Raí convoca torcida do São Paulo para fazer doações em campanha

O São Paulo está engajado em suas redes sociais durante esta pandemia de coronavírus. Além de alertar os seguidores para a importância do isolamento doméstico e dos cuidados que precisam ser tomados, o clube se preocupa com aqueles menos favorecidos no momento. Dessa forma, Raí gravou um vídeo convocando os torcedores a participarem de campanha de doação.

Na última sexta-feira, o Tricolor iniciou um projeto para arrecadar dinheiro que será revertido na compra de cestas básicas que irão para comunidades carentes da capital paulista. A distribuição dos alimentos será feita pela CUFA (Central Única das Favelas), atendendo mais de 500 mil pessoas em 250 favelas de sua rede. A doação pode ser feita em qualquer quantia.

O São Paulo abriu a campanha com uma doação institucional de 500 unidades de cestas básicas, cada uma no valor de R$ 54, contendo itens como arroz, feijão, macarrão, leite em pó, farinha, café e biscoitos. Raí, como ídolo e dirigente do clube fez um apelo para os são-paulino fazerem parte dessa campanha e indicou os caminhos para realizar a contribuição.

– Fala torcida tricolor! O momento é de união e de pensar no próximo, tudo isso vai passar, mas enquanto não passa cabe a nós ajudar. O São Paulo está organizando uma grande campanha de arrecadação de doações que serão revertidas em cestas básicas para ajudar quem está precisando. Essas cestas básicas serão entregues para a CUFA (Central Única das Favelas), organização presente em várias comunidades que mais precisam na capital e saberão a melhor forma de distribuí-las, quem quiser saber mais, ter mais informações, é só conferir em todas as redes sociais do São Paulo, lá você vai ver todos os detalhes e também os dados para quem quiser depositar, vamos ajudar quem mais precisa. Vamos, São Paulo! – declarou o diretor de futebol tricolor.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

Raí tem uma mensagem importante para você. Se puder, ajude nossas comunidades mais carentes, nesse momento difícil, com o trabalho da @CUFA_Brasil (Central Única das Favelas).

Veja como contribuir: http://spfc.vc/2wawPEv 

Vídeo incorporado

178 pessoas estão falando sobre isso

Segundo o clube, neste momento, qualquer grandeza de valor é importante. Abaixo, os dados bancários para fazer as doações:

Banco Bradesco S/A (237)
Agência: 3391
Conta Corrente: 41.447-6
CNPJ: 60.517.984/0001-04

Lance

Anúncios

Decisão do São Paulo de cortar salários do elenco sem acordo não tem respaldo jurídico; entenda

A decisão do São Paulo de cortar parte dos salários dos jogadores mesmo sem acordo com os atletas, como noticiou o Blog do PVC, não tem respaldo jurídico, de acordo com advogados especializados em direito do trabalho no esporte.

No limite, se levado à frente, o reajuste compulsório pode acarretar uma série de ações judiciais de rescisão de contrato dos jogadores.

O São Paulo busca formas de diminuir despesas durante a crise causada pela pandemia de Covid-19 que paralisou as atividades do futebol. Uma das negociações é o ajuste temporário no pagamentos do jogadores.

Elenco do São Paulo durante treino — Foto: Marcos PauloElenco do São Paulo durante treino — Foto: Marcos Paulo

Elenco do São Paulo durante treino — Foto: Marcos Paulo

 

A proposta do São Paulo, como revelado nesta semana pelo GloboEsporte.com, inclui o corte e 50% do que é pago pela carteira de trabalho e a suspensão do pagamento de direitos de imagem, entre outras coisas.

O clube garante um pagamento mínimo mensal de R$ 50 mil e promete reembolsar todos os descontos no período em seis parcelas iguais a partir do momento em que a situação estiver normalizada.

Na última quarta-feira, o Governo Federal publicou Medida Provisória que prevê a redução proporcional do salário e da jornada de trabalho e também a suspensão temporária do contrato de trabalho. Em ambos os casos, o texto demanda a celebração de acordo por escrito entre empregado e empregador.

– Essa medida provisória, pelo meu modo de ver, precisa em todos os casos da concordância das partes. Veja que os principais artigos que tratam da redução de jornada de trabalho e redução de salários sempre contêm (a previsão de) acordo – afirmou o advogado Thiago Rino.

– Respondendo a pergunta de forma objetiva: a lei permite a redução sem concordância do atleta? Não – afirma o advogado Maurício Corrêa da Veiga.

Veiga, porém, entende que o momento extraordinário não deixa opções e que os atletas devem se conscientizar das dificuldades:

– Não há outra saída, a conta não fecha. A proposta do São Paulo foi muito razoável, pois não se trata de “corte”, mas sim de uma “moratória”, pois os 50% seriam devolvidos parceladamente depois do retorno das atividades. Se comparar com o que está sendo feito nos maiores clubes do mundo, pode-se dizer que a atitude dos atletas é mesquinha e individualista.

O diretor executivo Raí e o técnico Fernando Diniz no São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.netO diretor executivo Raí e o técnico Fernando Diniz no São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

O diretor executivo Raí e o técnico Fernando Diniz no São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

 

O São Paulo apresentou proposta aos atletas no início da semana, mas ela foi rejeitada pela maior parte do elenco. Sem acordo, o clube definiu apenas período de férias de 20 dias neste mês de abril.

Alguns jogadores entendem que a diretoria tenta incluir no acordo dívidas antigas que mantêm com os atletas. Esse jogadores querem primeiro receber os valores atrasados, para então discutir acordo relativo a pagamentos futuros.

Segundo o Blog do PVC, a redução será feita de qualquer maneira por causa das más condições financeiras do clube do Morumbi, cuja folha de pagamento do futebol profissional gira em torno de R$ 12 milhões mensais.

O jornalista cita uma fonte do departamento financeiro do São Paulo:

– Desculpe, eles não aceitaram, mas vai ser assim. Não tem o que fazer diferente. Mesmo os clubes que estão dizendo que vão tentar pagar normalmente depois das férias coletivas, como o Palmeiras, terão muita dificuldade, porque vai faltar dinheiro.

A decisão pode causar reclamações na Justiça do Trabalho:

– A Lei Pelé, no artigo 31, cita que, caso os salários, direitos de imagem ou FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), não sejam pagos por três meses, no todo ou em parte, ensejará em rescisão indireta do contrato de trabalho – afirma o advogado Filipe Rino, que atua ao lado do irmão, Thiago.

Nessa hipótese, no fim, o São Paulo pode ser condenado ao pagamento integral da multa rescisória prevista em contrato com cada jogador.

– Os ajustes dependem de acordo individual ou coletivo. Se os atletas ou o sindicato não aceitarem, qualquer alteração unilateral é irregular – diz o advogado Leonardo Laporta.

Laporta, porém, indica calma aos atletas:

– Não seria bem recepcionado esse pedido (de rescisão) pela Justiça na atual conjuntura (de crise causada pela pandemia). Sugiro apenas que cumpra a ordem imposta pelo clube e espere um prazo mínimo para as coisas se acalmarem, sem assinar nenhum documento consentindo com a proposta.

– No futuro eles podem exercer o direito garantido no contrato e se socorrerem do poder judiciário para receber a integralidade do valor previsto no contrato e, se for o caso, exigir a multa – completou.

O advogado Thiago Rino criticou a forma como o São Paulo tem atuado nesta questão:

– O São Paulo se precipitou. Utilizando a medida provisória ou a CLT, o salário de março teria que ser pago integralmente até o quinto dia útil de abril. Os cortes seriam para frente, ou seja, do mês de abril para ser pago em maio. São 20 a 25 dias para o clube bolar estratégia, mostrar números para os atletas e convencer o elenco antes de impor.

A diretoria do São Paulo ainda analisa o modelo de ajuste de despesas que será necessário nesse momento de crise e admite que será preciso equalizar as contas às receitas do período.

Globo Esporte

Em casa, Diniz vê jogos de times que dirigiu e mantém papos com atletas

Fernando Diniz, técnico do São Paulo, não abandonou durante a quarentena o hábito de conversar individualmente com os jogadores. Por meio do celular, ele segue se comunicando com seus comandados com pautas sobre futebol e a vida. Leitura e estudo de futebol também fazem parte da rotina.

Diniz também segue em contato com a diretoria do Tricolor. Embora não tenha participado de maneira ativa da negociação com os atletas, ele foi consultado sobre a adequação salarial que o clube propôs (e vai colocar em prática) para o período de paralisação dos campeonatos devido ao coronavírus. Embora boa parte do elenco não tenha gostado da ideia de ter 50% dos salários suspensos e os direitos de imagem congelados durante esta crise, o clube acredita que é a única forma de sobreviver financeiramente.

No Tricolor, acredita-se que a maneira como Diniz lida com isso e a proximidade que ele tem com os jogadores pode facilitar a aceitação do grupo a esta medida. O treinador concedeu algumas entrevistas nos últimos dias, sempre sem sair de casa, por telefone ou chamada de vídeo, e em praticamente todas manifestou que sua preocupação neste momento é com as pessoas menos favorecidas.

– Espero que a sociedade, não só do Brasil, mas mundial, perceba que o mundo é cada vez mais uma ilha. Todas as pessoas precisam umas das outras. Essa desigualdade social no mundo não tem razão de ser. Podemos distribuir melhor a riqueza. O mundo produz muita riqueza, mas quanto mais riqueza a gente produz maior fica a desigualdade. A sociedade tem de repensar e procurar diminuir a desigualdade. No fundo, temos de viver cada vez mais em comunidade e se respeitando. É tentar viver de uma maneira mais equilibrada – disse ele, na quinta-feira, à ESPN Brasil.

Além das tarefas domésticas, o que inclui cuidar dos quatro filhos ao lado da esposa, o técnico do São Paulo tem utilizado o período de isolamento para assistir aos jogos do próprio Tricolor e de outras equipes que comandou na carreira para identificar possíveis correções e tentar elaborar novos tipos de treinamento.

Diniz também recorreu à leitura. Em suas redes sociais, o Tricolor publicou uma foto dele com o livro “Antifrágil – Coisas que se beneficiam com o caos”, do autor libanês Nassim Nicholas Taleb, publicado em 2012.

Fernando Diniz está em alta no São Paulo. Até a parada dos campeonatos, o time vinha jogando bem, estava classificado às quartas de final do Paulistão e havia vencido a LDU (ECU) por 3 a 0 no Morumbi, com boa atuação, após estrear na Libertadores com derrota na altitude para o Binacional (PER).

Lance

Pato fala com Djalminha, Fábio Luciano e Alex na tv sobre quarentena e SPFC

Mesmo em tempos de quarentena, o atacante do São Paulo, Alexandre Pato, deu um jeito para participar do programa de televisão ResenhaDeCasa, da ESPN Brasil, que vai ao ar no próximo sábado (4), às 17 horas. No bate-papo, o jogador falou sobre o período de quarentena por causas da pandemia do coronavírus, os treinos em casa e a importância de todos se cuidarem nesse período, além de ter revelado histórias de bastidores de sua carreira.

O Resenha foi gravado a partir das respectivas casas dos participantes. Apresentado por André Plihal, o programa contou também com os comentaristas Alex, Djalminha e Fábio Luciano.

Pato explicou os motivos que interferiram em sua carreira em alguns momentos, além de se divertir ao lembrar histórias engraçadas dos tempos de Milan.

O jogador do São Paulo também lamentou a má fama que possui e garantiu que batalhou muito para chegar onde está. Por fim, afirmou que se dedica como poucos para desempenhar o melhor futebol possível.

Um dos jogadores mais midiáticos do Brasil, Pato estreou no Internacional (RS) no final de 2006 e, pouco depois, se sagrou campeão do mundo com o time gaúcho. Pouco depois foi para o Milan e também jogou por Corinthians, São Paulo, Chelsea, Villarreal e Tianjin Tianhai, da China. Fez parte de várias categorias de base da seleção brasileira, mas não chegou a disputar uma Copa do Mundo.

O Resenha será reprisado à meia noite de sábado para domingo, e às 21h30 de domingo. O conteúdo também pode ser acompanhado a qualquer dia e hora pelo app WatchESPN.

UOL

São Paulo vai suspender 50% dos salários mesmo após impasse

O São Paulo vai suspender 50% dos salários de seus jogadores durante o período de paralisação do futebol mesmo depois de boa parte do elenco não ter gostado da proposta apresentada pela diretoria. A informação foi publicada inicialmente pelo jornalista Paulo Vinícius Coelho no Globo Esporte.

De acordo com apuração do LANCE!, essa decisão ainda não foi comunicada a todo o grupo, mas já está tomada. A diretoria considera que não está fazendo uma imposição aos atletas e avalia que não há outra alternativa para encarar este período de receitas menores devido à pandemia do novo coronavírus.

A proposta apresentada foi a seguinte: suspensão de 50% dos salários de março, abril, maio e junho (se a crise persistir até lá) e congelamento dos direitos de imagem do período. Todos os valores que ficarem pendentes serão pagos após a normalização da situação, de forma parcelada. Para quem ganha menos de R$ 100 mil, o valor mínimo mensal a ser pago durante a crise será de R$ 50 mil. Quem recebe abaixo disso não será afetado.

É certo que o diretor de futebol Raí sofrerá exatamente as mesmas alterações em seus vencimentos. O mesmo deve se aplicar a outros membros da diretoria, inclusive ao presidente Leco, que é remunerado. Uma resolução oficial deve sair nos próximos dias.

Há algumas negociações individuais a fazer. Daniel Alves, por exemplo, tem uma robusta parcela de seus direitos de imagem para receber em abril. O clube tentará chegar a um acordo com ele para alterar a forma de pagamento e acredita que não terá problema.

O elenco do São Paulo entrou em férias de 20 dias, iniciadas na última quinta-feira. Não há nenhuma previsão de retorno de Paulistão e Copa Libertadores.

Lance

Gonzalo Carneiro tem pena reduzida e fica livre para voltar ao São Paulo

O Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD) reduziu a pena do atacante Gonzalo Carneiro, do São Paulo, de dois anos para um ano. A informação foi publicada inicialmente pelo Globo Esporte.

Como a contagem da pena passa a valer no dia da coleta, a punição do uruguaio terminou em 15 de março de 2020. Ele testou positivo para benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, em exame realizado após a derrota por 1 a 0 para o Palmeiras, em 16 de março de 2019, pelo Paulistão. Naquele dia, foi titular e jogou os 90 minutos.

A defesa de Gonzalo Carneiro, acompanhada de perto pelo São Paulo, conseguiu a redução do gancho ao mostrar que o jogador estava se dedicando ao tratamento. Como não podia frequentar as dependências do clube, ele voltou para o Uruguai, onde já havia retomado os treinos físicos.

O São Paulo havia suspendido o contrato do jogador e não estava pagando salários durante o período da punição. A tendência é de que o vínculo, válido até o fim de 2021, seja reativado com a liberação dele.

Isso não garante que o atleta será aproveitado por Fernando Diniz, o que ainda dependerá de uma conversa entre as partes. O São Paulo avalia que Gonzalo Carneiro não conseguiu se adaptar à vida no Brasil e à rotina de uma equipe grande, o que colaborou para que ele chegasse ao ponto de cair em um exame antidoping por uso de cocaína.

Lance

Tchê Tchê, do São Paulo, fala de treinos por vídeo e sonhos: “Que não houvesse pobreza e racismo”

Um dos pilares do São Paulo desde 2019, Tchê Tchê se tornou um primeiro volante em 2020 e cresceu ainda mais de rendimento. Com altos índices de passes certos e desarmes, o jogador é um dos mais elogiados pelo torcedor.

A pandemia do novo coronavírus, no entanto, freou a ascensão de Tchê Tchê e do próprio São Paulo. Todos os jogadores passaram a treinar em casa, e o volante tem o seu método para não perder a forma física durante a paralisação do futebol.

– Venho treinando por chamada de vídeo com a personal, na hora de treinar ela liga. Às vezes treino com a minha esposa, às vezes tem um amigo meu que vem me dar treino. A gente tem que se adaptar. Peguei uma esteira agora, está para chegar também, vamos correr aqui. A primeira semana a gente estranha muito, já tem 12 dias que eu não saio de casa. A princípio dá um surto na cabeça, você fica muito sem saber o que fazer, mas você se acostuma, tem que se adaptar – afirmou Tchê Tchê em entrevista à “SPFCtv”.

O jogador também comentou sobre sua nova função em campo. Até o ano passado, ele era o segundo volante da equipe. Fernando Diniz, porém, achou que recuar Tchê Tchê seria mais vantajoso. E foi.

O São Paulo melhorou a saída de bola da defesa e passou a criar mais chances de gol com a tática adotada pelo treinador. Tchê Tchê, porém, acredita que ainda pode melhorar outros aspectos em seu jogo.

– Acho que a maneira com que nossa equipe aprendeu a jogar com o Diniz e as apresentações em 2020, isso facilita muito. Eu erro muito pouco passe, mas tenho trabalhado para melhorar em bolas longas, lançamentos, acho que isso ajuda também, às vezes quando vem pressionar a gente pode achar… Eu, o Dani, o pessoal ali de trás achar um bom passe mais longo acaba quebrando as linhas e facilita para a gente chegar no gol adversário. Acho que é basicamente isso – comentou.

Durante a entrevista, Tchê Tchê também foi questionado sobre seus sonhos, e ele foi categórico na resposta:

– Que não houvesse pobreza e nem racismo. Que todos fossem tratados iguais.

Assim como diversos jogadores ao redor do mundo, Tchê Tchê já foi vítima de injúria racial. Em 2016, quando ainda defendia o Palmeiras, ele foi chamado de “macaco” por um torcedor do Athletico-PR.

Na ocasião, o jogador não tomou nenhuma medida contra o agressor e minimizou o fato em entrevista coletiva.

Globo Esporte

Em casa há 12 dias, Tchê Tchê treina online, estuda e lembra gol especial

Sem sair de casa, Tchê Tchê deu entrevista à TV oficial do São Paulo para falar de seu momento dentro de campo e da rotina durante a pausa dos campeonatos devido ao coronavírus. O camisa 8 também escolheu o mais marcante de seus 48 jogos com a camisa do Tricolor.

– Foi contra o Flamengo, que eu fiz o gol (empate por 1 a 1 no Morumbi pelo Brasileirão de 2019). Eu tinha passado mal, comi algo que não me fez bem no dia anterior e não consegui almoçar. Falei para o doutor que queria jogar do mesmo jeito e fiquei tomando Gatorade até a hora do jogo (risos) – lembrou, citando o único gol que fez pelo clube até o momento.

O volante está em casa com a esposa e com o filho Rhavier. Ele segue as recomendações do clube e tem treinado para não perder a forma.

– Eu venho treinando por chamadas de vídeo com personal. Na hora de treinar ela liga aqui, às vezes treino com a minha esposa, tem um amigo meu que vem me dar treino também. A gente tem que se adaptar, peguei uma esteira agora, está para chegar. Vou correr aqui – contou.

– Já faz 12 dias que não saio de casa. A princípio dá um surto na cabeça, você fica sem saber o que fazer, mas depois tem que se acostumar. Treinamentos, cuidar de casa, estar junto com a família… Meu filho não está indo para a escolinha, às vezes ele acorda e pergunta, quer ir. Não dá para explicar o que está acontecendo. É torcer para que passe o mais rápido possível e que a gente volte a jogar da maneira que a gente estava jogando.

Durante a conversa, ele disse que orienta Antony a estudar bem o inglês antes de ir para o Ajax, da Holanda, em julho. A paralisação dos campeonatos deu mais tempo para que o próprio Tchê Tchê faça isso.

– Eu tinha começado a fazer aulas, agora que a gente não tem ocupação com nada praticamente eu continuo fazendo. Estou fazendo as aulas online com o professor. Às vezes dá um pouco de preguiça, mas está bom.

Lance

São Paulo deseja força a Centurión após morte de namorada

O São Paulo utilizou o Twitter para prestar condolências ao atacante argentino Ricardo Centurión, cuja namorada, Melody Pasini, morreu na manhã deste domingo. A jovem de 25 anos sofreu uma parada cardíaca enquanto dirigia em Lanús, a caminho da casa dos pais, sem a companhia do jogador.

“Toda nossa força a Ricardo Centurión. Que toda a família e amigos sejam abraçados nesse momento difícil”, publicou o Tricolor, clube que Centurión defendeu entre 2015 e 2016, época em que já namorava com Melody.

Ela era muito ativa nas redes sociais, acompanhava o atleta de perto em suas atividades profissionais e torcia pelo Racing, equipe que o vendeu ao São Paulo.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

Toda nossa força a Ricardo Centurión. Que toda a família e amigos sejam abraçados nesse momento difícil.

695 pessoas estão falando sobre isso

O Vélez Sarsfield, atual clube de Centurión, também usou suas redes sociais para desejar força ao jogador. O mesmo foi feito pelo Racing.

Vélez Sarsfield (desde 🏠)

@Velez

⚫ La Institución acompaña en este duro momento a Ricardo Centurión, tras conocerse la triste noticia del fallecimiento de su novia, Melody Pasini. Nuestras condolencias a sus familiares y amigos ¡Mucha fuerza Centu!

Ver imagem no Twitter
639 pessoas estão falando sobre isso

Racing Club 🎓 (desde 🏡)

@RacingClub

Acompañamos a Ricardo Centurión y a su familia en este momento de dolor. Y siempre recordaremos a su novia, Melody Pasini, hincha y socia de nuestro club. A su familia, nuestras condolencias por su fallecimiento.

635 pessoas estão falando sobre isso
Lance

Em entrevista exclusiva, Daniel Alves fala sobre projeto nos esports e o impacto nos jovens de periferia

Daniel Alves é um atleta que se destaca pelo exemplo dado não só em campo, mas, principalmente, fora dele. Maior campeão da história do futebol, o jogador do São Paulo sempre esteve envolvido em causas humanitárias. Agora também envolvido nos esportes eletrônicos com o time Good Crazy, Daniel Alves tem como objetivo impactar o jovem de periferia que vive uma dura realidade por conta da desigualdade social do nosso país.

“Queremos criar uma oportunidade na vida das pessoas e jovens da periferia em especial, pois sabemos que muitas vezes fazem coisas erradas por não ter opção da coisa certa”, disse Daniel Alves em entrevista exclusiva ao ESPN Esports Brasil.

O lateral-direito e agora meia também foi direto sobre a situação delicada do Brasil, que teve em 2019 o quinto ano seguido no aumento da desigualdade de renda segundo estudo publicado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). “Sem justificar [as coisas erradas]. Isso é a realidade.”

O pontapé inicial da Good Crazy, porém, será na Espanha já que o investimento se deu junto à organização S2Vesports – com sede em Barcelona e cidade onde Daniel Alves criou raízes pela passagem vitória do clube catalão. “Começamos o projeto com base na Espanha, depois expandiremos para outros lugares. O Brasil é o seguinte que temos em mente.”

IR ALÉM DO ATLETA

Daniel Alves tem na nova organização o instrumento desejado para conscientizar os jovens quanto a valores de sociedade. É ir além do atleta. “Criar uma responsabilidade dentro de uma profissão, seja ela qual for, te diferencia dos outros. A partir da aí, penso que o que você faz começa a ter sentido e começa a existência de um legado a ser deixado para os seguintes.”

Esse caráter humanístico é a principal virtude do projeto. E Daniel Alves sabe que nos esports existem muitos jogadores que ganham muito mesmo com pouca idade. Foi quando o nome de Bugha, campeão mundial de Fortnite, entrou na conversa em contato com a reportagem.

O lateral “sabia sim” sobre o fato de que o menino de apenas 16 anos faturou prêmio de três milhões de dólares. Daniel Alves entende que essa não é a realidade de quem trabalha com esportes eletrônicos e que pode fazer brilhar os olhos de muita gente.

“A ideia é justamente criar uma consciência de que isso é um fato especial e isolado. Nem todos terão essa mesma sorte, mas muitos podem ter um bom direcionamento de vida e condições financeira através disso.”

Ele usou o próprio futebol como exemplo. “Nem todos serão super ou megas estrelas, mas a maioria vive muito bem do esporte.”

A ERA DIGITAL

Engana-se quem acha que a entrada de Daniel Alves nos esports se deu por uma paixão por games desde criança. “Não sou apaixonado nem nunca tive o poder aquisitivo para ter”, comentou de forma descontraída o jogador que teve uma infância humilde em Juazeiro, no interior da Bahia.

Ainda assim, Daniel Alves tem compreensão sobre como os jogos digitais são influentes na geração atual. “O mundo foi evoluindo pra esse lado. Felizmente ou infelizmente não tivemos muito acesso a isso [na infância], porém agora existe e temos que respeitar. ”

“O mundo hoje vive na era digital. E não apenas na área de games, mas no geral. Hoje o mercado virtual passou a salvar vidas de familiares pelo o que gera aos profissionais desse segmento. [Esport] é um mercado que cresceu muito nos últimos tempos e eu decidi entrar junto com a S2Vesports.”

Mas, até mesmo pelo histórico de atleta e por estar em atividade ainda aos 36 anos, Daniel Alves entende que um jogador profissional de esports não pode deixar o aspecto físico de lado. Por isso, a Good Crazy foi idealizada “junto ao meu endocrinologista que cuida da minha alimentação e prevenções” e contará com infraestrutura médica, física e até mesmo de nutrição – tudo com acompanhamento profissional.

“Acreditamos que a rotina dos jovens e das pessoas que praticam não são bem cuidadas e por isso estamos criamos um conceito único e inovador na área. O nosso conceito não é apenas cuidar de atletas, é cuidar da saúde deles. Sem dúvidas que pessoas saudáveis irão performar mais e sua durabilidade também. Tentaremos montar uma equipe saudável.”

MAIS SOBRE O PROJETO

Daniel Alves deixou bem claro que irá acompanhar de perto o desenvolvimento da Good Crazy – mesmo estando no Brasil. “Eu não faço parcerias nem crio conceitos que não faço acompanhamento do processo.”

A parceria com a S2Vesports chegou em boa hora. “Faz tempo que vejo o desenrolar dessa área, porém ainda não tinha encontrado os parceiros perfeitos para implementar os meus conceitos profissionais no seguimento virtual.”

Contudo, o veterano escondeu o jogo sobre quais modalidades a Good Crazy irá contemplar assim que as equipes forem lançadas. Nem mesmo o sucesso do cenário brasileiro em Free Fire, modalidade mais inclusiva atualmente, fez Daniel Alves soltar uma dica. “Não podemos abrir quais. Só posso dizer que não temos limites.”

Tendo em vista a S2Vesports, dá para se ter noção. Atualmente, a organização espanhola conta com sete times em: League of Legends, Fifa 20, Clash Royale, Fortnite, Rocket League, Street Fighter V e iRacing.

No fim das contas, Daniel Alves prefere focar em como a Good Crazy pode impactar os jovens de hoje, principalmente os de periferia. “A partir do momento que isso pode ser um ganha-pão para as pessoas, deixam de existir preconceitos. Nem todos podem praticar os esportes físicos de alto rendimento e viver disso.”

E, mesmo que não haja aquela paixão pelos esports ainda, dá para sentir que o sentimento não irá demorar para surgir. Afinal, questionado entre jogar uma pelada de futebol ou então pegar no joystick para jogar algum simulador de futebol, Daniel Alves deixou o caminho livre para os esportes eletrônicos.

“Não sou muito de peladas… Já passo o ano inteiro com uma exigência braba. Mas não descartaria trocar não pelo videogame, viu?”

ESPN

SPFC celebra aniversário de Diniz: ‘Hoje é dia de Dinizismo’

Nesta sexta-feira, o técnico Fernando Diniz completa 46 anos de idade e comemora seis meses de São Paulo. Mesmo durante a paralisação por conta da pandemia de coronavírus, o clube não deixou a data passar e celebrou o aniversário do treinador em suas redes sociais, além disso relembrou a chegada de seu comandante em setembro do ano passado.

E para marcar a 46ª primavera de Diniz, o Tricolor reforçou mais uma vez o termo “Dinizismo” como o oficial para descrever o método de trabalho do técnico. Na última quinta-feira, também em suas redes sociais, o clube já havia oficializado a expressão, uma vez que torcedores vinham debatendo se seria “Dinizmo” ou “Dinizismo”, como também mostrou a reportagem do LANCE!.

Aproveitando a data, o Twitter oficial do clube também chamou os são-paulinos para enviarem mensagens para Diniz nesta data comemorativa. A popularidade do treinador entre os tricolores está crescendo cada vez mais, enquanto a desconfiança de outrora vem dando lugar ao otimismo a para a admiração.

– Hoje é dia de Dinizismo! O nosso professor Fernando Diniz celebra 46 anos de vida. Agora o estagiário vai te dar uma missão, torcedor: escreva uma mensagem bem criativa pro nosso treinador, com o mesmo prazer que ele tem de jogar futebol – diz a postagem.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

🥳🎂 Hoje é dia de Dinizismo! O nosso professor Fernando Diniz celebra 46 anos de vida 🎈

Agora o estagiário vai te dar uma missão, torcedor: escreva uma mensagem bem criatividade pro nosso treinador, com o mesmo prazer que ele tem de jogar futebol.

Parabéns, Diniz! 👏🇾🇪

View image on Twitter
938 people are talking about this

Coincidentemente, esta sexta-feira também marca os seis meses de Fernando DIniz como treinador do São Paulo. Seu primeiro dia de trabalho no CT da Barra Funda foi no dia 27 de setembro de 2019, uma sexta-feira, véspera do duelo com o Flamengo, no Maracanã, que terminou empatado em 0 a 0, pelo Brasileirão. O clube relembrou a data e postou o vídeo da chegada do técnico.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

🎥🇾🇪 Que tal rever o primeiro dia de trabalho do aniversariante Diniz no Tricolor? Ele foi contratado na quinta (26/9), treinou o time na sexta (27/9) e estreou no sábado (28/9) no empate por 0 a 0 com o Flamengo no Maracanã. É o pontapé inicial do professor no !

Embedded video

80 people are talking about this

Nesses seis meses de “Dinizismo”, foram 29 jogos oficiais, 14 vitórias, sete empates e oito derrotas, resultando em 56,3% de aproveitamento, além de 34 gols marcados (média de 1,17 por jogo) e 24 gols sofridos (média 0,83 por jogo). Além disso, conseguiu levar o time para a fase de grupos da Copa Libertadores e neste ano foi o primeiro dos grandes a garantir vaga nas quartas de final do Paulistão, com duas rodadas de antecedência na fase de classificação.

As atividades do São Paulo, assim como nas principais competições do futebol brasileiro, estão paralisadas por tempo indeterminado buscando evitar a disseminação da pandemia de coronavírus. Enquanto isso, jogadores e comissão técnica estão mantendo contato diário a partir de suas residências. O elenco recebe orientações de como se preparação fisicamente no período.

Lance

São Paulo terá diálogo com elenco em busca de solução para pagar salários e definir férias

São Paulo vai incluir os jogadores no debate para buscar soluções de como arcar com os compromissos financeiros em meio à paralisação do futebol por causa do novo coronavírus. Sem nenhuma decisão tomada no momento, o Tricolor vai ouvir os atletas no processo de decisão para definir a maneira de pagar os salários.

Na última quarta-feira, os clubes das Séries A e B não entraram em um acordo coletivo sobre os salários. Ficou definido que os atletas teriam 20 dias de férias em abril.

Mas o São Paulo não vê essa questão imposta de forma arbitrária, entende ter a prerrogativa de ainda não dar férias e vai conversar com os jogadores sobre se eles estão de acordo com esse período de férias coletivas de 1º a 20 de abril. Ou seja, essa não é uma questão definida no Morumbi.

Em relação aos salários, o São Paulo já caminhava no sentido de buscar uma solução individual antes mesmo de a reunião entre os clubes ser realizada.

– Acredito que já foi passado algo de que vai ter uma conversa, de que nada vai ser imposto como obrigação. Ainda estamos aguardando alguns detalhes para ter essa conversa, nós queremos, mas não adianta nada se reunir nesse momento. Estamos esperando acalmar as coisas. Tem que ser algo que possa ser benéfico pra todos os lados. Tem que esperar e ver qual a posição do clube, a proposta do clube e, como falei, estamos aptos e abertos a algo bom pra todos os lados – afirmou o goleiro Tiago Volpi, ao ser perguntado pelo GloboEsporte.com em entrevista exclusiva.

– Houve um aviso, sim, de que vão conversar com todos os jogadores para poder tomar uma decisão em conjunto que seja algo benéfico para todos. Mas ainda não teve um pontapé inicial, ate porque precisa esperar as coisas acalmar um pouco. Não adianta querer pensar em acordo salarial nesse momento tumultuado. É esperar a maré baixar para ver isso – completou Volpi.

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São PauloFernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

 

O São Paulo tem uma preocupação interna financeiramente, pois as receitas diminuíram sem a realização dos jogos. A folha salarial total do elenco supera a casa dos R$ 11 milhões. Uma boa notícia foi a antecipação de parte da premiação pela participação na fase de grupos da Copa Libertadores, no valor de US$ 1,8 milhão (aproximadamente R$ 9,1 milhões).

Por outro lado, o clube teve prejuízo de R$ 47 mil no clássico com o Santos com portões fechados e não poderá contar com a renda de bilheteria. Além disso, o Barcelona ainda não pagou 1 milhão de euros (cerca de R$ 5 milhões) acertado pela opção de compra de Gustavo Maia, jogador da base.

– Os jogadores estão todos preocupados, porque a gente sabe como começou a pandemia, mas não sabe o fim, qual vai ser o pico de disseminação da doença e tem todas essas questões que estão sendo ventiladas pela imprensa que estou acompanhando. Mas o São Paulo está tendo uma postura muito positiva de buscar a solução conjuntamente, porque hoje o São Paulo trabalha ainda mais nessa direção, de fazer uma coisa que contemple todas as pessoas envolvidas no contexto geral do clube. E tendo como principais atores os jogadores e os torcedores – disse Fernando Diniz, em entrevista exclusiva ao “Troca de Passes”, do SporTV.

– Temos que fazer de tudo para que o jogador se sintam seguros e acho que o São Paulo está caminhando com a sua diretoria para essa direção, de trocar ideias. A gente, a diretoria não tem receios de trocar ideia, com suas lideranças, para eles participarem do processo decisório de maneira coerente. O jogador de futebol tem que ter mais voz e uma voz consciente porque de fato ele é, junto com o torcedor, o protagonista do espetáculo que é o futebol, que a gente, como vocês da imprensa, acaba participando. Ele tem que ser ouvido e aqui no São Paulo é ouvido – completou o treinador.

Fernando Diniz comenta trabalho realizado no São Paulo em

No início de fevereiro, o São Paulo recebeu cerca de R$ 38,5 milhões pela venda de 20% de David Neres ao Ajax em operação casada com a negociação de Antony, mas mesmo assim ainda segue com um déficit milionário. Na última reunião do Conselho de Administração, o clube apresentou em seu balanço R$ 156 milhões de déficit.

Há um receio de que algumas empresas parem de pagar mensalidades por também não estarem gerando receitas, o que dificultaria ainda mais o fluxo de caixa. Dos 13 patrocinadores que o São Paulo tem até este momento, apenas um sinalizou que pode deixar de pagar. O clube tenta contornar a situação.

Outro assunto que pode ser debatido com os jogadores é em relação ao direito de imagem. O pagamento é feito no dia 10 de cada mês, mas, como o São Paulo não está explorando essa imagem integramente devido à paralisação do futebol, pode haver uma discussão sobre como pagar esse valor a cada atleta.

Globo Esporte

São Paulo fará tempo real de reprise do jogo do centésimo gol de Ceni

Nesta sexta-feira, às 15h, o SporTV presenteará o torcedor tricolor com um jogo histórico: a vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Corinthians, no Paulistão-2011, clássico que ficou marcado pelo 100º gol de Rogério Ceni na carreira. E não haveria data melhor para transmitir a reprise, já que faz exatamente nove anos que a Arena Barueri foi palco desse momento épico para o são-paulino.

A transmissão dessa partida foi decidida por uma enquete aberta ao público pela internet. E obviamente os tricolores agiram em massa para pode rever esse clássico que ocorreu no dia 27 de março de 2011, principalmente durante este período de isolamento doméstico em que as competições de futebol estão paralisadas por tempo indeterminado por conta da pandemia de coronavírus.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

Hoje é dia de relembrar um Majestoso histórico! Nossa torcida votou e ganhou: o @SporTV reprisará a partida nesta sexta, às 15h!

⚽ São Paulo x Corinthians
🏟 Arena Barueri
🏆 @Paulistao
📺 SporTV
⏰ 15h (horário da transmissão hoje) 🇾🇪

Ver imagem no Twitter
450 pessoas estão falando sobre isso

Aproveitando que o duelo será transmitido na íntegra pelo canal a cabo do Grupo Globo, o São Paulo fará um tempo real pela sua conta oficial do Twitter para interagir com os torcedores como se estivesse naquele dia, que ficou marcado não só pelo feito de Rogério Ceni, mas também pela quebra de um jejum de vitória contra o rival que durava quatro anos.

O São Paulo saiu na frente no placar com um gol de Dagoberto, ainda no primeiro tempo. Na volta do intervalo, logo aos oito minutos, Rogério cobrou falta com a habitual precisão no ângulo do goleiro Júlio César e anotou o centésimo gol de sua carreira, justamente contra o Corinthians, um dos maiores rivais do Tricolor, que acabou descontando com Dentinho.

São Paulo FC (de 🏠)

@SaoPauloFC

Será que sai uma falta pro bater hoje?! 😏

Pra quem perguntou: vai ter tempo real aqui também, sim! 🇾🇪 https://twitter.com/sportv/status/1243546108682518531 

SporTV

@SporTV

Respondendo a @SaoPauloFC @Paulistao

Ele é 100 dúvidas um M1TO batendo faltas. 👏👏

134 pessoas estão falando sobre isso
Lance

Sem cravar data, Lucas Moura diz que faz planos de voltar ao São Paulo

Lucas Moura, talvez a principal cria do CFA de Cotia e hoje titular do Tottenham, conversou com os fãs em uma live no Instagram da empresa que gerencia sua carreira – a 4ComM – e respondeu a diversas perguntas sobre o São Paulo. O atacante de 27 anos diz que retornar ao Morumbi está em seus planos.

– Eu tenho, sim, o São Paulo na minha cabeça, nos meus planos. Quando cheguei na Europa, eu tinha uma meta de ficar aqui por pelo menos dez anos. Já passaram sete, teoricamente faltam mais três, mas a gente nunca sabe o dia de amanhã. Tenho contrato até 2023 com opção de renovar por mais um ano, mas sinto muita vontade de um dia voltar para o São Paulo, vestir aquela camisa novamente, é o clube que eu amo, a quem eu devo muito, estou sempre acompanhando. Difícil falar. Pode ser daqui três, cinco anos ou pode ser daqui um ano. Futebol é muito dinâmico e é difícil cravar uma data – disse Lucas, antes de responder se cogita vestir outra camisa no futebol brasileiro:

– Não sei se iria conseguir, não. Minha cabeça, no Brasil, é totalmente voltada para o São Paulo. É o clube que me formou, onde fiz grandes amigos, onde passei quatro anos na base e um período fantástico da minha vida. Jogar no Morumbi lotado, conquistar um título da maneira que aconteceu, ver a torcida subindo uma bandeira minha. É um amor muito grande que eu sinto, difícil vestir outra camisa no Brasil.

Lucas jogou na equipe profissional do São Paulo entre 2010 a 2012, acumulando 128 partidas, 33 gols e um título, o da Sul-Americana de 2012. Seu jogo de despedida foi justamente a final daquele torneio, com direito a gol na vitória por 2 a 0 sobre o Tigre (ARG), no Morumbi. Rogério Ceni, então capitão do Tricolor, convidou o garoto para erguer a taça com ele.

Após cinco temporadas e meia no PSG, Lucas transferiu-se para o Tottenham e hoje acredita estar vivendo um dos melhores momentos da sua carreira.

– É um momento muito positivo para mim, pessoalmente falando. Em relação a números não é a melhor temporada, mas em sequência de jogos, atuações e desempenho, eu estava muito satisfeito, com a confiança do treinador. Foi a maior sequência de jogos que tive desde que cheguei na Europa, estava muito feliz e me sentindo cada vez mais à vontade e mais solto em campo.

Veja outras declarações de Lucas durante a live:

Fã de Fernando Diniz
Sou muito fã do trabalho do Diniz, um grande admirador e torcedor. Confio bastante. Tive a oportunidade de conhecê-lo quando ele estava no Oeste, bati um papo muito bacana. É um cara muito inteligente, que pensa de maneira diferente. Torço bastante por ser um cara que preza pelo jogo bonito e por eu ser são-paulino. O time já estava muito bem nessa temporada e vai crescer ainda mais.

Gostaria de ser treinado por Rogério Ceni?
Essa pergunta é muito boa. Seria uma honra, seria um grande prazer, uma satisfação ser treinado por ele. Pela capacidade, pela inteligência que eu sei que ele tem. Foi uma grande honra para mim trabalhar com ele. Ele merece tudo o que conquistou e o que vai conquistar. É um amigo meu, estou sempre torcendo, quem sabe um dia.

Conselhos para o amigo Antony na Europa

O Antony é um grande amigo meu, um grande jogador, que estourou muito rápido e com certeza vai brilhar muito no futuro. O primeiro conselho de tudo, não sei se ele já está fazendo, deve estar, seria fazer um curso de inglês. Isso é muito importante, o europeu olha muito isso, ele chegar no clube já sabendo se comunicar é fundamental. Outra questão é foco, vai bater a saudade da família, dos amigos, das coisas do Brasil, vai ter o frio aqui. Com certeza ele tem muito a brilhar aqui na Europa. Vai para um grande clube, provavelmente vai disputar a Champions League, tem tudo para crescer ainda mais.

A pausa por causa do coronavírus
Aqui na Inglaterra, como em muitos lugares, a solicitação é para ficar em casa. Recebemos mensagem via SMS do governo na sexta-feira pedindo para sair só em caso de necessidade mesmo. E aquela questão de higienização, para manter dois metros de distância, lavar as mãos… A rotina até que não mudou muito porque a gente é bem caseiro, gosta muito de curtir a casa. O Miguel (filho de Lucas) parou de ir para a escolinha, mas não mudou muito a rotina porque gosta muito de ficar em casa, ver filme, fazer churrasco.

Treinos durante a pandemia
A maioria dos jogadores está treinando em casa. A gente recebeu uma ordem para voltar aos treinos só no dia 6 de abril, mas tem profissionais lá no clube, então os jogadores que estavam lesionados podem fazer o tratamento lá e quem quiser, um dia ou outro, pode ir treinar no campo, mas no geral é para ficar em casa. É o que eu estou fazendo, treinando em casa para manter a forma. É um período muito delicado para a humanidade, um momento de muita reflexão. Um momento para a gente refletir sobre nossas prioridades. É o momento de parar, colocar a mão na consciência, revisar nossas prioridades, aproveitar as pessoas que a gente ama e pensar no próximo.

Desejo de voltar logo a jogar

Claro que fico na expectativa de voltar logo, até porque é muito ruim ficar preso em casa sem poder sair e ficar sem jogar futebol. Nosso time não estava em um momento tão bom, eliminado em todas as competições e brigando para chegar entre os quatro primeiros da Premier League, mas a expectativa para a próxima temporada é grande. O Mourinho pegou o bonde andando e não é fácil. A expectativa é conseguir a classificação para a Champions e ano que vem começar bem desde a pré-temporada, com nova filosofia, e almejar coisas grandes.

Hat-trick contra o Ajax no ano passado, na semi da Champions
Foi o grande momento da minha carreira, o momento mais especial. Claro que teve outros, como a minha despedida do São Paulo, que eu jamais vou esquecer. Mas pela grandeza, por ser Champions League, pela dificuldade da partida, perdendo por 2 a 0 fora de casa e tendo que marcar três gols em 45 minutos, foi muito marcante.

Lance