Home São Paulo Times

Jardine justifica volta de Nenê entre os titulares e diz se já se sente ‘técnico do São Paulo’

Técnico mostrou confiança de que poderá fazer um bom trabalho à frente do Tricolor Paulista, nesta reta final do Brasileirão

Escolhido pela diretoria do São Paulo para ser o substituto do técnico Diego Aguirre até, pelo menos, o fim do Brasileirão, André Jardine comandou a equipe pela primeira vez e deixou o Morumbi com empate em 1 a 1 com o Grêmio, pela 34ª rodada da competição. Entre as novidades, o treinador promoveu o retorno de Nenê entre os titulares, assim como a entrada do jovem Helinho, que ainda não tinha iniciado uma partida pelo Tricolor.

Após o empate, Jardine falou em entrevista coletiva e, primeiramente, justificou retorno do camisa 10 no onze inicial.

“A dupla de ataque titular vinha sendo Diego Souza e Carneiro, curiosamente, os dois se machucaram. O Diego Souza começaria o jogo, tinha treinado, o Carneiro deve levar um tempo, então tínhamos que escolher um substituto para ele. Entendo que o Nenê hoje é uma referência para o grupo, um jogador extremamente querido por todos, comprometido com o clube, se dedica ao máximos nos treinamentos, que foi, ao longo de todo o campeonato, uma referência da equipe, um dos melhores jogadores, na minha visão, do campeonato, saiu em algum momento porque a comissão entendia que se devia tentar algumas situações diferentes, obviamente que nenhum jogador gosta de sair, costumamos dizer que o reserva não tem que estar satisfeito mesmo e buscar nos treinamentos resolver a sua insatisfação, mostrar que merece um espaço, e com o que vejo diariamente, ainda pode contribuir muito e que vai nos ajudar nessa reta final de ano e até o fim do contrato dele”, afirmou.

Em seguida, perguntado sobre a sua situação no São Paulo, Jardine mostrou confiança em poder fazer um bom trabalho e revelou a promessa feita pela diretoria são-paulina, referente ao período em que, inicialmente, ficará à frente do cargo.

“Nesse momento, (sinto) aquilo que me foi prometido: até o fim do campeonato, eu sou o técnico, interino ou não. Tenho a palavra da diretoria que é até o fim do ano, e para mim já é uma grande oportunidade de mostrar o que sou capaz de fazer porque tenho 15 anos de profissão, nas 15 como treinador…Nunca tive nenhum tipo de problema, sou muito transparente, sincero, e acredito que o jogador respeita muito o seu líder quando ele percebe, primeiro, competência e, nesses 15 anos que fui treinador, sempre obtive resultado, do clube, das categorias (de base), sempre tive o respeito e, sinceramente, se merecer a oportunidade do São Paulo, tenho certeza que será muito fácil a questão da gestão do grupo, o São Paulo tem jogadores com caráter acima da médica. Profissionais dedicados, que respeitam uns aos outros”, completou.

 

Fonte: Fox Sports

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.