Futebol Home São Paulo Times

Mancini não garante Nenê “titular” no São Paulo: “Ser meu amigo não o credencia a isso”

Escolhido para substituir André Jardine de forma interina, Vagner Mancini é velho conhecido de algumas lideranças do elenco do São Paulo. Em sua carreira de treinador, o coordenador técnico já comandou atletas como Reinaldo, Everton e Willian Farias, além de ter dividido vestiário com Nenê.

Responsável por passar o bastão para Cuca ao final do Paulistão, Mancini diz que sua ascendência sobre esses jogadores pode facilitar o processo de transição e a implementação da proposta de jogo que imagina ser a ideal para o time tricolor.

“O Nenê é um caso diferente no elenco do São Paulo. Eu joguei com ele no Paulista de Jundiaí, eu com uma idade avançada já. Tenho uma amizade de longa data com ele. O Reinaldo (Chapecoense), Everton (Atlético-PR) e Willian Farias (Vitória) foram meus atletas”, contou.

“O que que isso me ajuda? Ajuda porque esses atletas já sabem minha metodologia de treinamento e o que penso sobre futebol. Quando você tem alguns interlocutores no elenco isso se torna mais fácil”, explicou.

Prestes a estrear como interino no clássico contra o Corinthians, marcado para este domingo (17 de fevereiro), em Itaquera, Mancini avisou que irá usar o pouco tempo que tem de preparação para elevar o moral do plantel na base da conversa.

“O mais importante é que todos comprem a ideia. Temos que fazer mais. Cada integrante do São Paulo tem que chegar aqui um pouquinho mais motivado, superando os obstáculos diários”, frisou o interino, que refuta deixar a amizade influenciar em suas decisões dentro de campo.

“O fato de o Nenê ser meu amigo, o Reinaldo ter sido meu atleta, não credencia esses jogadores para serem titulares. Eu sou justo no que faço, falo a verdade para o jogador. Se o cara não está bem, não tem que jogar. Futebol tem que ser dessa forma”, concluiu.

 

Fonte: Fox Sports

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.