Diniz vê acomodação do São Paulo em derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, Confira a coletiva

O São Paulo teve uma atuação muito abaixo do esperado e perdeu para o Palmeiras por 3 a 0, hoje (30), no Allianz Parque. O Tricolor cometeu diversos erros, principalmente defensivos, e pouco criou durante o clássico. O técnico Fernando Diniz criticou a postura dos atletas, afirmando que eles não mostraram a mesma disposição de partidas anteriores.

“Faltou para a gente muita agressividade na marcação e na construção. O que tivemos no jogo contra o Flamengo, hoje faltou. Os jogadores sabem que essas coisas não podem faltar. Em algum aspecto fomos parecidos com no jogo com o Cruzeiro, em que eles (adversários) tiveram mais vontade. Não tem nada que não foi mapeado. O que não teve foi o desejo de vencer o Palmeiras, principalmente no primeiro tempo”, disse Fernando Diniz.

Apesar do resultado negativo, a equipe se mantém na quarta posição na tabela de classificação do Brasileirão, com 49 pontos. Na próxima rodada, o Tricolor enfrenta a Chapecoense, no sábado, fora de casa. A meta é se recuperar na busca por uma vaga na Libertadores.

“O São Paulo tem de se concentrar em conseguir se classificar para a Libertadores de maneira direita. Esse é o objetivo que temos mais claro. No campeonato não tem jogo fácil, todo está mundo lutando por algo, Temos de nos concentrar para alcançar nosso objetivo”, completou o técnico.

Confira os outros trechos da entrevista de Diniz:

Postura
Essas questões nós trabalhamos constantemente, Falo sempre, trabalho constantemente isso. Vamos trabalhando com os jogos. Temos de aprender que se ganhamos hoje, temos de vencer amanhã também. Não pode acontecer algum tipo de acomodação como foi no jogo com o Cruzeiro e no de hoje.

Por que tirou Vítor Bueno?
Acho que ele estava cansado. Era um jogador mais agressivo do nosso time, mas nos cinco minutos finais dele em campo, achei que teve uma queda física e por isso tirei.

Medo de jogar no Allianz?
Não acho que tenha a ver com jogar no Allianz, foi um comportamento semelhante ao do jogo com o Cruzeiro. Acho que não nos alimentamos do jogo com o Atlético-MG, quando o time ganhou, para encarar o Palmeiras. Entramos com o mapa emocional distorcido. Achamos que teríamos as mesmas facilidades do jogo com o Atlético-MG e pecamos muito nisso.

Daniel Alves
O plano é ele jogar onde o jogo pedir e a gente achar que é melhor. Ele jogou contra o Avaí na lateral e foi um sucesso total. Hoje não foi assim. Vamos usá-lo da melhor maneira possível.

Escolha do time
De uma partida para outra escolhemos o melhor time, a melhor situação. Quem nós acharmos que tiver a melhor situação, nós vamos colocar para atuar na partida em Chapecó.

Pato
Da maneira que fui enxergando os jogadores, ali o time ficou mais harmonioso. Ele não é um jogador para atuar fixo na área, como um 9, como o Deyverson no Palmeiras. Não acho que o rendimento seja apenas ligado ao posicionamento. Achei que hoje era a melhor posição que ele tinha para atuar.

UOL

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.