São Paulo investe na manutenção do elenco e deve ser discreto no mercado

Tiago Volpi, Vitor Bueno e Igor Vinícius. Devem ser eles os principais reforços do São Paulo para a temporada 2020, apesar de já terem estado no elenco de 2019. Os esforços para garantir a permanência do trio mostra um perfil que o clube deve adotar nesta janela de transferências: priorizar a manutenção do grupo e ser discreto na atuação no mercado. A verdade é que o torcedor tricolor tende a se preparar para poucas ou nenhuma outra chegada.

Embora o São Paulo tenha fechado mais um ano sem títulos, o entendimento dos dirigentes é de que o elenco montado em 2019 é muito forte, com capacidade para disputar todas as competições com chances reais de ser campeão. Com a continuidade do trabalho de Fernando Diniz, há a crença de que essa força seja potencializada e comece a dar resultado já em 2020.

Essa projeção, porém, exigia que algumas peças permanecessem, principalmente Tiago Volpi, que acabou com a incerteza que rondou a posição de goleiro desde a aposentadoria de Rogério Ceni. É ele o principal reforço são-paulino para 2020, tanto pelo investimento (mais de R$ 20 milhões parcelados) quanto pela importância e liderança dentro de campo.

Outra definição importante foi a contratação em definitivo de Vitor Bueno junto ao Santos, que na negociação ficou com Raniel. O meia-atacante se destacou na reta final da temporada e foi um dos jogadores mais decisivos da “Era Diniz” ao lado de Antony. O acordo pelo camisa 12 foi considerado excelente, assim como o de Volpi, já que os valores ficaram bem abaixo do previsto em contrato ao término do vínculo por empréstimo, em dezembro de 2020.

Além da dupla citada acima, o São Paulo assegurou a permanência de Igor Vinícius, que estava emprestado até o fim deste ano pelo Ituano. O clube exerceu a sua opção de compra e ficou com o atleta, que é tratado como potencial futuro, ainda que atualmente seja reserva de Juanfran na lateral direita. Com a afirmação de Daniel Alves no meio, terá mais chances em 2020.

Apenas três jogadores do elenco atual têm contrato com término na próxima temporada. São eles o espanhol Juanfran, o zagueiro Anderson Martins e o equatoriano Rojas, cujo vínculo termina em julho, mas tem a situação incerta, já que está há mais de um ano sem atuar e se recupera de sua segunda cirurgia no joelho nesse período. Os outros atletas têm, pelo menos, mais dois anos de contrato, ou seja, a base do grupo, tende a se manter por algum tempo.

No entanto, algumas perdas devem ser inevitáveis e estão no planejamento para 2020. Antony, com sondagens do futebol alemão, dificilmente ficará. Walce pode seguir o mesmo caminho. Apesar de serem jogadores com muito potencial, podem render um bom dinheiro para os cofres do clube, que precisam de uma venda considerável, de preferência neste mês, para poder diminuir o déficit do ano, que é de aproximadamente R$ 180 milhões.

Vale lembrar que o goleiro Jean será demitido após as férias por conta do caso de agressão contra sua mulher nos EUA, onde foi preso e será uma baixa no elenco. A reposição para a sua posição, ou seja, de reserva imediato de Volpi, deve ser ocupada por Lucas Perri, que é o terceiro goleiro, cuja vaga tende a ser reposta por Júnior, também formado na base do clube, que pode ser ainda mais explorada em 2020 caso se confirme a postura discreta no mercado.

Com pouco dinheiro para investir, déficit a ser coberto e um grupo forte garantido, o elenco que se reapresenta após as férias, no dia 6 de janeiro, no CT da Barra Funda, deve ser praticamente o mesmo que terminou 2019, talvez apenas com a adição de um ou outro que retorna de empréstimo. No dia 7 a delegação parte para o CT de Cotia, onde fica por cerca de dez dias, em preparação para a estreia no Paulistão, em 22 de janeiro, contra o Água Santa.

Lance

São Paulo faz exigências ao Sport e não tem pressa para negociar Diego Souza

O São Paulo não tem pressa para se desfazer de Diego Souza. Precisando diminuir sua folha salarial, uma vez que parte do orçamento planejado para 2019 foi comprometido graças à eliminação na Pré-Libertadores, o clube espera que o Sport atenda a algumas exigências para começar a conversar sobre a transferência do jogador.

Com contrato até o fim deste ano e com opção de renovação por mais uma temporada, Diego Souza perdeu espaço com a chegada de Pablo e até agora não teve muitas oportunidades para se firmar no time titular. Artilheiro do São Paulo na temporada passada, com 16 gols, ele vê com bons olhos seu retorno ao Sport, clube no qual sempre contou com grande carinho da torcida – essa seria a terceira passagem dele pelo Leão.

Ao contrário da situação que o atacante encontraria em Recife, na capital paulista o moral do jogador não é nada alto. Neste domingo, pouco antes da partida contra o Red Bull, as torcidas organizadas do São Paulo organizaram um protesto em que Diego Souza era um dos alvos ao lado de Bruno Peres, Reinaldo, Nenê, Raí e Leco.

O “x” da questão é financeiro. Após ter investido R$ 10 milhões para tirar o jogador de Recife e trazê-lo para São Paulo, superando, inclusive, o interesse do Palmeiras pelo jogador em 2017, o São Paulo não está disposto a simplesmente cedê-lo por qualquer barganha apenas para se livrar de um dos maiores salários do elenco. Desta forma, há a possibilidade, inclusive, de a diretoria tricolor ouvir propostas de outros clubes pelo atacante.

O São Paulo não descarta negociá-lo, mas também não descarta mantê-lo. O técnico Cuca, que só assume a equipe em abril, já quis levar Diego Souza ao Palmeiras quando comandava o clube alviverde e por isso pode incluir o atacante em seu plano de reconstrução do Tricolor. O Sport, porém, não arreda o pé e segue confiante no retorno do jogador a Pernambuco.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Diego Souza se aproxima dos artilheiros do campeonato: confira o ranking

Três jogos abriram a 24ª rodada do Campeonato Brasileiro 2018 e o atacante Diego Souza, do São Paulo, foi o destaque do dia. Ele anotou o gol da vitória são-paulina sobre o Bahia e se aproximou de Pedro e Gabigol na artilharia da competição nacional.

Em jogo pegado no estádio do Morumbi, Diego Souza completou cruzamento de Nenê para o fundo das redes, decretou o triunfo que deixa o São Paulo provisoriamente na liderança, e ficou a dois gols igualar os 10 gols de Pedro, do Fluminense, e Gabriel Barbosa, do Santos.

Nos outros dois jogos deste sábado (8), Sport e Cruzeiro empataram por 0 a 0 e o Flamengo venceu a Chapecoense por 2 a 0 – gols de Renê e Diego.

VEJA A ARTILHARIA ATUALIZADA DO BRASILEIRÃO SÉRIE A:

10 GOLS
Pedro (Fluminense)
Gabriel Barbosa (Santos)

9 GOLS
Ricardo Oliveira (Atlético-MG)
Roger Guedes (Atlético-MG)

8 GOLS
Diego Souza (São Paulo)
Nene (São Paulo)
Willian (Palmeiras)

7 GOLS
Pablo (Atlético-PR)
Yago Pikachu (Vasco)
Everton (Grêmio)

6 GOLS
Gilberto (Bahia)
Lucas Paquetá (Flamengo)
Rodrygo (Santos)
Ángel Romero (Corinthians)
Nico López (Internacional)

5 GOLS
Willian Pottker (Internacional)
Kieza (Botafogo)
Neílton (Vitória)
Andrés Rios (Vasco)
Rafael Moura (América-MG)
Rodriguinho (Corinthians)
Everton (São Paulo)
Lucas Paquetá (Flamengo)
Bruno Henrique (Palmeiras)

Facebook vai transmitir Copa Libertadores a partir de 2019

A principal competição de clubes da América do Sul vai poder ser acompanhada pelo Facebook. A partir de 2019, a rede social vai transmitir jogos da Copa Libertadores da América ao vivo e de graça para seus usuários.

A informação foi divulgada pela Folha. O Facebook vai se juntar ao Grupo Globo e à Fox Sports, responsáveis pela transmissão do torneio pela TV. Enquanto Globo passa jogos exclusivamente na TV aberta e Fox Sports e SporTV dividem a transmissão na TV fechada, o Facebook vai transmitir jogos pela internet.

O valor do acordo que permite ao Facebook transmitir jogos da Libertadores não foi divulgado, mas a Folha diz que a rede social vai passar partidas disputadas às quintas-feiras. O contrato vale para as edições do torneio realizadas entre 2019 e 2022.

Com a aquisição dos direitos da Libertadores, o Facebook ganha força como parceiro do futebol mundial. Fora do Brasil, o Facebook já transmite jogos da Liga dos Campeões da Europa – por aqui, os direitos de transmissão pela internet pertencem ao Esporte Interativo. Ainda segundo a Folha, é esperado que a rede social faça uma proposta para também passar a competição europeia para o público brasileiro no futuro.