Anúncios
Futebol Home São Paulo Times

Volpi pegou mais pênaltis que todo o São Paulo nos últimos 4 anos

Tiago Volpi está perto de ser anunciado pelo São Paulo. Será mais um a tentar superar os problemas do Tricolor no gol, que incomodam clube e torcida desde a aposentadoria de Rogério Ceni no fim de 2015. O goleiro de 28 anos chega saudado por torcedores nas redes sociais e conta com o desempenho nos pênaltis como um de seus maiores trunfos na nova missão.

Durante as quatro temporadas em que defendeu o Querétaro, do México, Volpi defendeu 11 cobranças de pênalti. Foram quatro em disputas de penalidades, todas na campanha do título do Apertura da Copa do México. O brasileiro foi decisivo na semifinal e na final do torneio, pegando duas cobranças em cada e ainda convertendo seus dois chutes.

No tempo normal, foram outras sete defesas, em competições como a Liga dos Campeões da Concacaf, Campeonato Mexicano e, de novo, Copa do México.

No mesmo período – as temporadas de 2015, 2016, 2017 e 2018 -, o São Paulo conseguiu apenas nove defesas de pênalti. E com três goleiros diferentes. Rogério Ceni, no ano do fim da carreira, pegou uma cobrança em tempo normal e duas em disputa. Em 2016, Denis também conseguiu parar uma penalidade durante um jogo. Já nos dois últimos anos, Sidão fez cinco defesas, todas em disputas de pênalti.

Rogério Ceni – Cruzeiro 1(4)x(3)0 São Paulo – disputa nas oitavas de final da Libertadores de 2015
Rogério Ceni – Cruzeiro 1(4)x(3)0 São Paulo – disputa nas oitavas de final da Libertadores de 2015
Rogério Ceni – São Paulo 3×2 Santos – tempo normal no Campeonato Brasileiro de 2015
Denis – Santa Cruz 1×2 São Paulo – tempo normal no Campeonato Brasileiro de 2016
Sidão – São Paulo 0(8)x(7)0 River Plate – disputa na semifinal da Florida Cup de 2017
Sidão – São Paulo 0(8)x(7)0 River Plate – disputa na semifinal da Florida Cup de 2017
Sidão – São Paulo 0(4)x(3)0 Corinthians – disputa na final da Florida Cup de 2017
Sidão – São Paulo 0(4)x(3)0 Corinthians – disputa na final da Florida Cup de 2017
Sidão – Corinthians 1(4)x(3)0 São Paulo – disputa na semifinal do Campeonato Paulista de 2018

Contando ainda as passagens por São José-RS, onde se profissionalizou, e Figueirense, clube pelo qual mais jogou no Brasil, Volpi totaliza 26 pênaltis defendidos (11 em disputa e 15 em tempo normal). Esse histórico pode ser ainda mais importante para o São Paulo devido à participação na fase preliminar da Copa Libertadores da América já em fevereiro.

No México, as penalidades o ajudaram a consolidar a imagem de ídolo da torcida do Querétaro. Mas não foi só isso. O desempenho geral o elevou a um dos principais goleiros do México.

A competição não é tão simples assim, já que inclui o veterano mexicano Jesus Corona, do Cruz Azul, e os argentinos Marcelo Barovero, do Monterrey, e Augustin Marchesin, do América. Volpi foi apontado como o principal nome da posição em 2018 e tem a saída muito lamentada.

Não só pelos torcedores do Querétaro, mas também pela imprensa local e pelos fãs do Cruz Azul, que o viam como um bom sucessor para Corona. Suas virtudes que mais se destacam são a explosão para sair no mano a mano com os atacantes e o reflexo, ainda que possa optar mais vezes por espalmar do que tentar agarrar a bola.

Também contribuiu para que o brasileiro aparecesse tanto a qualidade dos times montados pelo Querétaro, que em 2015 chegou a ter Ronaldinho Gaúcho no elenco. A equipe poucas vezes passou ao mata-mata do Campeonato Mexicano, figurando quase sempre do meio para baixo da tabela.

O nível baixo se refletia na defesa, deixando Tiago Volpi mais exposto do que seria em um time mais organizado. Não à toa, em quatro temporadas, teve média de 1,3 gol sofrido por partida. O São Paulo, no mesmo período, apresenta média de 1,02.

Esse fenômeno pôde ser visto no Campeonato Brasileiro deste ano com Jandrei, da Chapecoense, e Everson, do Ceará. Os dois times só escaparam do rebaixamento nas rodadas finais do torneio, mas tiveram seus goleiros como destaques e ocupando a primeira e a terceira colocação, respectivamente, no ranking de defesas na Série A.

Atuação heroica contra o São Paulo em 2014

No primeiro turno do Brasileirão de 2014, o São Paulo brigava para encostar no líder Cruzeiro e precisava vencer o Figueirense no Orlando Scarpelli sem Paulo Henrique Ganso e Alexandre Pato. Kaká e Alan Kardec foram as estrelas que restaram e que foram frustradas por Tiago Volpi. Os dois tiveram oportunidades claras de marcar, mas o goleiro realizou duas ótimas defesas.

Foi preciso Rogério Ceni aparecer para converter pênalti e impedir a derrota do Tricolor em Florianópolis. Após o fim do empate por 1 a 1, os dois arqueiros trocaram cumprimentos e Volpi ficou na mira do São Paulo para ser reserva do Mito no ano seguinte, o último da carreira do ídolo.

 

Fonte: UOL

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.