Anúncios
Futebol Home São Paulo Times

Caso volte ao Brasil, jogador revela ter preferência pelo São Paulo

Mesmo tendo se destacado na base da equipe paulista, Lucas Piazon jamais fez uma partida dentre os profissionais do clube

Tendo aparecido como um dos bons valores quando atuava na base do São Paulo, o atacante brasileiro Lucas Piazon jamais conseguiu se firmar no futebol da Europa após ter sido comprado pelo Chelsea (Inglaterra) junto a equipe paulista.

Com a falta de espaço para ele no clube inglês, ele já rodou por várias equipes do Velho Continente e, em entrevista recente ao jornal português A Bola tendo sido emprestado na temporada 2019/2020 para o lusitano Rio Ave, ele demonstrou absoluta insatisfação com sua situação:

“Já estou no Chelsea desde 2011, rodei quase toda a Europa por empréstimo. Estou cansado de jogar aqui e ali, preciso de um lugar onde possa me sentir em casa. Quero saber que em julho vou para o mesmo lugar, para a mesma casa. Mudar toda hora é muito complicado.”

Tamanha é sua chateação com o atual panorama que ele não apenas avaliou já ter chegado a hora de se desvincular aos Blues como também, em caso de possível retorno ao Brasil, a preferência é atuar no São Paulo:

“O meu tempo no Chelsea já passou. Tenho 25 anos, fui emprestado várias vezes. Fazia uma boa temporada por empréstimo, mas regressava e logo era emprestado outra vez. Não adianta nada sair por empréstimo, jogar bem, voltar, não ser aproveitado e ser emprestado outra vez. Chega uma hora na carreira que não faz mais sentido passar por isso. Hoje, se pudesse aconselhar um jovem de 21 ou 22 anos que já passou por dois ou três empréstimos, diria: ‘Busque o melhor clube para ficar em definitivo’.”

“O São Paulo sempre foi meu clube de criança. Cheguei com 14 anos, morei três anos nas instalações do clube. Só tenho recordações boas do período na base. Sempre sonhei jogar profissionalmente no São Paulo e mantenho esse sonho. Se um dia voltar ao Brasil, tenho o desejo de jogar no São Paulo.”, acrescentou.

Apesar das palavras de Lucas, sua saída da equipe brasileira à época não foi algo tão corriqueiro como uma mera transferência rumo ao exterior.

Isso porque, antes da aquisição do Chelsea e quando ele tinha 15 anos de idade, o advogado que cuidava do gerenciamento de carreira, André Ribeiro, acionou a justiça para invalidar um segundo contrato posterior a data que ele completasse 16 anos de idade baseado na Lei Pelé e também na legislação da FIFA. Entretanto, como a ação de cunho trabalhista não foi bem sucedida, ele foi reintegrado as atividades fazendo um acordo com o clube paulista.

Lance

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.