São Paulo observa o mercado em busca de “verdadeiro” camisa 9

O São Paulo vive boa fase na temporada e está invicto no Campeonato Brasileiro, ocupando a terceira colocação do torneio. Mas diretoria e comissão técnica sabem que o elenco ainda precisa de ajustes. Um deles passa por encontrar um centroavante de ofício.

No atual elenco, nenhum jogador tem essa a características. Cuca tem usado Toró, por apostar na força física do garoto, mas sabe que ele sempre atuou mais como ponta esquerda. Alexandre Pato também chegou a ser usado por ali, mas fica muito distante do jogo ao se enfiar entre os zagueiros.

A aposta são-paulina para esta temporada era Pablo como referência do ataque. Mas uma lesão nas costas o tirou de combate. Existe a chance de que ele só volte a atuar depois da Copa América. E, ainda assim, também não é visto como um verdadeiro centroavante.

Essa busca no mercado não é desesperada. Justamente pela possibilidade de agir na parada da Copa América, com a janela do exterior abrindo. Cuca quer um 9 de mais força, mesmo que não seja um titular absoluto. A ideia é poder mudar a característica do time diante das necessidades de cada partida.

O curioso é que o São Paulo começou o ano com Diego Souza e Santiago Tréllez para a função. O primeiro ficou até março, quando o próprio Cuca deu aval para que a diretoria encontrasse um novo clube para ele. O clube então emprestou o jogador para o Botafogo. Já Tréllez saiu ainda em janeiro, também emprestado, para o Internacional.

 

Fonte: UOL

Anúncios

SPFC vai em busca de atacante, mas valores impedem negociação

O São Paulo voltou a olhar o mercado em busca de reforços e cogitou uma investida pelo atacante Róger Guedes, do Shandong Luneng, da China.

O Tricolor fez uma consulta ao estafe do jogador há quase duas semanas e percebeu que a negociação não seria viável. Principalmente pela parte financeira, já que o Palmeiras vendeu o atleta aos chineses no ano passado por 9,5 milhões de euros (R$ 43 milhões à época), o que inviabilizaria qualquer tentativa de compra.

E como o salário recebido na Ásia é alto, até mesmo um empréstimo é visto como complicado para a realidade tricolor.

Fonte: UOL

Gonzalo Carneiro supera polêmica, mas ainda busca posição ideal no SP

A temporada começou com dúvidas sobre Gonzalo Carneiro. O uruguaio nem sequer foi utilizado na Florida Cup, sentiu que não teria espaço com André Jardine e, incentivado por parte de seus representantes, pensou em deixar o São Paulo. Chegou a não se apresentar para o jogo de estreia no Campeonato Paulista e a levar dura da diretoria tricolor. Passado pouco mais de um mês da polêmica, tudo mudou para o atacante.

Foram só três partidas disputadas em 2019, mas todas como titular. Sua média de tempo em campo se aproxima de 82 minutos. No ano passado, ela era de pouco mais de 32 minutos por jogo – ele atuou 15 vezes. O aumento nas chances recebidas passa por uma mudança de comportamento e também pela melhora física de um jogador que demorou quatro meses para estrear e sofria com uma lesão crônica no púbis.

Durante a polêmica de janeiro, Carneiro foi repreendido pelos dirigentes, mas também recebeu um voto de confiança. O departamento de futebol do São Paulo acredita que o atacante de 23 anos tem potencial e tentou acalmá-lo diante da dúvida de não ter espaço com Jardine. O recado da diretoria falava em paciência e trabalho.

Carneiro realmente precisou esperar e só foi estrear na temporada na quinta rodada do Paulistão, quando o Tricolor venceu o São Bento por 1 a 0 no Pacaembu. O uruguaio foi um dos melhores em campo. Depois, teve atuação discreta na derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, em Campinas, e voltou a ter desempenho elogiado no revés por 2 a 1 para o Corinthians, em Itaquera.

A postura mostrada no clássico deu ainda mais moral para o atacante, que já vinha chamando a atenção nos treinamentos e agarrou a oportunidade dada pelo técnico interino Vagner Mancini. O coordenador técnico, que dirige o time até a chegada de Cuca, pensa em Carneiro como um segundo atacante, que abre na ponta quando necessário, mas que tem a liberdade para cair pelo meio e auxiliar Hernanes na criação.

Essa é uma função mais próxima do que era desempenhado por ele no Defensor, clube que representou desde a infância até ser comprado pelo São Paulo em 2018. Carneiro costumava jogar atrás de um centroavante, com movimentação nas costas dos volantes adversários e espaço para arrancar. Foi assim que construiu o lance que terminou em escanteio e gol de Pablo na Arena Corinthians.

Já no Tricolor, as primeiras chances dadas por Diego Aguirre apareceram quando o time estava perdendo e precisava povoar o ataque para tentar sufocar os adversários. Por hábito, Carneiro saía demais da área e não conseguia contribuir muito para o time. Só quando foi escalado junto de Diego Souza no ataque é que seu jogo começou a fluir mais.

A luta agora será por uma sequência ainda maior como titular, a começar pelo duelo de amanhã, às 17h, contra o Red Bull Brasil, no Morumbi, pela oitava rodada do Paulistão. Até hoje, a maior série de Carneiro como titular foi de quatro partidas, durante o Campeonato Brasileiro do ano passado. No geral, a maior sequência do uruguaio foi de oito jogos. Além disso, precisa ser mais eficiente. Afinal, tem apenas um gol e nunca deu uma assistência nas 18 vezes em que atuou pelo São Paulo.

 

Fonte: UOL

Em busca do tetracampeonato da Copa SP, São Paulo enfrenta o Vasco

Após 23 dias de competição, 126 equipes ficaram para trás, restando apenas São Paulo e Vasco na disputa do título da 50ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. No aniversário de 89 do time do Morumbi e 465 anos da cidade de São Paulo, o torcedor espera comemorar o tetracampeonato da equipe de Cotia, no Pacaembu, nesta sexta-feira, dia 25, às 15h30, no maior torneio de base do país.

Desde o dia 2 de janeiro em Araraquara, jogando na Arena da Fonte Luminosa, o São Paulo, que foi acolhido pelos torcedores do interior, evoluiu em campo e deixou para trás os times da Holanda/AM, Serra/ES, Ferroviária/SP, Rio Claro/SP, Mirassol/SP, Cruzeiro/MG e Guarani/SP, com seis vitórias e dois empates, sendo uma das classificações, diante dos mineiros, nos pênaltis. Agora é a vez da torcida da capital incentivar o Tricolor em busca do tetracampeonato, somando-se aos títulos de 1993, 2000 e 2010.

Com ingressos esgotados, sendo a maioria dos setores destinado aos são-paulinos, o Tricolor entrará em campo nesta tarde reforçado do artilheiro da competição, Gabriel Novaes, que cumpriu suspensão automática na semifinal, diante do Guarani. Danilo, que o substitiuiu na ocasião, será o desfalque da vez, cumprindo suspensão pelo segundo cartão amarelo. Com nove gols até o momento, Novaes terá uma disputa pessoal com Tiago Reis, do Vasco, vice-artilheiro, com um gol a menos.

Sempre visando o aprendizado e a formação de atletas para o time principal, o técnico Orlando Ribeiro aposta em um grande jogo, em que espera que os jogadores aproveitem o momento ao máximo. “É importante vencer, importante que os garotos consigam se destacar sendo campeões. Mas é muito mais importante você chegar a uma final, ou próximo a uma final, e ter a consciência de que, se você não venceu naquele momento, pode vencer muito mais ali na frente. É importante vencer, mas o aprendizado que eles têm é mais importante ainda”, disse o treinador.

“Tudo na base tem que ser usado como aprendizado, porque eles estão se preparando para o profissional, então esse é um momento ímpar. Eles sabem a importância da torcida, sabem a importância do campeonato, a grandeza deste jogo. Independentemente do que acontecer, depois nós vamos nos reunir e conversar sobre o que fizemos de bom, o que temos que ajustar, mas agora é hora de aproveitar o momento”, emendou.

A grande final do principal torneio de base do país envolveu 3.088 atletas, teve mais de 730 gritos de gols e novos jogadores despontando em cenário nacional, atraindo milhares de olhares dos torcedores por mais de 20 dias. O desfecho está marcado para às 15h30, com transmissão da Rede Globo, Sportv, ESPN e Rede Vida.

 

Fonte: saopaulofc.net

Na busca por espaço, Carneiro volta a sofrer problema físico

Gonzalo Carneiro viajou aos EUA com o restante da delegação são-paulina para a disputa da Copa Flórida, mas não foi aproveitado pelo técnico André Jardine. Criticado por não ter dado uma oportunidade ao atacante uruguaio, o comandante tricolor explicou que o atleta vem convivendo com algumas dores musculares neste início de temporada e por isso acabou ficando no banco de reservas.

“O Gonzalo está com uma pequena dor muscular. A nossa ideia era usá-lo hoje, pena que ele sentiu isso”, lamentou o técnico André Jardine.

No treino que antecedeu a primeira partida do São Paulo em 2019, contra o Eintracht Frankfurt, Gonzalo Carneiro treinou em um campo à parte junto com Biro Biro, Edimar, Rodrigo e Tréllez. Imaginava-se, portanto, que o atacante uruguaio receberia uma oportunidade no duelo com o Ajax, o que não aconteceu.

A infelicidade de Carneiro, contudo, não é novidade. No ano passado, o reforço indicado por Diego Aguirre demorou para estrear com a camisa do São Paulo. Anunciado em abril, o atacante só entrou em campo pela primeira vez no fim de julho, na vitória por 3 a 1 sobre o Corinthians.

À época, Gonzalo Carneiro não jogava uma partida oficial desde novembro de 2017. Por conta de uma pubalgia, o uruguaio chegou a ser recusado pelo Grêmio, interessado no jogador, mas um tanto quanto receoso sobre seu estado físico. O São Paulo, por sua vez, apostou no atleta, mandando, inclusive, Diego Lugano ao Uruguai para conversar com ele, e teve de ter paciência, vendo-o treinar ora com o restante do elenco, ora somente na companhia de fisioterapeutas.

Pelo pouco que mostrou, Carneiro pode ser uma opção interessante neste vasto elenco à disposição de André Jardine. Apesar da estatura de centroavante – o uruguaio mede 1,94m -, ele pode atuar também como um segundo atacante, mais aberto. A temporada é longa, é preciso de elenco. A ver como será essa recuperação do jogador.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

SPFC busca por reforços para 2019; veja as posições que estão no radar

A diretoria do São Paulo vai intensificar a partir desta semana a busca por reforços para 2019. Além do anúncio do lateral-direito Igor Vinicius (empréstimo) e do lateral-esquerdo Léo Pelé (compra definitiva e contrato de quatro anos), o Tricolor fará mais contratações na tentativa de montar uma equipe mais competitiva.

O objetivo do São Paulo é dar mais espaço para os jogadores formados em Cotia, como dito recentemente pelo técnico André Jardine. Mas também contratar atletas mais experientes. Um novo goleiro chegou a estar na pauta, mas atualmente não é uma das prioridades.

Veja abaixo, então, quais são as posições que estão no radar do Tricolor:

Segundo volante

A direção do São Paulo está atrás de um volante “de saída”, como costuma dizer. William Arão é o nome que encabeça essa lista. Formado em Cotia, ele teve passagens por Corinthians, Botafogo e agora está no Flamengo. O jogador prioriza ofertas da Europa, mas está aberto a conversas e o São Paulo é forte candidato, caso ele se transfira no mercado interno. Arão, inclusive, foi revelado em Cotia. Por outro lado, o Flamengo não gostaria de negociá-lo com um clube brasileiro.

Meia

Nenê continua sendo o principal nome para a posição em 2019. Mas o jogador de 37 anos não tem atualmente um reserva à altura ou alguém para fazer sombra. A intenção é buscar um jogador mais experiente do que Shaylon, que hoje é o reserva imediato do camisa 10.

Ponta

Com a lesão de Rojas e a dificuldade que teve em encontrar um substituto enquanto Everton esteve machucado, o São Paulo procura também um outro jogador de velocidade para atuar pelas pontas. Helinho terminou a temporada como titular, mas ainda precisa de mais rodagem.

Centroavante

Diego Souza é o dono da posição e termina 2018 como artilheiro da equipe, com 16 gols. Mas também não há um reserva à altura para substituí-lo ou brigar pela posição. Tréllez, apesar dos gols importantes, não tem o mesmo nível técnico. E Gonzalo Carneiro, machucado, segue como incógnita. Brenner, por sua vez. jogou 19 partidas e não conseguiu se firmar.

 

Fonte: Globo Esporte