Vice-artilheiro da década no São Paulo, Pato ainda pensa na Seleção

A paralisação das atividades no São Paulo e no futebol brasileiro veio justamente no momento em que Alexandre Pato vinha atuando cada vez melhor e com a titularidade absoluta no ataque, mas isso não o frustra para os objetivos dentro e fora do clube. Vice-artilheiro do Tricolor na década, o camisa 7 está com a cabeça no Morumbi, mas ainda sonha com Seleção Brasileira.

Em entrevista ao programa “Resenha ESPN”, no último sábado, Pato foi extremamente aberto ao falar de sua carreira, daquilo que acha que errou no início dela e de como lida com as críticas sobre parecer que não tem ambições esportivas. Aos 30 anos de idade, o atacante que começou muito cedo o futebol, entende que hoje se prepara muito melhor do que antes.

– Naquela época cada vez eu encontrava alguém, hoje eu tenho um nutrólogo, naquela época, quando você é mais novo você tem que saber o que comer, eu não, com 20 anos eu achava que poderia comer o que quisesse, não tinha noção que um tipo de comida faz bem para lesão e outro tipo faz mal. Eu fazia o que tinha que fazer e tudo bem, mas faltou um pouco disso (nutrólogo, preparador físico, fisioterapeuta…), que naquela época não foi pensado. Pode ter sido uma falha minha, mas eu vejo que a estrutura que eu tenho hoje, se tivesse antes, teria feito muitas outras coisas, mas não me arrependo de nada.

Pato está em sua segunda passagem pelo São Paulo. Na primeira, entre 2014 e 2015 marcou 38 gols, um número que mostra bem o sucesso daquele momento, em que o camisa 7 estava emprestado pelo rival Corinthians. Em sua aclamada volta em 2019, houve uma demora para engrenar, o que tem acontecido agora, em 2020. Desde o retorno há cerca de um ano foram nove gols, o que somado aos da primeira passagem dá o total de 47 tentos.​

Embora as estatísticas da segunda passagem ainda não sejam muito boas, esses 47 gols fazem de Pato o vice-artilheiro do São Paulo na década (desde 2010), atrás somente de Luis Fabiano, que marcou incríveis 92 tentos entre 2011 e 2015. O ex-jogador do Milan supera Rogério Ceni (44 gols), Dagoberto (37 gols) e Lucas Moura (33 gols), que completam o “Top 5” do período.

Se engana quem pensa que Pato não tem aspirações que ultrapassam os limites das conquistas no São Paulo. Na mesma entrevista, o atacante revelou que ainda tem aspirações para voltar a ser convocado para a Seleção Brasileira, além de manter vivo o sonho de disputar uma Copa do Mundo, algo que acabou nas edições de 2010 e 2014, quando era um dos nomes mais badalados. Apesar desse objetivo, ele diz que o foco está no Tricolor.

– Hoje, minha cabeça é sim voltar para a Seleção. Eu quero jogar uma Copa, acho que para vir muitas coisas que não aconteceram naquela época para eu não ir para uma Copa do Mundo, mas o meu objetivo hoje é ganhar com o São Paulo, é fazer gols. Eu tenho um objetivo de ser campeão pelo São Paulo, entrar na história, ao mesmo tempo eu tenho o objetivo de chegar à Seleção, mas isso não é o meu foco agora, eu tenho que focar no São Paulo, é isso que eu estou fazendo – declarou ao “Resenha ESPN”.

Esse status de um dos maiores goleadores do São Paulo nesta década, aliado aos sonhos de Seleção Brasileira, mostram que aqueles que pensam que Pato é um jogador que já não tem muito mais ambição dentro de campo, pois já está realizado fora dele, estão equivocados. Pelo menos é o recado que o camisa 7 tentou passar na entrevista. Sua última convocação para vestir a camisa amarela foi em 2013, quando Felipão ainda treinava o selecionado.

– Muitas pessoas pensam que o Pato está sem vontade, já conseguiu dinheiro, já jogou lá na Europa e não tem mais objetivos. Eu acho que tudo isso, muitas vezes as pessoas não entendem, mas por todo o sacrifício que eu fiz, eu sou muito feliz pelo que eu tenho, porque eu conquistei. Nós que somos jogadores sabemos como são os treinos, você se machuca, enfrenta jogos com neve, frio, viagens, então eu vejo que muitas coisas eu fui aprendendo. Eu cheguei muito rápido lá em cima, e a escada não estava fixada muito bem. Então eu cheguei muito rápido, eu não passei pelo percurso de crescer, de amadurecer, eu fui logo ao nível muito alto. A diferença de hoje para aquela época é a cabeça que eu tenho – concluiu o atacante são-paulino.

Alexandre Pato, assim como todo o elenco do São Paulo, está em período de 20 dias de férias, desde a última quinta-feira. Ainda não há previsão de retorno das atividades coletivas no CT da Barra Funda nem da retomada das competições como Campeonato Paulista e Copa Libertadores. Tudo isso em decorrência da pandemia de coronavírus que assola o Brasil e o mundo.

CONFIRA OS DEZ MAIORES ARTILHEIROS DO SÃO PAULO ENTRE 2010 e 2020

1) Luis Fabiano – 92 gols
2) Alexandre Pato – 47 gols
3) Rogério Ceni – 44 gols
4) Dagoberto – 37 gols
5) Lucas Moura –  33 gols
6) Alan Kardec – 25 gols
7) Hernanes – 24 gols
8) Ganso – 24 gols
9) Michel Bastos – 22 gols
10) Aloísio (Boi Bandido) – 21 gols

Lance

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.