Futebol Home São Paulo Times

Diretor do São Paulo diz que Cuca inventou problema na iluminação para justificar empate

A nova iluminação do estádio do Morumbi foi alvo de críticas de Cuca. Na entrevista coletiva após o Choque Rei no último sábado, o treinador disse que Tiago Volpi foi atrapalhado pela luminosidade no lance do gol de empate do Palmeiras. Em entrevista à Gazeta Esportiva, o diretor-executivo de infraestrutura do Morumbi, Eduardo Rebouças, rebateu as declarações sobre os novos refletores e ainda afirmou que Cuca inventou um problema para justificar o resultado da partida.

“Assiste com muito critério o Volpi olhando para a bola. Aí você me diz qual é a intenção do Cuca. O cara para dar desculpa que o time empatou inventa outro problema”, disparou o diretor.

Eduardo ressaltou que o novo sistema de iluminação, produzido pela empresa holandesa Philips, não recebeu críticas de nenhum jogador ou membro de comissão técnica do São Paulo e das seleções que jogaram no Morumbi pela Copa América.

“Não tem como mudar isso e vai ser assim em todos os estádios que tiverem esse tipo de refletor. Eu conversei com o pessoal da Phillips, que é especialista do assunto no mundo. Vieram jogar seis seleções aqui na Copa América e ninguém reclamou da iluminação, passou batido. O São Paulo já joga aqui há três meses, passou batido. Em um determinado momento a culpa é da iluminação?”, questionou o executivo.

A potência dos novos refletores é de 3.000 lux (unidade de iluminamento), enquanto os antigos eram de 700. O diretor de infraestrutura admite que a luminosidade atrapalha em um primeiro momento, porém destaca que os goleiros precisam se adaptar.

“Realmente, em um escanteio se você olha para cima, fica cego. Agora, você tem que aprender o timing, ele sabe que tem uma hora que dá para abaixar a cabeça e enxergar normalmente”, ressaltou o diretor.

Para efeito de comparação, a iluminação da Arena Corinthians tem potência de 5.000 lux, de acordo com o projeto apresentado pela Osram, empresa responsável por soluções luminotécnicas. Enquanto isso, o Allianz Parque tem refletores com potência de 2.100 lux no plano vertical e 2.800 lux no plano horizontal.

Eduardo garante que o clube está procurando alternativas para que a luminosidade não atrapalhe diretamente o jogo, porém não acredita que exista alguma solução.

“Nós estamos tentando ver no que é possível melhorar. Pela minha experiência, acho muito pouco provável que consigamos fazer alguma coisa”, concluiu o executivo.

Fonte: Gazeta Esportiva

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.