Futebol Home São Paulo

Jucilei diz ter aberto mão de dinheiro para ficar no São Paulo

Jucilei foi o protagonista de uma novela com o São Paulo no fim da última temporada. O jogador estava emprestado pelo Shandong Luneng, da China, somente até o dia 31 de dezembro de 2017 e muitos, até o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, já davam a permanência dele como improvável. Porém, a situação mudou, ele renovou acordo por quatro anos e virou titular absoluto do time que enfrenta o Bahia neste domingo, às 16h, em Salvador. Mas, para assinar com o Tricolor paulista, o volante precisou abrir mão de dinheiro e aceitar a redução salarial.

“Tive de abrir mão de alguma coisa, não tinha como o São Paulo pagar o quanto eu recebia lá na China. Mas foi uma vontade minha, juntamente com a minha família. Isso pesou muito, ficar perto dos meus filhos, amigos e pessoas que amo. E o carinho também que o torcedor teve e tem comigo. Eu me identifiquei bastante com o São Paulo, fui muito bem recebido por todos da comissão, diretoria e isso pesou bastante também na minha decisão”, disse Jucilei, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Com a chegada de Diego Aguirre em março deste ano, o São Paulo mudou um pouco o seu estilo de jogo. A equipe passou a atuar, em geral, com três volantes. Mesmo assim, Jucilei não vê o Tricolor paulista como um time defensivo. Motivado, o meio campista acredita que o time do Morumbi tenha condições de embalar no Brasileiro.

“O Aguirre joga com três volantes, sendo eu mais fixo na frente da área, mas ele dá toda a liberdade para o Petros e Liziero chegarem na área do adversário. Nesse jogo agora contra o Rosario Central, por exemplo, o Petros chegou na área. Ele dá o livre arbítrio para você chegar, depende muito de cada um. Às vezes também fica difícil ir de área a área porque o cara cansa. Mas eu não vejo um time retranqueiro. Vejo que ele tem um jeito de jogar, uma formação que ele gosta e o time tem levado poucos gols. Então, tem tudo para dar certo”, afirmou o camisa 8.

Confira os principais trechos da entrevista com Jucilei:

Aguirre

Estou gostando. Eu acho que todos estão gostando. O torcedor é aquilo, vive de vitória. Nós também. Então, todos os treinadores que vierem aqui vão ter aquelas histórias: um joga muito para frente, outro é muito retranqueiro. Na verdade, temos de ganhar títulos e isso vai mudar tudo.

Bahia

Sabemos que o Bahia dentro de casa é um time forte, não começou bem o Brasileiro mas tem sua força dentro de casa. Sabemos que vai ser um jogo difícil, mas precisamos ter uma sequência no campeonato. Estamos vindo de uma classificação e está todo mundo motivado. Neste começo de Brasileiro é bom somar pontos fora de casa e é uma oportunidade boa para fazer três pontos.

Ganhar fora de casa

Tem batido na trave. Contra o Fluminense levamos um gol no finalzinho; contra o Corinthians, no Paulistão, levamos um gol no final também. As coisas estão acontecendo. Melhorou muito o time do São Paulo, é outra cara. Estão faltando essa sequência de vitória, ganhar fora de casa e pensar em algo grande no campeonato.

Nota da redação: São Paulo ainda não venceu fora de casa com Diego Aguirre (são três empates e três derrotas).

Falta de atenção

Não é que o São Paulo sente por jogar fora de casa, é desatenção em certos momentos. Poder ver que foram gols no fim do jogo. Sobre essa falta de atenção a gente tem conversado muito, batido nesta tecla para entrarmos ligado no segundo tempo, para não deixar a peteca cair. A gente tem se alertado muito e acredito que a vitória vai vir no momento certo.

Desabafo após a eliminação na Copa do Brasil

É lógico que fiquei bem chateado pelo fato de estarmos ganhando por 2 a 0, dentro de casa, com o apoio da torcida e levar dois gols do jeito que foi… É difícil, mas passou. Sabemos que o torcedor fica chateado. O torcedor cobra muito o título, mas a gente também sabe do investimento que o São Paulo faz todo o ano. Então, queríamos muito brigar por esse título da Copa do Brasil que o São Paulo não tem. Mas vão ter outras oportunidades, é levantar a cabeça. Vão ter outras duas competições no ano e vamos focar para ganhar essas duas.

Nota da redação: O São Paulo foi eliminado da Copa do Brasil pelo Atlético-PR, no Morumbi. Na ocasião, o jogador falou que era revoltante e inadmissível tal situação.

Broncas e cobrança interna

Cobrança tem de vir de cada um. Todo mundo sabe o que pode render. A cobrança interna é a melhor que tem. Eu falo nas oportunidades e horas certas. Não falo muito, mas observo bastante e procuro mostrar os pontos negativos que o time tem. Eu jogo mais de frente, então eu vejo mais, e procuro orientar no privado. Eu chamo em um canto e falo mais.

Meta

São Paulo em geral disputa quatro competições no ano e, pela camisa, tem de brigar por tudo. É lógico que almejo título e quero ficar aqui até o fim do contrato. Almejo títulos e coisas grandes aqui.

Brasileiro x Sul-Americana

Brasileiro é uma competição em que os primeiros se classificam para a Libertadores, que é o sonho de todo clube, e os quatro últimos são rebaixados. É bem competitivo e diferente do mata-mata. Você tem de fazer cálculos para chegar à Libertadores, para não ser rebaixado… Estamos focados e temos ambição nestes dois campeonatos. Queremos dar essa alegria para o torcedor, que está tanto tempo sem título.

Clássico

Temos a consciência de que temos antes (de enfrentar) o Bahia. E time que quer ser campeão tem de ganhar fora e em casa. Está na hora de somar pontos fora de casa. Dá confiança ganhar fora de casa, o Bahia é forte, tem apoio da torcida. Sabemos que vai ser difícil, mas pode nos dar confiança para um clássico dentro de casa.

Nota da redação: O São Paulo enfrenta o Santos, no dia 20 de maio, no Morumbi.

Expulsões

Essas duas expulsões foram até engraçadas. Do Petros acho que nem pegou o adversário, o Cueva acho que também ficou indignado porque o cara não voltou a bola em um lance anterior [falta de fair play]. Os ânimos se alteram muito, era Brasil contra a Argentina e esses jogos pegam fogo.

Nota da redação: Cueva e Petros foram expulsos no jogo contra o Rosario Central, pela Copa Sul-Americana.

Cueva

Falamos, ele se despediu da galera. Nós desejamos boa sorte e boa Copa.

Nota da redação: Cueva foi liberado pelo São Paulo para acompanhar a esposa grávida no Peru e já se apresentar à seleção de seu país para a Copa do Mundo.

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.