Anúncios
Futebol Home São Paulo Times

Juanfran se diz contente com estilo de Diniz no São Paulo e elogia futebol brasileiro: “Estou gostando muito”

Lateral-direito também falou do ídolo são-paulino Rogério Ceni: "Tem meu máximo respeito"

Contratado na última quinta-feira, o treinador teve apenas dois treinos com a equipe, além do empate com o Flamengo, no último sábado, no Maracanã. Mesmo assim, o lateral espanhol já viu pontos positivos em Diniz.

– Agora temos um novo treinador, todos temos que estar com ele, com sua ideia de jogo. Ele está transmitindo boa sensação a todos, pela sua ideia de jogo. Estamos contentes com ele. Dentro da ideia de jogo, a tática, o futebol se dá muito pela coragem, coração. Com esse novo treinador temos que tirar de todo o time para melhorar, principalmente dentro de casa, que perdemos muitos pontos – afirmou Juanfran.

O espanhol foi um dos destaques na estreia de Fernando Diniz no comando do São Paulo. Na parte defensiva, Juanfran foi quase impecável e não deu muitas chances para o flamenguista Bruno Henrique. No ataque, fez boas tabelas com Antony.

Dizendo-se adaptado ao Brasil, Juanfran já consegue ter uma melhor análise sobre o futebol brasileiro. O espanhol já tem sete jogos com a camisa do São Paulo, sendo seis deles como titular.

– Só tenho palavras positivas para o futebol do Brasil. Estou gostando muito. É muito diferente, não que seja pior ou melhor. Eu estou gostando muito. A todos que me perguntam na Espanha, eu só posso falar coisas boas do campeonato. Um campeonato muito complicado. Na Europa tem um ou dois que brigam pelo título, aqui tem muito mais. É melhor para todas as torcidas – analisou.

– Eu sempre trabalho da melhor forma, dou tudo, dou tudo com minha família, com a minha esposa, meus filhos, e com a minha família aqui também, que é o São Paulo. Eu vou jogar de todas as formas, dando o meu melhor. Acho que a torcida está satisfeita com o meu trabalho, porque me doo em todas. Acho que vou estar muito melhor a cada semana e jogo que passa para dar o meu melhor ao São Paulo –.completou.

No treino desta segunda, Juanfran treinou entre os titulares e deve ser utilizado por Fernando Diniz na partida do próximo sábado, às 17h, no Pacaembu, diante do Fortaleza. Será o reencontro da torcida são-paulina com o ídolo Rogério Ceni.

– Eu vi muito de Rogério (Ceni) na Espanha. Sempre na televisão ou por outras vias os seus gols. É um ídolo o futebol, tem meu máximo respeito. Ele é um ídolo Tricolor e da família tricolor, mas que seja melhor depois do jogo. Que ele perce esse jogo e que ganhe depois todos os jogos com o Fortaleza. Ele vai voltar a ver a torcida. É um ídolo. Espero que depois do jogo contra nós ele possa ganhar tudo. Contra nós que ele não possa ganhar – afirmou.

Com 36 pontos, o São Paulo ocupa a sexta posição do Brasileirão e está a dois pontos do Corinthians, quarto colocado. O rival, no entanto, tem um jogo a menos.

Veja como foi a entrevista coletiva de Juanfran:

Mudanças de técnicos no Brasil

– Na Espanha é um pouco mais diferente. Hoje em dia não há tranquilidade. Na Espanha quatro treinadores estão balançando, é futebol. Quando eu estive no Real Madrid eu tive três. No Osasuna, dois. No Atlético chegou o Simeone, e ele está até hoje, que é algo que não acontece muito no futebol. Aconteceu com o Manchester United com Ferguson, no Barcelona um pouco menos com Guardiola. Agora não podemos pensar no passado. Cuca tentou fazer o melhor trabalho possível e somos gratos a ele. Ele sabe que isso é futebol e Fernando também tem que transmitir o melhor do futebol. Assim é o futebol. Que todos os jogadores possam crer nos seus treinadores, e vamos crer. Que possamos passar muito tempo com ele.

Sobre mudança de estilo de jogo

– É uma troca que temos que fazer todos juntos, não só o Fernando. Cada um tem que mudar sua forma de jogo. Ele não é só o responsável, tem também os jogadores. Temos que ir dentro de nós e sabemos que cada um tem que dar o melhor para quem sabe no fim do campeonato o São Paulo ficar acima. Pela história, time, clube temos que fazer muito mais. A torcida tem que estar junto com a gente.

Sobre estilo de jogo de Diniz

– Ele tem uma ideia que muitos querem fazer, mas é complicada, porque os jogos são diferentes, os jogadores… Tem que ter um equilíbrio. O mais importante para ele e para nós é que a torcida esteja orgulhosa do nosso trabalho. Temos que crer em sua ideia de jogo e no seu trabalho.

Sobre a semana de treinos

– Na semana não se pode ver tudo, a forma de jogar de Fernando. Temos que ganhar. Se jogar pior ou melhor, temos que ganhar para estar em cima.

Por que está tão difícil ganhar como mandante?

– Uma grande pergunta, espero que o Fernando tenha a resposta. Ele é nosso capitão e vai ter que trabalhar para melhorarmos. Os jogos de fora também são importantes. Agora jogamos no Pacaembu e lá é nossa casa, com nossa torcida e temos que nos unir.

Como é a adaptação com Diniz

– Adaptação eu não tenho problema. Eu tenho 14 anos como profissional e já vi de tudo. Estou seguro que tem mais coisas que podem me surpreender, mas vão ser poucas. Isso é futebol. Vocês podem mudar de departamento e agora temos que pensar no presente. O presente agora é ganhar do Fortaleza. Não podemos jogar diferente do Flamengo: mesmo coração, mesma intensidade. Sempre com respeito ao Fortaleza.

Acompanha ainda o Atlético de Madrid?

– Eu sigo todo o futebol, gosto de ver todos os times, um bom futebol. Eu sou torcedor do Atlético (de Madri) assim como sou Tricolor agora.

Globo Esporte
Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.