discurso não muda quando o assunto é artilharia. Com o gol marcado na quarta-feira, o meia passou a ser o goleador maior do São Paulo tanto na temporada (12 gols) quanto no Campeonato Brasileiro (8 gols). A boa fase faz lembrar seus momentos áureos no Paris Saint-Germain.

“É bom a gente ficar pensando em época boa, né?”, brincou. “A gente fica lembrando: ‘olha, já fui bom mesmo’”, continuou, bem-humorado. “Mas não tem isso de artilheiro, não. Eu me surpreendo um pouco, claro, porque não é minha primeira função, mas não fico pensando nisso, em gols, em artilharia. Se eu puder fazer, vou ficar feliz, mas é só um lucro, não é uma coisa que eu fico pensando. O mais importante é ganhar os jogos”, avisou, com a serenidade retomada.

A cara só fechou quando o assunto virou para a eventual ‘obrigação de título’ que o São Paulo passou a carregar depois da eliminação na Copa Sul-Americana. Não que Nenê tenha se irritado, longe disso, mas no auge de seus 37 anos, o experiente jogador fez questão de minimizar os comentários nesse sentido e a repercussão que o tema gerou por causa da situação de momento do Tricolor.

“Isso é coisa de rede social, da imprensa, de fora. Agente já sabia do nosso potencial. A gente tinha de estar brigando lá em cima, entre os primeiros colocados, e é isso, jogo a jogo a gente vai focando para a gente estar no lugar que a gente quer. Mas não que ter saído da Sul-Americana nos deixa obrigados a conquistar o título. A gente não tem que sentir esse peso. Não colocamos esse peso em nenhum dia, o de ser campeão, quanto menos o de obrigação”, esclareceu.

De fato, seria surpreendente alguém no São Paulo assumir tal responsabilidade tão cedo, em meio a uma disputa acirrada como tem sido esse Brasileirão. Em compensação, Nenê aproveitou para reiterar a frustração que foi a queda para o Colón no torneio continental, diferentemente do que alguns torcedores e jornalistas imaginaram à época.

“A gente ficou muito frustrado, porque acredito que a gente poderia ter sido campeão da Copa Sul-Americana. Saímos por uma coisa que normalmente não acontece. Jogamos os dois jogos muito melhor que o adversário e acabou acontecendo um resultado adverso”, lamentou, negando qualquer desinteresse do São Paulo.

“Nunca existiu, tanto é que nós demos a vida até o último segundo. Conquistamos o resultado lá e o time acabou nos pênaltis saindo. O goleiro deles fez uma defesa espetacular no pênalti do Bruno (Alves) e acabou acontecendo. A parte boa é que fisicamente teremos mais tempo de recuperação para o Brasileiro, mas não que isso nos obrigue a nada”, concluiu.

 

Gazeta Esportiva

São Paulo mira jogos complicados contra equipes do Z-4

São 25 pontos de diferença entre o líder São Paulo (42) e o penúltimo colocado Ceará (17). No entanto, essa diferença não significa facilidade para o time de Aguirre no jogo deste domingo, às 11h (de Brasília), no Morumbi.

– Não tem jogo fácil no Brasil. Quando você joga contra times que estão brigando para não cair é muito difícil. Se você analisar os jogos, todos se fecham e tentam jogar. Então faz parte: é impossível ganhar todos os jogos. Todos os times vão ter dificuldade – disse Aguirre.

No primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o Tricolor empatou sem gols contra o Ceará, fora de casa. Na última quarta-feira, o time também não conseguiu vencer o lanterna Paraná: 1 a 1 na Vila Capanema.

– Todos os jogos são difíceis. Ninguém joga mais, corre mais quando quer. O São Paulo hoje é líder do campeonato, e o Ceará brigando contra a zona de rebaixamento: cada um com seus objetivos para que sejam alcançados, mas jogos totalmente difíceis – afirmou Diego Souza.

O camisa 9 do Tricolor projeta um Brasileirão mais complicado na metade final da competição.

– Com o segundo turno começando você sabe como as equipes jogam e todo mundo se estuda. Cada jogo que vem a dificuldade aumenta. Independentemente da camisa todos os jogos são difíceis – disse.

Contra o Ceará, Aguirre não terá Liziero (suspenso) e Hudson, com dorres, ainda é dúvida. O treinador não revelou a escalação titular.

Caso o camisa 25 não jogue, Araruna, Luan, Rodrigo Caio e Bruno Peres, são opções para manter um sistema tático parecido ao utilizado nos últimos jogos.

Aguirre pode mexer no jeito de jogar do São Paulo contra o Ceará

O São Paulo pode ter uma nova cara nesse domingo, para a partida contra o Ceará. A partida das 11 horas contará com mais de 60 mil torcedores no Morumbi e também poderá ter uma escalação não tão usual. Tudo por conta de uma precaução com Hudson, que sofreu uma hiperextensão no joelho direito no duelo com o Paraná e, apesar de não ter sido diagnosticado com lesão, deverá ficar de fora nessa 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Liziero, reserva imediato, está suspenso.

Nessa sexta-feira, os trabalhos começaram com uma preleção de aproximadamente 30 minutos no interior do CT da Barra Funda. Em seguida, reservas e jovens da base iniciaram um treino físico com bola em um dos campos.

Pouco depois, os titulares apareceram no gramado e se encaminharam para um campo ao lado. Lá, aguardaram as ordens da comissão técnica antes de uma leve corrida pelo local.

Diego Aguirre não permitiu os jornalistas assistirem mais do que isso da atividade, mas pode ter deixado algumas pistas. Gonzalo Carneiro, por exemplo, esteve o tempo todo com o grupo titular, e não com os reservas, abrindo, então, a possibilidade de uma ideia mais ofensiva do técnico uruguaio para enfrentar o penúltimo colocado do nacional.

Com uma eventual entrada do centroavante uruguaio, Diego Souza seria recuado para o meio de campo e Jucilei ficaria como único volante. Uma postura de quem sabe que vai ter de enfrentar um ferrolho no Morumbi.

Outra opção é Bruno Peres jogar na vaga de Hudson, com Araruna preenchendo a lateral direita. Ambos já foram testados nessas posições nos jogos contra o Colón, pela Copa Sul-Americana.

A mais cautelosa e pragmática das situações seria a entrada do menino Luan, que é da posição e deixaria apenas Jucilei um pouco mais preso. Luan estreou no profissional do São Paulo contra o Cruzeiro, no Mineirão, e agradou.

Nesse sábado, o São Paulo fará os últimos ajustes em treino fechado. A tendência é que Diego Aguirre só mexa na posição de Hudson por necessidade o restante com a mesma escalação que iniciou a partida com o Paraná, na quarta-feira.

 

Gazeta Esportiva

Vai bater recorde? São Paulo vende 56 mil ingressos para jogo contra o Ceará

O São Paulo anunciou nesta quinta-feira que não há mais ingressos em bilheterias e postos de venda para o jogo contra o Ceará, no domingo, às 11h (de Brasília), pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.


Até a tarde desta sexta-feira, o clube contabilizou a venda de 56 mil ingressos para a partida no Morumbi.

A partir de agora, os ingressos restantes serão negociados apenas pela internet, no site Total Acesso. Segundo o São Paulo, os setores ainda disponíveis são cadeiras cativas (apenas para proprietários), camarotes e cadeiras cobertas. Na página de venda, os preços vão de R$ 130 e R$ 200.

Também estão sendo vendidos ingressos para os jogos contra Fluminense (2/9), Bahia (8/9) e América-MG (23/9).

 

 

Globo Esporte

Comissão e equipe adaptam programação para duelo às 11h

Com o duelo contra o Ceará agendado para o próximo domingo (26), às 11h, no Morumbi, a comissão técnica iniciou ainda em Curitiba na manhã desta quinta-feira (23) os preparativos para adaptar os atletas à programação que será utilizada no dia do confronto com os cearenses.

No hotel onde os tricolores ficaram concentrados na capital paranaense, após o empate com o Paraná (1 x 1) na última quarta (22), na Vila Capanema, os são-paulinos acordaram cedo e tiveram um café da manhã reforçado: o brunch – refeição matinal que serve de desjejum e almoço ao mesmo tempo.

Em conjunto com os profissionais do REFFIS, a nutricionista Larissa Aguiar e o coordenador científico Altamiro Bottino organizaram a programação de olho na partida do próximo final de semana. “Sempre realizamos processos de adaptações para os atletas de acordo com os jogos, porque quanto mais adaptados eles se sentem, mais estarão no clima do jogo”, disse a nutricionista, que completou.

“Então trouxemos isso para a alimentação também. Antecipamos o planejamento”, explicou. Desta forma, o intuíto da comissão técnica é fazer com que o café da manhã tenha alimentos corriqueiros no cardápio que antecedem as partidas, como massas e uma série de opções com carboidratos.

“Criamos alternativas para alimentá-los da melhor maneira possível, porque este aporte de energia é importante para o jogo. Nesta refeição pela manhã, às 8h, eles terão macarrão, filé de frango e outras opções que geralmente são servidas no almoço ou jantar. Tudo isso facilitará na adaptação para o jogo de domingo, às 11h”, destacou Larissa Aguiar.

A programação da viagem de Curitiba para São Paulo será similar ao dia do jogo com o Ceará. “Os atletas acordaram cedo hoje, assim como farão no domingo, e tiveram o brunch. Ao chegar em São Paulo, eles treinarão antes da próxima refeição. Esta estratégia criou o ambiente que eles terão no jogo, porque entre a refeição da manhã e o almoço após o jogo teremos um intervalo de muitas horas”, afirmou Bottino, que acrescentou.

“O atleta tem que se alimentar bem para encarar uma partida, então é importante que eles já entrem no clima do jogo e tenham uma rotina similar. Eles terão todos os componentes necessários e que serão disponibilizados antes do jogo, com um cardápio atraente. Vamos fazer de tudo para que o time chegue inteiro e pronto para o jogo de domingo”, finalizou.

 

saopaulofc.net

São Paulo vende mais de 52 mil ingressos para jogo com o Ceará

O São Paulo já vendeu 52 mil ingressos para o jogo contra o Ceará, às 11h de domingo, no Morumbi, pela segunda rodada do returno. Também já foram vendidos 6 mil ingressos para a partida contra o Fluminense, na rodada seguinte, dia 2/9 (domingo).


É possível que o Tricolor quebre o recorde de público do Brasileirão diante do Ceará. O posto pertence neste momento a Fluminense x Flamengo, com 59.987 presentes.

Os ingressos de arquibancada estão esgotados, mas ainda há alguns setores disponíveis. As vendas acontecem pelo site da Total Acesso e em bilheterias físicas (veja a lista abaixo).

> INGRESSOS PARA A TORCIDA DO SÃO PAULO

VALORES
ARQUIBANCADAS ESGOTADAS
Arquibancada Amarela > R$ 35 / R$ 17,50 ½ entrada
Arquibancada Laranja >R$ 35 / R$ 17,50 ½
Arquibancada Azul > R$ 55 / R$ 27,50 ½
Arquibancada Vermelha > R$ 55 / R$ 27,50 ½

CADEIRAS SUPERIORES
Cadeira Superior P16 (antigo setor amarelo) > R$ 80 / R$ 40 ½
Cadeira Superior P05 (antigo setor laranja) > R$ 80 / R$ 40 ½
Cadeira Especial P16 (antigo setor vermelho) > R$ 140 / R$ 70 ½
Cadeira Especial P05 (antigo setor azul) > R$ 140 / R$ 70 ½
Cadeira Cativa P05 (somente proprietário) > R$ 50
Cadeira Cativa P16 (somente proprietário) > R$ 50
*venda nas bilheterias 01, 05 e na Gerência Social (essa última, apenas para sócios)

Setor Morumbi Premium P05 > R$ 200 / R$ 100 ½

CADEIRAS TÉRREAS (VENDA SOMENTE ONLINE) – http://www.totalacesso.com
Cadeiras Térreas P02 e P04 (antigo setor azul) > R$ 80 / R$ 40 ½
Cadeira Térrea P18 (antigo setor vermelho) > R$ 80 / R$ 40 ½
Cadeira Térrea Sócio P02 e P04 > R$ 40
*venda somente na bilheteria da Gerência Social

Setor PCD Acompanhante* > R$ 40
*O PCD terá o direito de comprar até 1 (um) ingresso para seu acompanhante, desde que esta necessidade esteja prevista em sua Carteira de PCD ou seu Laudo Médico. Demais acompanhantes deverão pagar o valor integral do setor, ou, fazer uso do direito da meia entrada mediante a apresentação de documento comprobatório. Os ingressos estão sujeitos ao esgotamento.

CAMAROTES
Espaço do Sócio P04 > R$ 35
*venda somente na bilheteria da Gerência Social

Corporativo (Empresas) > R$ 50
*venda direto com os camarotes

Especial (VENDA SOMENTE ONLINE) > R$ 130

VIP (VENDA SOMENTE ONLINE) > R$ 170

DATAS DE VENDA PARA A TORCIDA DO SÃO PAULO
TOTALACESSO.COM
Venda de ingressos online a todos torcedores a partir das 10h de 21/08/2018;

BILHETERIAS DO MORUMBI
23/08 a 25/08 – das 10h às 17h
Atendimento geral nas bilheterias 01 e 03
Atendimento a camarotes na bilheteria 03 interna
Atendimento a So´cios do Clube, Diretores Adjuntos, Assessores e Sócios proprietários de Cadeiras Cativas somente na bilheteria ao lado da Gerência Social

26/08 (dia do jogo)
Atendimento geral nas bilheterias 01 e 03 – das 7h às 11h45
Bilheterias internas P14, P17-B e Tribuna – das 7h às 11h45
Bilheteria ao lado da Gerência social – das 7h às 11h45

DEMAIS PONTOS DE VENDA PARA TORCIDA DO SÃO PAULO (não abrem em feriados e nem no dia do jogo)

Ginásio do Ibirapuera
Rua Manuel da Nóbrega, 1361 – São Paulo
23, 24 e 25/08, das 11h às 17h

Estádio Conde Rodolfo Crespi
Rua Javari, 117, Moóca – São Paulo
23, 24 e 25/08, das 11h às 17h

Estádio Anacleto Campanella
Rua Walter Tomé, 64 – São Caetano
23, 24 e 25/08, das 11h às 17h

> INGRESSOS PARA A TORCIDA VISITANTE

VALOR
Arquibancada Visitante > R$ 55 / R$ 27,50 ½

VENDA
Somente no dia da partida (26/08), no Estádio do Morumbi: das 9h às 11h45, na bilheteria 05 do portão 15

Empate diante do Paraná vira motivação do Tricolor para reagir contra o Ceará

Os jogadores do Tricolor saíram de campo frustrados com o empate por 1 a 1, diante do Paraná, lanterna do Campeonato Brasileiro. Diego Aguirre e companhia admitiram o tropeço em Curitiba, pela 20ª rodada da competição nacional.


“Sem dúvida, o planejamento era a vitória, sabíamos que ia ser difícil, deles, eles iam dar tudo para sair dessa situação, mas nosso plano era fazer três pontos. Infelizmente, não aconteceu”, disse Sidão.

Além de deixar escapar dois pontos importantes, o São Paulo ainda viu o Internacional vencer o Bahia e diminuir a vantagem que era de três, para apenas um ponto (42 a 41).

Esse cenário fez com que a gana por uma vitória no domingo, em cima do Ceará, no Morumbi, aumentasse ainda mais no elenco são-paulino. Uma vitória é fundamental e enfrentar o penúltimo colocado diante de aproximadamente 60 mil torcedores faz com que a confiança em uma reação imediata da equipe aumente.

“Faltou um pezinho ali, a bola estava passando na frente do gol, faltou alguém empurrar a bola para dentro, mas é vida que segue”, afirmou Reinaldo.

O lateral citou o Internacional que encostou no Tricolor na tabela do Campeonato Brasileiro. “Chegaram perto, mas a gente continua na frente. Espero sair com os três pontos no domingo para continuar na frente e no final ser campeão”, disse.

“Tenho certeza que a gente é uma equipe madura, sabe o que quer na partida, no campeonato. Tenho certeza que esse empate não vai afetar em nada”, avisou Reinaldo.

Nesta quinta-feira, às 13h, o São Paulo se reapresenta no CT da Barra Funda. O time fará apenas dois treinamentos com elenco completo antes da partida de domingo, às 11h. Na sexta e no sábado, as atividades serão realizadas no período da tarde.

Tricolor soma mais pontos após a Copa do que os dois próximos rivais no campeonato inteiro

A conquista dos 18 pontos de 21 (seis vitórias e uma derrota) foi fundamental para levar o São Paulo à liderança do Campeonato Brasileiro. Os pontos somados nesse período supera os conquistados pelos seus dois próximos adversários em toda a competição deste ano.


O Paraná tem 14 pontos em 19 jogos disputados e aparece na lanterna do campeonato. E o Ceará. rival do próximo domingo, é o vice-lanterna, com 17. O Tricolor, nos sete jogos pós-Copa, contabilizou 18 pontos.

“Jogo muito difícil, porque no Brasil não tem jogo fácil. Temos de ir jogar do mesmo jeito que fosse um clássico ou contra um time grande, porque realmente vamos encontrar dificuldades. Primeira coisa é respeitar todos adversários”, declarou Aguirre.


O Atlético-PR, 18º colocado, aparece empatado com o São Paulo pós-Copa, com 18 pontos, mas o número de vitórias do Tricolor é maior – seis para a equipe paulista e quatro para o Furacão.

“Não podemos pensar que somos mais do que ninguém, temos de enfrentar cada jogo como uma final”, aletrou o técnico do São Paulo.

São Paulo vende 40 mil ingressos em sete horas para duelo com Ceará

O Morumbi vai lotar mais uma vez no domingo, às 11 horas. O clube paulista anunciou no fim da tarde dessa terça-feira a venda antecipada de 40 mil ingressos em apenas sete horas de comercialização. Há uma expectativa de recorde de público do Campeonato Brasileiro.


Até agora, o Fla-Flu de 7 de junho, disputado no estádio Mané Garrincha, em Brasília, registrou o maior público pagante do nacional por pontos corridos: 59.987 pessoas adquiriram ingresso na ocasião.

A vitória do São Paulo em cima do Corinthians dia 21 de julho, no Morumbi, levou 58.624 torcedores ao estádio paulistano.

Como o confronto com o Vovô está agendado para acontecer apenas daqui a cinco dias, o clima no São Paulo é de esperança de que a carga total de ingressos seja esgotada, e assim todos os recordes de 2018 sejam batidos.

Em média, o Tricolor tem levado 33.068 torcedores ao Cícero Pompeu de Toledo. O Flamengo é o único à frente nesse ranking, com média de 47.876.

O São Paulo é líder do Campeonato Brasileiro com 41 pontos e, antes de reencontrar seus fãs em casa, terá a missão de encarar o Paraná Clube em Curitiba, às 19h30 desta quarta-feira, pela 20ª rodada. Na Vila Capanema, os ingressos para os visitantes também já se esgotaram.