Futebol Home São Paulo Times

Dirigente do Inter diz que Lugano foi irresponsável

As declarações de Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo, causaram desconforto no Internacional. Ao citar o clube e reclamar de erros de arbitragem, no início da semana, o uruguaio gerou resposta imediata dos gaúchos.


“O Inter acredita muito na Comissão de Arbitragem, credibilidade das pessoas que buscam sempre acertar nas decisões dentro dos jogos e que não interfiram nos resultados de campo. Vemos com muita estranheza esse tipo de declaração, ainda mais citando nominalmente o Inter, que já teve grandes prejuízos contra si durante o campeonato. O que houve em 2005 é uma mancha sem precedentes na história do futebol brasileiro, onde o clube foi muito prejudicado em várias frentes”, disse o diretor executivo de futebol do Inter, Rodrigo Caetano, ao UOL Esporte.

Lugano se manifestou na noite de segunda-feira e disse, entre outras coisas, que há um ‘sentimento de culpa’ da CBF pela anulação dos jogos do Brasileiro de 2005 que prejudicaram o Inter na disputa daquele Brasileiro.

“Os dois pênaltis do Inter contra a Chapecoense. O gol do Inter contra o Corinthians ou ontem (contra o Vitória), me lembra quando o Inter perdeu o Campeonato (de 2005). Talvez haja um sentimento de culpa, o campeonato ficou manchado”, disparou. “Perdemos todos. Esse campeonato está sendo muito (marcado por erros). Sempre é, mas dessa vez está mais evidente porque tem mais times brigando lá em cima”, completou. “Essa última rodada do Brasileirão foi quase uma piada, e não são simplesmente erros. Deve ter uma origem diferente”, ironizou Lugano.

“Eu qualifico como irresponsável e indelicada (a manifestação do dirigente são-paulino). Mesmo sendo ídolo do São Paulo, isso não permite ele fazer ilações dessa forma, não pode sugerir que nosso clube só está nessa posição por erros de arbitragem, que ocorrem para todos os lados. Assim como no São Paulo, aqui existe trabalho, grandes profissionais nas diversas áreas, um ótimo elenco e comissão técnica, uma diretoria séria e competente, que lidera todos esses profissionais, e também uma torcida gigante e apaixonada. Além da acusação à CBF e Comissão de Arbitragem, essa declaração é um desrespeito também à história vencedora do Inter e de todo o trabalho realizado até aqui. Isso ele não tem o direito. Quando nos sentimos prejudicados pela arbitragem, vamos até a Comissão e apresentamos nossa posição, sem jamais citar outro clube como favorecido, independente de qual for”, retrucou Caetano.

Ao Colorado, as palavras soam como uma tentativa clara de pressionar a arbitragem nos próximos jogos. O São Paulo é atualmente o terceiro colocado na classificação. Tem 52 pontos, um a menos que Inter e Palmeiras, que estão acima. Nesta rodada, encaram o Alviverde e na próxima tem confronto direto com o Colorado.

“É um claro condicionamento de arbitragem para o restante da competição. Pela posição que ocupa e tudo que fez pelo futebol, é muito surpreendente e decepcionante que o Lugano adote uma postura desse tipo em nome do São Paulo. Ele citou nominalmente o Inter”, acrescentou o dirigente gaúcho. “Nós acreditamos no trabalho da Comissão de Arbitragem e todas equipes que vão trabalhar nas partidas. Erros estão ocorrendo para todos os lados. O próprio São Paulo já foi beneficiado em jogos como contra o Botafogo (1º turno), Fluminense (1º turno), Vitória (1º turno), entre outros. Assim como já teve prejuízo. O Odair falou uma coisa muito certa na sua última entrevista. Não adianta apontarmos o dedo e não buscar soluções. O Inter votou a favor do VAR, por exemplo, que seria um suporte importante para a equipe de arbitragem”, completou.

Qual a solução?

Depois da partida contra o Vitória, o Internacional não negou que houve erro do juiz em benefício do time. O pênalti marcado no fim do jogo foi um equívoco pois o jogador da barreira em que a bola bateu no braço estava fora da área.

Ao mesmo tempo, o time gaúcho lembra outros equívocos que o prejudicaram, como contra o Palmeiras, o Santos, ou na mesma partida contra o Vitória em que o gol de Nico López foi anulado por impedimento inexistente de Camilo.

Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, o São Paulo foi o único clube a se abster na votação realizada na reunião que avaliou a utilização do VAR (árbitro de vídeo) em jogos do Brasileiro deste ano. Os representantes do time paulista deixaram o encontro antes do fim. O Inter segue favorável ao sistema.

“Existem vários caminhos. A profissionalização e uso do VAR são pontos que ajudariam muito. Todos somos humanos e estamos sujeitos a erros. No próprio jogo do Vitória tivemos um gol claramente legal anulado. Houve pênalti não marcado a nosso favor contra o América-MG, a expulsão injusta do D’Alessandro nesse mesmo jogo, a penalidade não marcada contra o Paraná, os dois prejuízos no começo da competição contra o Palmeiras, com um pênalti não marcado e um gol mal anulado… Temos que focar em buscar melhorias”, finalizou Caetano.

O Internacional encara o Sport nesta sexta-feira. O jogo será às 19h (de Brasília), na Ilha do Retiro.

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.