Futebol Home São Paulo Times

No Morumbi, São Paulo ganhou todos os jogos de Liberta contra argentinos

Tricolor recebeu clubes do país vizinho em seu estádio dez vezes na competição e venceu todas. Das cinco vezes em que voltou da Argentina com resultado adverso, virou quatro

O São Paulo tem ao menos um bom motivo para acreditar na virada contra o Talleres (ARG), às 21h30 da próxima quarta-feira: no Morumbi, o clube nunca perdeu ou empatou jogos de Libertadores contra rivais argentinos. São dez jogos e dez vitórias.

Em cinco ocasiões, o Tricolor voltou da Argentina com resultados adversos para reverter em sua casa. Teve sucesso em quatro delas: final de 1992 (contra o Newell’s), oitavas de 1993 (contra o Newell’s e em situação idêntica à atual), oitavas de 2004 (contra o Rosario Central) e quartas de 2006 (contra o Estudiantes). Na final de 1994, contra o Vélez Sarsfield, a equipe venceu no tempo normal e perdeu nos pênaltis.

O Talleres venceu em casa por 2 a 0 na semana passada. Para avançar, o São Paulo precisará devolver o placar e ganhar nos pênaltis ou vencer por três ou mais gols de vantagem.

2016 – fase de grupos – São Paulo 2 x 1 River Plate

O último clube argentino a visitar o Morumbi em Copas Libertadores foi o River Plate, que era o atual campeão do torneio naquela ocasião. Com dois gols de Calleri, o time comandado por Edgardo Bauza venceu por 2 a 1 diante de 51.342 torcedores.

2015 – fase de grupos – São Paulo 1 x 0 San Lorenzo

O San Lorenzo, que também era o atual campeão da América quando visitou o Morumbi, quase arrancou um ponto do São Paulo. Mas Michel Bastos, aos 44 minutos do segundo tempo, definiu a vitória por 1 a 0. O técnico da equipe argentina era Edgardo Bauza, que iria para o Tricolor no ano seguinte. Do lado são-paulino, o comandante era Muricy Ramalho. O público foi tímido: 26.236.

2006 – quartas de final – São Paulo 1 (4) x (3) 0 Estudiantes

Em 2006, o São Paulo de Muricy Ramalho também voltou da Argentina em desvantagem, já que perdeu o jogo de ida contra o Estudiantes por 1 a 0. No Morumbi, um gol do zagueiro Edcarlos levou a decisão para os pênaltis. Aí, Rogério Ceni brilhou e fez a alegria de 66.056 pessoas.

2005 – semifinal – São Paulo 2 x 0 River Plate

Uma das melhores atuações do São Paulo em sua história. Com gols de Danilo e Rogério Ceni, o Tricolor de Paulo Autuori venceu o jogo de ida da semifinal por 2 a 0 diante de 61.027 pessoas e deu um passo enorme para chegar à decisão. No jogo de volta, no Monumental, aconteceu a única vitória do clube na Argentina pela Libertadores: 3 a 2, com gols de Danilo, Amoroso e Fabão.

2005 – fase de grupos – São Paulo 3 x 1 Quilmes

Ainda comandado por Emerson Leão, que sairia dias depois para comandar uma equipe japonesa, o São Paulo bateu o Quilmes por 3 a 1 com dois gols de Diego Tardelli e um de Cicinho. O público no Morumbi foi de 38.703 pessoas. Essa partida ficou marcada pela prisão do zagueiro Leandro Desábato, acusado de proferir ofensas racistas ao atacante Grafite.

2004 – oitavas de final – São Paulo 2 (5) x (4) 1 Rosario Central

Um dos jogos mais emocionantes do São Paulo em Copas Libertadores. Após perder por 1 a 0 na Argentina, o Tricolor saiu atrás no Morumbi e viu Luis Fabiano perder um pênalti, mas conseguiu virar com dois gols de Grafite, que saiu do banco ainda no fim do primeiro tempo. No intervalo, o técnico Cuca manteve a equipe no gramado para sentir o calor dos 59.468 torcedores nas arquibancadas. Nos pênaltis, Rogério Ceni defendeu as cobranças do goleiro Gaona e de Irace, classificando o time para as quartas.

1994 – final – São Paulo 1 (3) x (5) 0 Vélez Sarsfield

O São Paulo de Telê Santana ganhou o jogo por 1 a 0, gol de Muller, mas não levou o tricampeonato consecutivo da Libertadores. Como o Vélez havia vencido pelo mesmo placar na Argentina, a decisão foi para os pênaltis. E aí o goleiro Chilavert defendeu a cobrança de Palhinha, frustrando a maioria dos 92.560 presentes.

1993 – oitavas de final – São Paulo 4 x 0 Newell’s Old Boys

Campeão no ano anterior, o São Paulo iniciou sua caminhada na Libertadores de 1993 direto nas oitavas de final. E viveu uma situação idêntica à atual: perdeu o jogo de ida contra o Newell’s Old Boys, na Argentina, por 2 a 0. Na volta, as 31.931 pessoas que foram ao Morumbi assistiram a um espetáculo da equipe de Telê Santana: 4 a 0, gols de Raí (duas vezes), Dinho e Cafu.

1992 – final – São Paulo 1 x 0 Newell’s Old Boys 

O primeiro título do São Paulo veio após uma derrota na Argentina seguida de vitória no Morumbi. O time de Telê Santana perdeu o jogo de ida contra o Newell’s Old Boys por 1 a 0 e venceu a volta pelo mesmo placar, com gol de Raí. Nos pênaltis, Zetti brilhou e garantiu a vitória por 3 a 2 e a alegria de 105.185 pessoas (público divulgado oficialmente).

1972 – semifinal – São Paulo 1 x 0 Independiente

O primeiro clube argentino a visitar o Morumbi na Libertadores foi o Independiente. O Tricolor venceu o jogo de ida da semifinal de 1972 por 1 a 0, gol de Toninho Guerreiro, mas perdeu por 2 a 0 na volta e acabou eliminado. O público foi de aproximadamente 50 mil pessoas.

 

Fonte: Lance

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.