Futebol Home São Paulo Times

Propositivo? São Paulo é quem menos troca passes e finaliza entre os grandes paulistas

A derrota diante do Santos pela terceira rodada do Campeonato Paulista foi a primeira do São Paulo de André Jardine em partidas oficiais no ano de 2019. Depois de dois triunfos, o Tricolor sucumbiu frente a equipe da Baixada, foi dominado em boa parte dos 90 minutos e ainda viu o revés expor a falta de precisão de alguns conceitos do jogo de seu comandante. Dois deles, inclusive, fundamentais para seu estilo, seguem com baixo aproveitamento: passes e finalizações.

Perguntado em sua primeira entrevista como treinador principal, e efetivado, do Tricolor, ainda em 2018, sobre qual seria seu estilo e o que poderia ser cobrado de sua equipe diante de suas principais ideias, Jardine se mostrou entusiasta da posse de bola e de um time que tivesse imposição sobre o adversário. Para resumir suas ideias, utilizou o termo “propositivo”, que no primeiro grande teste da temporada se mostrou ainda passível de ajustes.

Dos quatro principais favoritos ao título do Campeonato Paulista, o São Paulo é quem menos troca passes e, consequentemente, o que possui pior aproveitamento. Nas três primeiras partidas, o Tricolor somou 1.135 passes, 36 a menos que o Palmeiras e 62 a menos que o Santos. O Corinthians, líder no quesito, trocou 1.831 passes, uma diferença de 696 passes em relação ao rival.

Em outro aspecto fundamental do estilo de jogo propositivo, a finalização, o time do Morumbi também se encontra atrás de seus rivais. Nono na classificação geral do quesito entre as equipes que disputam a Série A1 do Paulista, o São Paulo arrematou 29 vezes somando os compromissos contra Mirassol, Novorizontino e Santos. Dessas, 10 exigiram defesas dos goleiros ou balançaram as redes, enquanto outras 19 não chegaram à meta.

Em comparação com os rivais, o número ainda é baixo. O Palmeiras, oitavo na classificação geral do quesito, finalizou 32 vezes (nove certas). Já o Corinthians arrematou 34 vezes (sete certas), enquanto o Santos, líder, possui 50 chutes ao gol no Paulista, 11 apenas no San-São do último domingo.

Ainda assim, o São Paulo já demonstrou pontos positivos e, por exemplo, é ao lado do Santos o time com mais gols marcados nos primeiros três jogos do Campeonato Paulista: sete. Desses, entretanto, poucos tiveram o “carimbo” do estilo de jogo propositivo, de troca de passes e transformação da posse de bola em tentos. Na estreia, na goleada por 4 a 1 sobre o Mirassol, dois gols foram provenientes da bola parada, enquanto outros dois foram de jogadas trabalhadas.

Já diante do Novorizontino, em que o Tricolor triunfou por 3 a 0, Everton abriu o marcador após bom passe de Nenê, ainda nos primeiros minutos. Depois, Diego Souza aproveitou uma falha da defesa do time do interior para ampliar e, no fim, Pablo ampliou com um chute de longa distância que o goleiro rival não conseguiu defender.

A fim de apagar a impressão ruim deixada no clássico contra o Santos, o São Paulo volta a campo na próxima quinta-feira, no Pacaembu, para medir forças com o Guarani. Existe a expectativa, ainda, de que o duelo marque a estreia oficial de Hernanes, principal contratação do Tricolor em 2019.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.