Arboleda supera polêmica e mantém dupla firme com Bruno Alves

Arboleda foi o jogador do São Paulo que iniciou a temporada sob mais pressão. Motivo: o equatoriano deixou boa parte da torcida revoltada ao aparecer vestido com uma camisa do Palmeiras em uma foto tirada pelo jogador equatoriano Billy Arce durante as férias. Passados quase quatro meses, o camisa 5 segue como titular absoluto, tem bons números em 2020, não ouve mais vaias das arquibancadas e até já encontrou o amigo em campo.

Billy Arce, que pertencia ao Barcelona de Guayaquil na época da foto polêmica, agora joga na LDU e enfrentou o São Paulo no penúltimo jogo antes da pausa dos campeonatos devido ao coronovírus. Ele entrou no segundo tempo da derrota por 3 a 0 de sua equipe no Morumbi, pela Libertadores, e teve uma conversa bem-humorada com Arboleda após o apito final.

Essa partida contra os equatorianos foi a 70ª de Arboleda ao lado de Bruno Alves no São Paulo. Contra o Santos, último jogo antes da pausa, eles chegaram a 71 jogos juntos, sendo que a equipe não sofreu gols em 30 (42,2%).

Com Fernando Diniz no comando, o índice de jogos da dupla sem sofrer gols é maior ainda: 11 em 25 possíveis (44%).

De acordo com levantamento do site Sofascore, Arboleda levou apenas um drible em 810 minutos no Paulistão deste ano, além de ser o líder da equipe em interceptações e cortes e o segundo em duelos ganhos e desarmes.

Por causa da foto polêmica, Arboleda recebeu uma multa da diretoria ainda na pré-temporada e ouviu vaias da torcida organizada na primeira rodada do Estadual, contra o Água Santa. Os palmeirenses também tiraram sarro antes do empate sem gols entre as duas equipes, gritando o nome dele em Araraquara, mas acabaram vendo uma ótima atuação do defensor na segunda rodada.

O último episódio deste caso veio na terceira rodada, quando Arboleda marcou um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre a Ferroviária, também em Araraquara, e posou para uma foto com os companheiros na comemoração, dessa vez com a camisa certa. No São Paulo desde 2017, Arboleda soma 121 partidas e sete gols marcados.

Lance

Juanfran e Arboleda voltam a treinar pelo São Paulo e devem pegar a Ponte

O São Paulo teve duas novidades no treino desta quinta-feira, no CT da Barra Funda: Juanfran e Arboleda, que voltaram a trabalhar com o grupo e estão à disposição do técnico Fernando Diniz para o duelo deste domingo, contra a Ponte Preta. A dupla também estará na viagem para Juliaca, para a estreia na Copa Libertadores, na próxima quinta-feira, contra o Binacional.

Juanfran se reapresentou com o grupo, na última terça-feira, após dois dias de folga. Durante uma atividade técnica, o lateral sentiu um incômodo no pé e acabou deixando o treino mais cedo para ser poupado e complementar o trabalho na parte interna do CT. Na quarta-feira, devido ao gramado molhado pela chuva, foi preservado pela comissão técnica e não foi a campo.

Nesta quinta-feira, porém, o espanhol participou sem restrições do treinamento no período em que a imprensa teve acesso, inclusive em um exercício de ultrapassagem e cruzamento a partir da linha de fundo. Ele é titular absoluto da lateral direita e deve estar em campo nos próximos jogos. Quem não cruzou ou lançou, treinou finalizações, com tem sido frequente.

Vale lembrar que pouco antes do início do treino tático, em que Fernando Diniz montou seu time, os jornalistas foram convidados a se retirar do local para dar privacidade ao treinador e aos jogadores. Dessa forma, ainda não é possível determinar as mudanças na escalação, já que Antony é dúvida e permanece o mistério se haverá atletas poupados ou não pensando na Libertadores.

Outro que voltou a pisar no gramado do CT da Barra Funda foi Arboleda. O zagueiro havia sido liberado pelo clube por mais dois dias para resolver problemas particulares no Equador, seu país de origem. Dessa forma, ele não se reapresentou com o grupo, na última terça-feira, após a folga e tinha retorno previsto para esta quinta-feira. Foi exatamente o que aconteceu nesta manhã.

Assim como Juanfran, o equatoriano participou do trabalho com os companheiros sem demonstrar restrições e deve formar a dupla de zaga titular com Bruno Alves, neste domingo, às 16h, diante da Ponte Preta, no Morumbi. A partida é válida pela oitava rodada da fase de grupos do Paulistão-2020. Atualmente, o Tricolor ocupa a liderança do Grupo C, com 12 pontos.

Lance

Arboleda se recusa a trocar camisa em clássico São Paulo x Palmeiras

O zagueiro Robert Arboleda se recusou a trocar a camisa do São Paulo com um jogador do Palmeiras no clássico do último domingo, em Araraquara.

Criticado — e até multado — por ter usado um uniforme justamente do rival nas férias, ele decidiu que não faria a troca que é tradicional entre os jogadores após as partidas. Um atleta palmeirense chegou a abordá-lo na saída de campo e teve o pedido negado. (Por Bruno Grossi).

UOL

Torcida do Palmeiras grita nome de Arboleda, mas zagueiro do São Paulo segura pressão e joga bem

Arboleda foi o personagem do clássico sem gols entre Palmeiras e São Paulo, neste domingo, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara, pela segunda rodada do Paulistão.

A torcida alviverde gritou o nome do defensor, cantou “o Arboleda é nosso” e vibrou nos primeiros toques do jogador na bola durante o Choque-Rei.

Felipe Melo, do Palmeiras, cumprimenta Arboleda, do São Paulo — Foto: Felipe ZitoFelipe Melo, do Palmeiras, cumprimenta Arboleda, do São Paulo — Foto: Felipe Zito

Felipe Melo, do Palmeiras, cumprimenta Arboleda, do São Paulo — Foto: Felipe Zito

 

Tudo porque o atleta apareceu em uma foto com a camisa do Palmeiras durante as férias, no Equador, e acabou multado pelo São Paulo.

Durante o aquecimento, a torcida do Palmeiras gritou “é Arboleda” e vibrou quando o sistema de som anunciou o nome do jogador na escalação do São Paulo.

Nos primeiros lances do Choque-Rei, Arboleda errou um passe e perdeu uma jogada, motivo para mais vibrações dos palmeirenses. Mas depois se recuperou e ganhou quase todas as antecipações e cabeçadas do clássico.

Os lances de mais destaque do equatoriano foram uma cabeçada defendida por Weverton e uma travada na bola em cima de Luiz Adriano, em jogada perigosa do Palmeiras.

Palmeiras x São Paulo, em Araraquara — Foto: Marcos RibolliPalmeiras x São Paulo, em Araraquara — Foto: Marcos Ribolli

Palmeiras x São Paulo, em Araraquara — Foto: Marcos Ribolli

 

No segundo tempo, o zagueiro errou um domínio fácil em passe de Bruno Alves e novamente ouviu gritos da torcida palmeirense de “o Arboleda é nosso”.

Apesar da pressão psicológica do Choque-Rei, Arboleda conseguiu mostrar boa atuação pelo São Paulo.

O zagueiro Arboleda durante o Choque-Rei, em Araraquara — Foto: Marcos RibolliO zagueiro Arboleda durante o Choque-Rei, em Araraquara — Foto: Marcos Ribolli

O zagueiro Arboleda durante o Choque-Rei, em Araraquara — Foto: Marcos Ribolli

Globo Esporte

Arboleda encara o Palmeiras para se redimir de ‘estupidez’ nas férias

Jogue bem ou jogue mal, Arboleda será um dos principais personagens do clássico entre Palmeiras e São Paulo, às 16h deste domingo, na Arena da Fonte Luminosa, pela segunda rodada do Paulistão. O equatoriano está em busca de redenção após chatear a torcida são-paulina por vestir a camisa do rival alviverde durante suas férias.

Durante a vitória por 2 a 0 sobre o Água Santa, na última quarta-feira, os torcedores organizados o hostilizaram: “ô, Arboleda, vá se f… O meu São Paulo não precisa de você”. A torcida “comum” no Morumbi reagiu com vaias e gritando o nome do jogador, que foi filmado levando as mãos às orelhas e dizendo algo que muitos são-paulinos na internet compreenderam como “é justo, mano”.

92 pessoas estão falando sobre isso

A polêmica se fez no dia 18 de dezembro de 2019, quando o jogador Billy Arce, do Barcelona de Guayaquil, publicou em seu Instagram uma foto de Arboleda vestido com uma camisa oficial do Palmeiras. A única manifestação do defensor sobre o assunto até agora foi no dia seguinte, na mesma rede social, em um texto em que ele diz ter perdido uma aposta e se desculpa pela “estupidez”.

Arboleda
Arboleda vestido de Palmeiras (Foto: Reprodução de internet)

Após uma reunião com a diretoria durante a pré-temporada, em Cotia, Arboleda recebeu uma multa em seu salário. Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do clube, deu uma entrevista para defendê-lo: disse que o atleta foi “ingênuo e burro, mas não mau-caráter”.

– Posso garantir que foi totalmente ingenuidade e muito de burrice. Ele não faz a mínima ideia se essa camisa verde é do México, da Bolívia, da Chapecoense, do Guarani, de Camarões ou do Palmeiras. Isso eu posso garantir.

Fellipe Lucena

@fellucena

Lugano diz que Arboleda foi ingênuo e burro e que não fazia a menor ideia de que aquela camisa era do Palmeiras. Disse que não foi mau caráter, ao contrário de um jogador do elenco de 2003 que comemorou um gol do Corinthians e tomou um tapa na cabeça.

Vídeo incorporado

353 pessoas estão falando sobre isso

Neste domingo, não haverá são-paulinos no estádio em Araraquara nem para vaiá-lo nem para exaltá-lo. Apenas palmeirenses poderão entrar, mas não se sabe se terão alguma reação com o equatoriano.

Lance

Lugano sobre Arboleda com a camisa do Palmeiras: “Ingenuidade e burrice”

O São Paulo colocou seus dirigentes ligados ao futebol para uma longe entrevista coletiva no início da tarde de hoje (16) no CT da Barra Funda. E um dos assuntos comentados foi a punição aplicada a Robert Arboleda, que nas férias foi fotografado vestindo uma camisa do rival Palmeiras. Para Diego Lugano, superintendente de relações institucionais, o zagueiro não fez isso por falta de caráter.

 

“Está claro que é inadmissível que um jogador vista a camisa de um rival, seja no lugar que for, seja em São Paulo, de férias, na cidade dele… É inadmissível. Por isso, o clube decidiu multar o Arboleda. Mas cada caso é um caso e ninguém melhor que nós, melhor que eu, que conheço o vestiário e conheço o perfil do cara, para saber quando é ingenuidade e burrice e quando o jogador é mau-caráter, como talvez a torcida tenha pensado. Posso garantir que foi ingenuidade e burrice. Ele não faz a mínima ideia se essa camisa verde é do México, da Bolívia, da Chapecoense, do Guarani, de Camarões ou do Palmeiras. Posso garantir. As redes sociais e um amigo engraçadinho se encarregaram de trazer esse problema para ele”, lamentou o uruguaio.

Lugano diz que Arboleda foi burro e cita corintiano no elenco de 2003

Diego Lugano, ídolo e superintendente de relações institucionais do São Paulo, falou sobre o caso Arboleda nesta quinta-feira. De acordo com o uruguaio, o zagueiro foi “ingênuo e burro” ao vestir a camisa do Palmeiras durante as férias, mas não “mau-caráter”.

– Está claro que é inadmissível que um jogador vista a camisa de um rival, seja no lugar que for, seja em São Paulo, de férias, na cidade dele… É inadmissível. Por isso, o clube decidiu multar o Arboleda. Mas cada caso é um caso e ninguém melhor que nós, melhor que eu, que conheço o vestiário e conheço o perfil do cara, para saber quando é ingenuidade e burrice e quando o jogador é mau-caráter, como talvez a torcida tenha pensado. Posso garantir que foi totalmente ingenuidade e muito de burrice. Ele não faz a mínima ideia se essa camisa verde é do México, da Bolívia, da Chapecoense, do Guarani, de Camarões ou do Palmeiras. Isso eu posso garantir. As redes sociais e um amigo engraçadinho se encarregaram de trazer esse problema para ele – disse Lugano.

O ex-zagueiro ainda citou um episódio de 2003 para diferenciar um jogador ingênuo de um mau-caráter, segundo ele.

– Para resumir ao torcedor o que eu acho que é mau-caráter, dou um exemplo. Em 2003, aqui na concentração do São Paulo, um companheiro comemorou um gol do Corinthians. Obviamente não vou falar o nome. Eu entendi que estava errado e dei um tapa na cabeça dele. Isso não se faz, por respeito a nós, que estamos aqui, por respeito à torcida, apesar que a torcida nunca fica sabendo disso. Isso é mau-caráter. O do Arboleda foi ingenuidade. Já passou, foi multado, entendeu, pediu desculpas. Tomara que seja um grande ano dele e que o torcedor consiga entender.

– O São Paulo multou ele, até para que não aconteça com outros atletas. Mas a diferença entre ingenuidade e mau-caráter é muito grande. O Arboleda treina forte, honra a camisa, é um jogador importante no elenco, muito mais neste ano, em que vamos jogar a Libertadores novamente, com partidas na altitude, onde ele joga normalmente com a sua seleção – emendou.

Arboleda foi multado após uma reunião com a diretoria em Cotia, onde o elenco ficou concentrado na semana passada. Segundo Lugano, ele estava envergonhado pelo vacilo.

– Em um segundo, por causa das redes sociais, todo mundo queria matar ele. Você se sente muito idiota pela cagada que fez, essa é a verdade. Dá muita vergonha. Ele se arrependeu, pediu desculpas. É a vantagem de você conhecer o cara, de saber quem é quem. Você sabe quando tem que proteger, perdoar, sem deixar de ser firme. Hoje, com as redes sociais, não se pode ter esses erros.

Lance

SPFC multa Arboleda por ter vestido camisa do rival Palmeiras

O São Paulo multou Arboleda após o jogador aparecer vestindo a camisa do rival Palmeiras durante as férias. Os diretores Raí, Alexandre Pássaro e Lugano tiveram uma conversa com o zagueiro e definiram a punição no último fim de semana. O clube trata o caso como um episódio mais de inocência do que irresponsabilidade.

Arboleda entendeu que cometeu um erro e acatou a sanção financeira sem contestação. O próprio jogador pediu desculpas pelo episódio nas redes sociais e disse que se tratava de uma aposta. O zagueiro é um dos atletas com mais tempo de São Paulo no atual elenco. Ele está no clube desde 2017.

Apesar da multa salarial, o São Paulo acredita em Arboleda. O zagueiro está integrado desde o início da pré-temporada, em Cotia.

Por outro lado, o episódio com a camisa do rival causou um mal-estar entre torcedores do São Paulo. Alguns, inclusive, defendiam a rescisão do contrato do atleta, o que não foi cogitado pelo clube.

Na semana passada, o técnico Fernando Diniz falou da situação de Arboleda.

– Ele cometeu um erro, está respondendo por isso, mas é um jogador que a gente conta muito, tem identificação com o torcedor são-paulino, ele vai trabalhar para depois no campo responder como sempre respondeu – disse o técnico.

Globo Esporte

Arboleda terá papo com diretoria; Diniz diz: “Vai corrigir o erro jogando”

A diretoria do São Paulo vai chamar o zagueiro Arboleda para uma conversa durante a pré-temporada, provavelmente durante o período de concentração no CFA de Cotia. Só então será definido se o equatoriano receberá alguma punição por ter posado para uma foto vestindo uma camisa do Palmeiras – ele pode receber uma multa.

Questionado sobre o assunto após o treino da manhã desta quinta-feira, o técnico Fernando Diniz disse que o jogador errou, mas que se apresentou bem após as férias e pode se redimir jogando. São Paulo e Palmeiras se enfrentam logo na segunda rodada do Paulistão, provavelmente no Pacaembu, já que o Allianz Parque está passando por processo de troca de grama natural por grama sintético.

– Acho que o Arboleda errou. Assumiu o erro, pediu desculpas e vai reverter isso com trabalho. Chegou bem, trabalhando, está focado. Bola para a frente. Ele vai saber reverter e se redimir disso dentro de campo, já está fazendo nos treinamentos – declarou Diniz.

O episódio envolvendo Arboleda foi praticamente simultâneo à prisão de Jean, acusado de agredir a esposa nos Estados Unidos. O São Paulo se manifestou sobre os dois assuntos na mesma nota oficial, mas pedindo para que os casos não fossem tratados com pesos iguais. “É um detalhe que aborrece a instituição, mas que será tratado internamente”, dizia o texto, sobre o defensor.

Arboleda se posicionou no Instagram, dizendo que perdeu uma aposta e pedindo desculpas à torcida do São Paulo pela “estupidez” de usar a camisa de um rival.

Lance

Zaga, destaque de 2019 no São Paulo, deve ser mantida para 2020

Se perguntados sobre o ponto alto da temporada, é provável que nove entre dez torcedores do São Paulo apontem o sistema defensivo, especialmente o miolo de zaga, como grande destaque da equipe. Com apenas 30 gols sofridos em 38 rodadas, o clube paulista terminou o Brasileirão com status de ​melhor defesa da competiçãoE se não se mexe em time que está ganhando, o lema no Morumbi é continuidade.

Como destaca o ​Globoesporte, uma das receitas para o sucesso do setor passa pelo grande entrosamento da dupla de zaga titular, formada por Arboleda e Bruno Alves. Os dois chegaram ao Morumbi em 2017, mas atuam juntos, efetivamente, desde a temporada passada. Na ausência de um deles, o substituto imediato é Anderson Martins, que sempre corresponde bem quando exigido e é bastante valorizado no clube por trabalhar forte no dia a dia.

Como os três ainda têm contratos longos por cumprir e não estão na lista de ‘negociáveis’ do ​Tricolor Paulista, a tendência é que Fernando Diniz inicie a temporada 2020 com os mesmos pilares de seu sistema defensivo. O zagueiro equatoriano chegou a ser tratado como ativo no elenco e ‘flertou’ com uma transferência para fora do país, mas nenhuma sondagem se transformou em proposta oficial.

Enquanto a experiente trinca de zagueiros tem situação definida para 2020, o mesmo não pode se dizer do garoto Walce, de 20 anos. Quarta opção para o setor, o jovem revelado em Cotia tem proposta oficial do ​RB Bragantinomas a diretoria são-paulina vem fazendo ‘jogo duro’ nas negociações com o clube de Bragança Paulista.

90min

São Paulo fecha a temporada 2019 com sua melhor defesa em 12 anos

O torcedor do São Paulo não termina esta temporada contente com o time. Apesar de a vaga direta na fase de grupos na Copa Libertadores ser uma conquista importante, foi apenas um consolo para as expectativas. No entanto, há um setor da equipe que parece ter entrado na rota certa em 2019: a defesa, que teve sua menor média de gols sofridos desde a temporada 2007.

Em 60 jogos oficiais neste ano, o Tricolor sofreu apenas 47 gols, o que dá uma média de 0,78 por partida. Esse índice só foi pior do que o do Grêmio (0,75) e do Palmeiras (0,65) se comparado ao clubes de Série A em 2019. Não é exagero dizer que os são-paulinos tiveram uma das melhores defesas do país nesses últimos 12 meses, tanto nos números quanto no desempenho em campo.

Bruno Alves e Arboleda, a dupla titular da zaga tricolor, e até o reserva imediato Anderson Martins (Walce também atuou), foram alguns dos responsáveis pela solidez do sistema defensivo, que passou pelas mãos de quatro treinadores diferentes e ainda assim manteve um bom nível. Vágner Mancini, que dirigiu interinamente enquanto Cuca não assumia, foi o técnico com a menor média de gols sofridos, já Fernando Diniz teve a maior. Veja abaixo:

André Jardine
8 jogos oficiais
7 gols sofridos
0,87 gol sofrido por jogo

Vágner Mancini
9 jogos oficiais
6 gols sofridos
0,67 gol sofrido por jogo

Cuca
26 jogos oficiais
19 gols sofridos
0,73 gol sofrido por jogo

Fernando Diniz
17 jogos oficiais
15 gols sofridos
0,88 gol sofrido por jogo

Isso sem contar a afirmação de Tiago Volpi no gol do time após as incertezas na posição nas últimas temporadas desde a aposentadoria de Rogério Ceni. O goleiro, por seu perfil de liderança e comprometimento, deu segurança para todo o setor que, com sobras, foi a melhor coisa do clube durante a temporada. Não é à toa que esses números acabaram batendo marcas e se aproximando de outras registradas em momentos históricos do clube na década passada.

Essa média de 0,78 gol sofrido por jogo é a menor do São Paulo desde a temporada 2007, em que o clube registrou o recorde de melhor defesa do Brasileirão na era dos pontos corridos, com 19 tentos cedidos em 38 rodadas (0,5 por partida), marca que permanece imbatível até hoje. No ano inteiro foram 73 jogos oficiais e 50 gols sofridos, índice de 0,68 por duelo.

Aquela equipe, comandada por Muricy, atuava com três zagueiros: André Dias, Breno e Miranda, que além de consistentes eram extremamente regulares e ainda tinham um tal de Rogério Ceni protegendo o gol. O time-base, que ainda contava com Souza, Hernanes, Richarlyson e Jorge Wagner – em uma linha de quatro jogadores no meio – e com Leandro, Dagoberto e Borges, formando o ataque, foi campeão brasileiro com certa tranquilidade. Era seguro e letal.

A formação atual ficou longe dessa letalidade no ataque. Se teve uma das melhores defesas do país, teve o segundo pior ataque, melhor apenas do que o CSA, que foi rebaixado no Brasileirão. Faltou também a consistência e a confiança de um time acostumado a vencer, algo que parece um problema crônico no Tricolor nos últimos anos. No entanto, essa solidez defensiva tende a ser o primeiro passo dentro de um caminho certo, caso siga assim em 2020.

O São Paulo se reapresenta no dia 6 de janeiro, no CT da Barra Funda, após o período de férias. No dia seguinte, a delegação segue para o CT de Cotia, onde ficará por aproximadamente dez dias em preparação para a estreia no Paulistão, no dia 22 de janeiro, às 21h30, contra o Água Santa, no Morumbi.

Confira os números da defesa do São Paulo desde a temporada 2007:

2019
60 jogos oficiais
47 gols sofridos
0,78 gol sofrido por jogo

2018
64 jogos oficiais
52 gols sofridos
0,81 gol sofrido por jogo

2017
62 jogos oficiais
80 gols sofridos
1,29 gol sofrido por jogo

2016
70 jogos oficiais
71 gols sofridos
1,01 gol sofrido por jogo

2015
69 jogos oficiais
73 gols sofridos
1,06 gol sofrido por jogo

2014
68 jogos oficiais
71 gols sofridos
1,04 gol sofrido por jogo

2013
78 jogos oficiais
93 gols sofridos
1,19 gol sofrido por jogo

2012
78 jogos oficiais
72 gols sofridos
0,92 gol sofrido por jogo

2011
70 jogos oficiais
75 gols sofridos
1,07 gol sofrido por jogo

2010
71 jogos oficiais
83 gols sofridos
1,17 gol sofrido por jogo

2009
67 jogos oficiais
72 gols sofridos
1,07 gol sofrido por jogo

2008
71 jogos oficiais
68 gols sofridos
0,96 gol sofrido por jogo

2007
73 jogos oficiais
50 gols sofridos
0,68 gol sofrido por jogo

Lance

Arboleda pede desculpas ao São Paulo e diz que vestiu camisa do Palmeiras por aposta: “Estupidez”

Arboleda pediu desculpas ao São Paulo por ter aparecido em uma foto vestindo a camisa do Palmeiras nas redes sociais. O zagueiro classificou a atitude como uma “estupidez”.

Em nota publicada nesta quinta-feira, em sua rede social, Arboleda disse que perdeu uma aposta para amigos durante as férias, na qual se comprometia a vestir uma camisa escolhida por eles (veja a íntegra da nota abaixo).

– Gostaria de me desculpar publicamente com os torcedores do São Paulo, membros da comissão técnica, jogadores, diretoria e a todos que se sentiram ofendidos ao me ver vestido com a camisa de outro clube. Errei ao apostar com alguns amigos que vestiria a camisa que eles escolhessem caso fosse derrotado no futebol disputado em minhas férias. Me arrependo profundamente disso – disse Arboleda, em um trecho da nota.

A foto de Arboleda com a camisa do Palmeiras que viralizou nas redes sociais — Foto: ReproduçãoA foto de Arboleda com a camisa do Palmeiras que viralizou nas redes sociais — Foto: Reprodução

A foto de Arboleda com a camisa do Palmeiras que viralizou nas redes sociais — Foto: Reprodução

– Sei o quanto tive que trabalhar duro e me dedicar para chegar a um clube da grandeza do São Paulo e também para conquistar o respeito e o carinho do torcedor. Nunca deixei de me dedicar ao meu clube, ao meu escudo e a essas cores desde o primeiro dia em que tive a honra de vestira a camisa tricolor. E seguirei assim sempre. Novamente peço desculpas por essa estupidez. Tamo junto (sic) São Paulo –afirmou Arboleda, por meio da nota.

No São Paulo desde 2017, Arboleda não terá seu contrato rescindido após a polêmica,diferentemente de Jean. Não está descartada, porém, uma eventual negociação do zagueiro para outro clube. O Tricolor não pretende se desfazer do jogador a qualquer custo, mas está disposto a avaliar uma possível venda ou troca.

Internamente, o clube analisa se vai dar ou não uma punição ao jogador, como por exemplo uma multa ou advertência. De qualquer maneira, o São Paulo trata o caso de Arboleda como uma questão corporativa de um atleta que errou ao vestir a camisa de um rival (veja no fim da reportagem parte da nota oficial do São Paulo que faz referência ao caso de Arboleda).

Arboleda pede desculpas ao São Paulo por ter vestido a camisa do Palmeiras — Foto: Reprodução Arboleda pede desculpas ao São Paulo por ter vestido a camisa do Palmeiras — Foto: Reprodução

Arboleda pede desculpas ao São Paulo por ter vestido a camisa do Palmeiras — Foto: Reprodução

 

Arboleda se tornou um dos pilares da zaga são-paulina, principalmente nas duas últimas temporadas, e é visto como um jogador com boa perspectiva de mercado. Na última janela de transferências, por exemplo, o Tricolor recusou proposta do Kansas City, dos EUA.

O São Paulo também chegou a trabalhar com a informação do interesse do Arsenal, da Inglaterra. O nome do equatoriano era uma opção para caso a negociação por David Luiz, ex-Chelsea, não evoluísse. Mas o defensor brasileiro foi contratado pelo Arsenal.

O Porto também apareceu como possível interessado, mas nenhum dos casos avançou para uma proposta concreta. Arboleda tem contrato até junho de 2022.

Veja trecho da nota oficial do São Paulo publicada na última quarta-feira, quando clube se posicionou sobre o caso Jean e também se referiu a Arboleda:

“… Quanto ao outro caso noticiado, referente ao atleta que foi fotografado vestindo uma camisa de outra instituição, o São Paulo lamenta, mas pede que não seja assunto para hoje. Os episódios não se equiparam, têm grandezas e gravidades completamente diferentes e não devem ser objetos de discussões simultâneas. O caso sobre o qual se trata aqui faz referência aos mais importantes valores da vida humana em sociedade, enquanto o outro, perto disso, é um detalhe que aborrece a instituição, mas que será tratado internamente.”

Globo Esporte

Reinaldo é baixa em treino do São Paulo e Arboleda volta a campo

O São Paulo voltou a treinar nesta manhã de quinta-feira, no CT da Barra Funda, prosseguindo a preparação para o duelo com o Ceará, no próximo domingo, às 19h, no Castelão. O técnico Fernando Diniz, porém, deve ter mais uma dúvida para a escalação do time, já que Reinaldo novamente foi desfalque no treinamento ainda em recuperação de uma amigdalite.

No treino da última quarta-feira, o lateral-esquerdo já havido sido baixa, assim como Arboleda, que fez fortalecimento muscular no Reffis. O zagueiro, no entanto, apareceu no campo nesta quinta e não apresentou restrições enquanto a imprensa teve acesso, já que o restante dos trabalhos foi fechado.

Segundo informações do clube, Reinaldo não pode ser considerado dúvida para a 34ª, já que ainda terá dois dias de treinamento para poder se recuperar e estar pronto para enfrentar o Ceará. Caso não tenha condições de jogo, Léo será o seu substituto. Tanto nesta sexta, quanto neste sábado as atividades serão fechadas para a imprensa, o que deve manter o mistério em relação à escalação da equipe titular, que deve ter mudanças.

Sem Pablo, suspenso pelo terceiro amarelo, uma vaga está aberta no ataque. A dúvida é se Raniel será o escolhido, efetuando uma troca simples, ou se Antony fará dupla de ataque com Vitor Bueno, mantendo Juanfran na lateral e Daniel Alves no meio-campo. Além disso, Jucilei deve perder o lugar para Liziero, que entrou bem no segundo tempo do clássico contra o Santos.

Assim, um provável time titular para este domingo é: Tiago Volpi; Juanfran (Raniel), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo (Léo); Tchê Tchê, Liziero, Igor Gomes e Daniel Alves; Antony e Vitor Bueno. Na hipótese de Raniel ser escalado, Juanfran iria para o banco e Dani Alves ocuparia a lateral direita.

O São Paulo volta a campo neste domingo, às 19h, no Castelão, para enfrentar o Ceará, pela 34ª rodada do Brasileirão-2019. Atualmente, o Tricolor ocupa a sexta posição na tabela com 53 pontos, três atrás do Grêmio, o quarto colocado e dentro do G4, que dá vaga direta para a fase de grupos da Copa Libertadores.

Lance

Em grande fase no São Paulo, Arboleda quase se tornou policial e imitava o Fenômeno

A semana tem sido de comemorações para Arboleda no São Paulo. Primeiro marcou o gol da vitória do clube sobre o Avaí, no último domingo, na mesma partida em que atingiu 100 jogos com a camisa tricolor. Dois dias depois completou 28 anos e nesta quinta-feira ganhou uma homenagem da SPFCTV, que divulgou uma entrevista sobre a história do zagueiro equatoriano.

Entre outros assuntos, Arboleda lembrou seu início no futebol, quando ainda atuava como meia e não como defensor, até que uma circunstância em um jogo nas categorias de base do Olmedo mudou toda a sua trajetória.

– Um zagueiro foi expulso e o outro se machucou, só tinha lateral e não tinha zagueiro, aí o técnico falou no intervalo: “quem pode me ajudar como zagueiro?”. Aí eu falei: “professor, eu jogo”. Nós ganhamos o jogo por 1 a 0, com um a menos, difícil, aí o treinador falou “você joga bem de zagueiro” e eu falei “sim, professor, mas não pense que eu vou jogar de zagueiro, só era para te ajudar” – contou o são-paulino antes de explicar como mudou de ideia:

– No jogo seguinte, com um expulso e outro machucado, só tinha um zagueiro e ele me falou “Arbo, só me ajuda mais um jogo”. Foi aí que eu comecei a jogar de zagueiro, naquele jogo, e o treinador do time principal estava assistindo. Eu fui tão bem que ele falou “quem é esse menino que está jogando bem com a camisa 5?”, porque eu até mudei o número da camisa, era um 8, um 10.

Mas o futuro não reserva um caminho tão fácil para a profissionalização e o sucesso. Durante um período de incertezas, Arboleda chegou a desistir do futebol e optou por seguir uma carreira inusitada fora dos campos, foi quando um telefonema e ajuda de sua irmã recalcularam a rota do zagueiro.
– Chega um momento em que você pensa que não vai dar, que vai ter que mudar alguma coisa, aí eu voltei para casa, terminei meus estudos, e falei para a minha mãe que queria ser polícia, queria fazer o curso, mas queria ser atirador. Aí ela falou que eu poderia fazer outros cursos de polícia, mas não de atirador. Mesmo assim eu falei “não, eu quero ser atirador”. A gente arrumou todos os documentos, deu tudo certo, era uma sexta-feira e eu tinha que me apresentar na segunda-feira para fazer o curso. Olha como é minha vida! No sábado, acho que umas 16h, alguém ligou para minha irmã dizendo que me queria em um time da Série B e ela falou “meu irmão quer ser polícia, não quer mais jogar bola”, mas foi graças a ela que eu viajei, não tinha dinheiro. Ela tinha correntes, essas coisas, empenhou para conseguir o dinheiro para me dar a passagem e ela falou “toma irmão, vai”. Só tinha o dinheiro da passagem e dois dias de comida.

Antes mesmo de saber que jogaria no Brasil, Arboleda nutria uma relação estreita com o futebol do país e tinha alguns jogadores brasileiros como ídolos. A idolatria por um deles, porém, provocou alguns problemas na escola

– Quando eu era menino, eu gostava do Juninho Pernambucano. Nossa, como ele batia na bola… Eu era muito fã dele, mas também do Ronaldinho, do Ronaldo. Eu imitava o Ronaldo, fazia o corte dele, deixava o cabelo só na frente e careca atrás, ia para a escola assim, depois duas ou três vezes me mandaram cortar tudo, porque não podia, tudo por causa do Ronaldo, queria imitá-lo.

Apesar de ter como referência um zagueiro equatoriano, Arboleda acredita que o melhor jogador da posição no mundo é uma brasileiro.

– Fui crescendo e já queria ser igual o Ivan Hurtado, capitão da seleção do Equador, zagueiro, gostava muito dele. Aí também vi Lugano, mas sou fã do Thiago Silva, que para mim é o melhor zagueiro do mundo.

Arboleda chegou ao São Paulo em junho de 2017 e lembrou como foi difícil a sua adaptação ao país e ao clube no início de sua trajetória com a camisa tricolor. Para ele, tudo foi possível graças ao seu trabalho e sua entrega.

– Lá no Equador é muito diferente, minha adaptação foi muito difícil, primeiro o idioma, não sabia nada, nem entendia. Nossa, eu era muito feio! Mudou muita coisa, com minha humildade, com meu trabalho do dia a dia, consegui me adaptar. Entrega nunca faltou e nunca vai faltar, porque a gente tem dias bons e dias ruins, e eu posso ter dias ruins, mas a vontade nunca vai faltar.

Adaptado totalmente ao clube e identificado com a torcida do São Paulo, Arboleda disse ficar arrepiado toda vez que vai ao Morumbi com o ônibus da delegação, algo que para ele vale a dedicação dentro de campo.

– Quando a gente sai aqui do CT e vai para o Morumbi, a chegada quando a torcida está fora do estádio, é algo impressionante, algo que marca muito, fico arrepiado, porque é algo impressionante como a torcida canta, sempre tem torcedores de verdade. Vale a pena correr por eles – concluiu.

Confira outros trechos da entrevista de Arboleda para a SPFCTV:

Infância difícil
Minha mãe se separou do meu pai quando eu era muito novo, minha mãe sustentou minha casa, meus irmãos, tudo sozinha.

Trabalhos para ajudar em casa
Primeiro ia com o meu tio, ele tinha uma mecânica, eu ia trabalhar com ele, ganhava qualquer dinheirinho, depois comecei a sair com um outro tio, vendia salgado, coisas na rua, pastel, era top, era bom. Sempre fui um cara alegre, um cara que sempre foi muito otimista. Eu saía, mas deixava um dinheiro escondido para ela (mãe), para ajudar em casa, não era muita coisa, mas valia pela intenção. Sou muito apegado a ela, aos meus irmãos. A minha família, para mim, é a melhor coisa que eu posso ter na vida.

Fã do Homem-Aranha
Eu era moleque e assistia aos filmes do Homem-Aranha, aí eu falava para o meu irmão “queria que uma aranha me picasse”, para ter poderes igual a ele, aquela teia, e o cara começou assim, foi uma aranha que picou ele. Quando meu irmão me falou que se uma aranha me picasse eu morreria, aí acabou a graça. Hoje eu tenho uma tatuagem do Homem-Aranha.

Planos para ajudar pessoas carentes no futuro
Quando eu era criança eu não tinha nada e agora que eu tenho a possibilidade de ter, quero poder ajudar as pessoas que não tem, crianças que moram na rua, crianças doentes… Eu sempre quis ter uma fundação para pessoas que moram na rua, mais do que tudo, para eles terem o alimento, roupas, estudo, porque o estudo é o mais importante. Eu falo “Deus, você já me deu tudo, a única coisa que eu te peço é isso: me ajuda a poder ajudar as outras pessoas”

Veja o vídeo completo publicado pela SPFCTV:

Lance