Lugano abre mão de candidatura no Uruguai para se dedicar ao São Paulo

É possível que o torcedor volte a ver Diego Lugano ainda mais presente no dia a dia do futebol do São Paulo. O campeão mundial de 2005 sinalizou para o clube que não vai aceitar se candidatar para comandar a Associação Uruguaia da Futebol para seguir o seu trabalho no Morumbi. O ex-jogador era considerado um dos favoritos para assumir a entidade, que terá eleições no dia 21.

O ex-jogador sabe da importância que tem para o clube, ainda mais neste momento. Com a decisão, Lugano deve ficar ainda mais próximo do futebol. Apesar de ter um cargo que não tem ligação direta com o time profissional – o uruguaio é superintendente de relações institucionais do clube -, ele foi incentivado para retomar a proximidade da rotina do CT da Barra Funda.

Na visão dos integrantes do departamento, o ex-zagueiro tem um perfil muito diferente do executivo de futebol, Raí. O campeão mundial de 2005 é mais enérgico, enquanto o capitão no mundial de 1992 é mais ponderado. Neste sentido, a combinação dos dois pode servir para melhorar o ambiente e dar ainda mais segurança nas tomadas de decisão.

A iniciativa de aproveitar ainda mais Lugano no futebol foi de Raí e Leco, mas, segundo gente próxima à diretoria, Cuca foi consultado e gostou do plano. O UOL Esporte não conseguiu falar com o futuro treinador são-paulino. A intenção agora é ouvir mais Lugano sobre as decisões a serem tomadas, incluindo contratações e venda de jogadores. Vale ressaltar que ele não vai deixar o seu cargo, ou sua funções como superintendente de relações institucionais.

A avaliação é de que ele tem bom conhecimento do elenco, de suas necessidades e sabe como a maioria dos jogadores pode render. Outra missão a ser dada para o uruguaio é ajudar os atletas a entenderem como funciona o São Paulo e o que representa para o clube, por exemplo, perder um clássico ou ser eliminado da Libertadores.

Mesmo sem a sua função ser relacionada ao futebol, Lugano já participou de alguns momentos importantes – como na indicação do técnico Diego Aguirre, em março do ano passado. Quando o uruguaio era o treinador da equipe, até mesmo pela amizade dos dois, Lugano era visto constantemente no CT.

Não é segredo que Lugano ficou chateado com a demissão de Aguirre. Na sequência, na era André Jardine, muita gente no São Paulo reclamou de ausência do uruguaio no futebol, mas ele ainda acompanhava o time, segundo pessoas próximas, e teve problemas para conciliar a sua agenda. Ou seja, o “sumiço” não seria um boicote a Jardine.

De acordo com a apuração do UOL Esporte, Lugano gostou da contratação de Cuca, pois acreditou ser o nome certo para esse momento. Até mesmo por causa deste movimento de aproximação, ele participou de uma reunião com o treinador, o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e Raí, na última terça-feira. Já na quinta, tomou café da manhã com o executivo no CT da Barra Funda e viu parte do treino.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.