Anúncios
Futebol Home São Paulo Times

No Morumbi, São Paulo ganhou todos os jogos de Liberta contra argentinos

Tricolor recebeu clubes do país vizinho em seu estádio dez vezes na competição e venceu todas. Das cinco vezes em que voltou da Argentina com resultado adverso, virou quatro

O São Paulo tem ao menos um bom motivo para acreditar na virada contra o Talleres (ARG), às 21h30 da próxima quarta-feira: no Morumbi, o clube nunca perdeu ou empatou jogos de Libertadores contra rivais argentinos. São dez jogos e dez vitórias.

Em cinco ocasiões, o Tricolor voltou da Argentina com resultados adversos para reverter em sua casa. Teve sucesso em quatro delas: final de 1992 (contra o Newell’s), oitavas de 1993 (contra o Newell’s e em situação idêntica à atual), oitavas de 2004 (contra o Rosario Central) e quartas de 2006 (contra o Estudiantes). Na final de 1994, contra o Vélez Sarsfield, a equipe venceu no tempo normal e perdeu nos pênaltis.

O Talleres venceu em casa por 2 a 0 na semana passada. Para avançar, o São Paulo precisará devolver o placar e ganhar nos pênaltis ou vencer por três ou mais gols de vantagem.

2016 – fase de grupos – São Paulo 2 x 1 River Plate

O último clube argentino a visitar o Morumbi em Copas Libertadores foi o River Plate, que era o atual campeão do torneio naquela ocasião. Com dois gols de Calleri, o time comandado por Edgardo Bauza venceu por 2 a 1 diante de 51.342 torcedores.

2015 – fase de grupos – São Paulo 1 x 0 San Lorenzo

O San Lorenzo, que também era o atual campeão da América quando visitou o Morumbi, quase arrancou um ponto do São Paulo. Mas Michel Bastos, aos 44 minutos do segundo tempo, definiu a vitória por 1 a 0. O técnico da equipe argentina era Edgardo Bauza, que iria para o Tricolor no ano seguinte. Do lado são-paulino, o comandante era Muricy Ramalho. O público foi tímido: 26.236.

2006 – quartas de final – São Paulo 1 (4) x (3) 0 Estudiantes

Em 2006, o São Paulo de Muricy Ramalho também voltou da Argentina em desvantagem, já que perdeu o jogo de ida contra o Estudiantes por 1 a 0. No Morumbi, um gol do zagueiro Edcarlos levou a decisão para os pênaltis. Aí, Rogério Ceni brilhou e fez a alegria de 66.056 pessoas.

2005 – semifinal – São Paulo 2 x 0 River Plate

Uma das melhores atuações do São Paulo em sua história. Com gols de Danilo e Rogério Ceni, o Tricolor de Paulo Autuori venceu o jogo de ida da semifinal por 2 a 0 diante de 61.027 pessoas e deu um passo enorme para chegar à decisão. No jogo de volta, no Monumental, aconteceu a única vitória do clube na Argentina pela Libertadores: 3 a 2, com gols de Danilo, Amoroso e Fabão.

2005 – fase de grupos – São Paulo 3 x 1 Quilmes

Ainda comandado por Emerson Leão, que sairia dias depois para comandar uma equipe japonesa, o São Paulo bateu o Quilmes por 3 a 1 com dois gols de Diego Tardelli e um de Cicinho. O público no Morumbi foi de 38.703 pessoas. Essa partida ficou marcada pela prisão do zagueiro Leandro Desábato, acusado de proferir ofensas racistas ao atacante Grafite.

2004 – oitavas de final – São Paulo 2 (5) x (4) 1 Rosario Central

Um dos jogos mais emocionantes do São Paulo em Copas Libertadores. Após perder por 1 a 0 na Argentina, o Tricolor saiu atrás no Morumbi e viu Luis Fabiano perder um pênalti, mas conseguiu virar com dois gols de Grafite, que saiu do banco ainda no fim do primeiro tempo. No intervalo, o técnico Cuca manteve a equipe no gramado para sentir o calor dos 59.468 torcedores nas arquibancadas. Nos pênaltis, Rogério Ceni defendeu as cobranças do goleiro Gaona e de Irace, classificando o time para as quartas.

1994 – final – São Paulo 1 (3) x (5) 0 Vélez Sarsfield

O São Paulo de Telê Santana ganhou o jogo por 1 a 0, gol de Muller, mas não levou o tricampeonato consecutivo da Libertadores. Como o Vélez havia vencido pelo mesmo placar na Argentina, a decisão foi para os pênaltis. E aí o goleiro Chilavert defendeu a cobrança de Palhinha, frustrando a maioria dos 92.560 presentes.

1993 – oitavas de final – São Paulo 4 x 0 Newell’s Old Boys

Campeão no ano anterior, o São Paulo iniciou sua caminhada na Libertadores de 1993 direto nas oitavas de final. E viveu uma situação idêntica à atual: perdeu o jogo de ida contra o Newell’s Old Boys, na Argentina, por 2 a 0. Na volta, as 31.931 pessoas que foram ao Morumbi assistiram a um espetáculo da equipe de Telê Santana: 4 a 0, gols de Raí (duas vezes), Dinho e Cafu.

1992 – final – São Paulo 1 x 0 Newell’s Old Boys 

O primeiro título do São Paulo veio após uma derrota na Argentina seguida de vitória no Morumbi. O time de Telê Santana perdeu o jogo de ida contra o Newell’s Old Boys por 1 a 0 e venceu a volta pelo mesmo placar, com gol de Raí. Nos pênaltis, Zetti brilhou e garantiu a vitória por 3 a 2 e a alegria de 105.185 pessoas (público divulgado oficialmente).

1972 – semifinal – São Paulo 1 x 0 Independiente

O primeiro clube argentino a visitar o Morumbi na Libertadores foi o Independiente. O Tricolor venceu o jogo de ida da semifinal de 1972 por 1 a 0, gol de Toninho Guerreiro, mas perdeu por 2 a 0 na volta e acabou eliminado. O público foi de aproximadamente 50 mil pessoas.

 

Fonte: Lance

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.