São Paulo quer se livrar de Diego Souza, Nenê, Bruno e Jucilei até o Brasileirão

O atacante Diego Souza, o meia Nenê, o volante Jucilei e o lateral-direito Bruno Peres não estão nos planos do São Paulo de Cuca. A justificativa apresentada a eles é de que o quarteto não tem o perfil de jogo que o futuro treinador pensa para o Tricolor. Agora, a ideia são-paulina é se livrar deles até no máximo o início do Campeonato Brasileiro.

Além de deixar o time mais rápido, as saídas de Diego, Nenê, Jucilei e Bruno Peres permitiriam que o São Paulo reduzisse em quase R$ 2 milhões por mês sua folha salarial.

O adeus mais próximo é o de Diego Souza, que deve se mandar para o Botafogo. Nas últimas horas, o clube carioca aceitou assumir uma dívida de R$ 3,2 milhões referente à venda de Henrique Almeida e prometeu parcelá-la. Se conseguir garantias bancárias, o Tricolor irá liberar seu centroavante para assinar por dois anos com o Fogão.

Devido à dificuldade com seu fluxo de caixa, o São Paulo descarta fazer qualquer negócio às pressas. Isso significa que o clube pretende se livrar do quarteto sem ter de continuar bancando parte dos salários.

Nenê, por exemplo: o meia tem oferta do Fluminense desde janeiro. Mas o Tricolor carioca alega só ter capacidade financeira para bancar metade dos vencimentos de Nenê, que fatura na casa dos R$ 300 mil mensais. O São Paulo deixou claro que o libera de graça se o Flu assumir 100% dos salários do veterano. Nesta semana, o clube do Morumbi chegou a pedir Calazans para ceder Nenê, ainda que tivesse de colocar algum dinheiro. Mas aí foi o Fluminense quem não se interessou.

Jucilei vive a mesma situação de Nenê, ou seja, sai mesmo se o time que o quiser não desembolsar qualquer centavo na transferência. O ponto é que ele ganha R$ 750 mil mensais, entre salários e luvas, valor que assusta até mesmo clubes estrangeiros.

Por fim, Bruno Peres pertence à Roma e está emprestado até dezembro. Na última janela, o Bologna e o Torino o sondaram. A torcida no Morumbi é para que surja alguém que se acerte com a Roma por um novo empréstimo e assuma 100% dos vencimentos do lateral, que ganha em euros.

 

Fonte: Blog do Jorge Nicola

Anúncios

Lateral direito é emprestado para o Bahia e se despede

O lateral-direito Bruno foi emprestado para o Bahia. Por ter contrato com o São Paulo até dia 31 de dezembro, Bruno não atuará mais pelo Tricolor e já se despediu dos companheiros em definitivo.

Ainda essa semana, Bruno embarcará para Salvador para assinar o contrato até o final dessa temporada. O técnico Diego Aguirre não estava utilizando Bruno, que perdeu espaço até como reserva. Na titularidade estavam revezando Éder Militão e Régis. Como terceiro substituto, Aguirre optava por improvisar Araruna no lugar de Bruno, que virou quarta opção.

Ainda não foram divulgados detalhes, mas o Bahia deve pagar parcialmente o salário do lateral até o final do ano.

Bruno entrou em campo 118 vezes com a camisa do São Paulo e não marcou gols.

São Paulo está perto de emprestar jogador ao Bahia

São Paulo e Bahia estão próximos de um acordo pelo empréstimo do lateral-direito Bruno, até o fim do ano. No Morumbi, o negócio é considerado praticamente fechado.


O contrato de Bruno com o São Paulo vai até dezembro de 2018. Ou seja, ele ficaria livre para permanecer no Bahia ou mudar de clube, depois do empréstimo.

– Uma outra posição que a gente precisa claramente é lateral-direito para repor a saída de João Pedro. A gente tem por regrar não afirmar e não falar sobre negociações porque, no nosso entendimento, isso é ruim para o clube, isso atrapalha. A gente está aí bem conversado e bem avançado com um lateral-direito – disse Guilherme Bellintani, presidente do Bahia.

Sem espaço no Tricolor, Bruno não atua desde o dia 17 de março, na partida contra o São Caetano.

Bruno está próximo de reforçar o Bahia (Foto: MARCELLO ZAMBRANA/AGIF/GAZETA PRESS)

Bruno e Edimar voltam e São Paulo estipula prazo para volta de Cueva

O São Paulo já iniciou sua preparação para o reinício do Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana no próximo mês. Em seu segundo dia de treinos após a folga do meio de ano, o Tricolor contou com os retornos dos laterais Bruno e Edimar, que estavam machucados antes da parada para a Copa do Mundo e estão recuperados. O técnico Diego Aguirre comandou um treino leve, em campo reduzido, e montou um circuito com obstáculos para auxiliar na preparação física dos atletas.

Durante as atividades, a comissão técnica cobrou intensidade do elenco e fez um trabalho com bola. O grupo de jogadores foi dividido em três e, enquanto dois duelavam em um treino com obstáculos no meio de campo e duas pequenas traves para cada equipe, o outro trabalhava com os preparadores físicos em um espaço ao lado. Os grupos se dividiram até o fim da atividade.

A diretoria tricolor também definiu uma data para o peruano Cueva retornar aos treinos no CT da Barra Funda. Eliminado da Copa do Mundo com a seleção de seu país, o meio-campista deve retornar ao clube do Morumbi no dia 9 de julho. A tendência, no entanto, é de que ele receba algumas propostas de clubes do exterior e deixe o São Paulo antes da data estipulada. Neste momento, entretanto, ainda não há propostas oficiais pelo camisa 10 do time de Diego Aguirre.

Por fim, o recém-contratado meia-atacante Joao Rojas não apareceu no campo. O equatoriano passou a manhã desta quarta realizando exames médicos e resolvendo pendências burocráticas para regularizar sua situação no Brasil. O São Paulo se reapresenta na próxima quinta para a sequência dos trabalhos preparatórios para o retorno das competições no segundo semestre. Os jornalistas, desta vez, não terão acesso ao centro de treinamento tricolor.

O próximo desafio da equipe será no dia 18 de julho, contra o Flamengo, no Maracanã. O jogo será válido pela 13ª rodada do Brasileirão e o Tricolor tem um confronto direto diante do líder do campeonato.

 

Fonte: Lance