Anúncios
Futebol Home São Paulo Times

São Paulo joga mal e perde sua invencibilidade no Brasileirão

O Corinthians não deu brechas para o São Paulo e venceu o rival neste domingo (26), por 1 a 0, na Arena Corinthians, resultado que colocou o time dirigido por Fábio Carille no G-4 do Campeonato Brasileiro, com 11 pontos e 3 de saldo de gols

A vitória manteve o tabu do São Paulo não conseguir vencer o adversário em Itaquera. Agora são 12 jogos sem resultado positivo, com 10 derrotas e dois empates.

No jogo, válido pela sexta rodada, o Corinthians foi superior e, mais uma vez, soube encontrar o caminho do gol, mesmo mantendo a preocupação com a marcação. Pedrinho e Junior Urso foram destaques, nesta terceira vitória consecutiva, a segunda pelo Brasileiro. O time também está há três jogos sem levar gol.

Eles atuaram de forma dinâmica e abriram espaços no meio-campo são-paulino, fazendo a bola chegar com mais facilidade a Vágner Love.

O São Paulo abusou das jogadas pelo meio e, sem força ofensiva, não conseguiu reagir, ficando para trás na corrida pelo G-4. Atualmente, também está com 11 pontos, mas fora da zona de classificação para a Libertadores, por causa do saldo de gols.

O jogo

Em pouco tempo de jogo o Corinthians conseguiu desconstruir todo o esquema de Cuca. A intenção do treinador são-paulino era pressionar desde o início. De fato, o time do Morumbi começou tocando a bola na intermediária.

Mas bastou a primeira troca de passes do Corinthians para que brechas na marcação surgissem. Principalmente pelas laterais.

Foi assim que Fágner avançou, cruzou, pegou o rebote e serviu Pedrinho que fez sua jogada característica: chutar de forma seca, de fora da área, em um lance que costuma ser mortal. E foi, ainda mais após desvio da zaga: Corinthians 1 a 0.

A desvantagem deixou o São Paulo mais intranquilo, fazendo a equipe insistir em jogadas pelo meio. Bem postado, o Corinthians recuperava a bola e acelerava aos jogadas pelo lado, ora com Fágner, ora com Pedrinho e até com Vagner Love que, aos 26, desarma Arboleda e só não conclui livre porque adiantou demais a bola.

O Corinthians ainda ameaçou com chutes de longa distância (Ralf, aos 31) e cabeçadas em bolas paradas (Manoel, aos 33). Junior Urso, que controlou seu setor, avançava com perigo e ameaçou a meta de Tiago Volpi com dois chutes perigosos.

O São Paulo também era surpreendido pelo recuo de Clayson, que ajudou na marcação pela esquerda. Isso fez a defesa do Tricolor ficar confusa sobre quem marcar pelo setor em que Clayson costuma avançar.

No segundo tempo, o São Paulo entrou com Pato mais aberto, tentando prender os avanços de Fagner. Mas o Corinthians respondeu com Clayson jogando mais avançado, criando jogadas perigosas pelo lado esquerdo. O Corinthians continuou com o domínio do jogo.

Cuca, então, colocou Hernanes no lugar de Everton, muito marcado, para dar mais volume ao meio e auxiliar Vitor Bueno, também perdido entre marcadores, na armação.

O Corinthians, porém, continuou ditando o ritmo, já que encontrava espaços pelos lados do campo. Tocando bola, colocava o adversário na “roda”, em belas sequências de passes, principalmente em tabelas entre Fagner, em grande dia, e Pedrinho, que teve sua melhor atuação no Corinthians.

Isso, um dia antes dele se apresentar à seleção olímpica ao lado de Mateus Vital (que entrou na etapa final) e Antony, que teve atuação apagada. Faltou ao Corinthians, no entanto, mais ousadia para marcar o segundo gol.

O time parecia estar convicto de que a vitória era uma questão de tempo. Como foi, apesar de o São Paulo ter criado perigo no final.

Na próxima rodada, o Corinthians recebe o Goiás, com data ainda indefinida. Já o São Paulo enfrenta o Cruzeiro, no domingo (2), no Pacaembu, às 16h.

Na quarta (29), o São Paulo enfrenta o Bahia, em Salvador, precisando ganhar por dois gols de diferença para se classificar diretamente para as quartas da Copa do Brasil.

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.