Expulso pela 1ª vez após 4 anos, Rodrigo Caio vai de titular certo a questionamentos

Confira!


Publicado em 14/04/2018 19:41
Autor: Tabelando
Fonte: ESPN

Expulso pela 1ª vez após 4 anos, Rodrigo Caio vai de titular certo a questionamentos Foto: Google

Justamente na temporada em que vive a expectativa de jogar a Copa do Mundo pela seleção, Rodrigo Caio, 24, enfrenta questionamentos pelo São Paulo. Na noite da última quinta-feira, quando o time empatou sem gols com o Rosario Central, da Argentina, o zagueiro foi expulso aos 35 minutos da etapa inicial. Foi a primeira expulsão dele em praticamente quatro anos.

 

A última vez que isso ocorreu foi em 23 de abril de 2014, ou seja, também pouco antes de uma Copa do Mundo. Mas naquele ano Rodrigo Caio não vinha sendo chamado nem tinha chance de estar entre os 23 convocados. E a expulsão foi merecida. Ele tentou acertar o meia Diego Rosa, do CRB, com um carrinho perigoso. Já tinha cartão amarelo, recebeu o segundo e deixou o campo.

Desta vez a expulsão contra o Rosario Central pode ser contestada.

Ao subir para dividir a bola com Marco Rubén, acabou atingindo o rosto do rival com o braço esquerdo. O jogo foi parado para o atacante do Rosario receber atendimento, mas o brasileiro poderia ter sido punido com um cartão amarelo no máximo.

Foi a primeira vez como profissional que Rodrigo Caio recebeu o cartão vermelho de forma direta. Antes, nas quatro expulsões que ostentava em uma carreira iniciada em 2010, sempre fora excluído das partidas por soma de cartões.

"Eu nem abri os braços, subi mais do que ele, escorei para o Arboleda, e na hora que caí, acho que meu braço pegou no rosto dele. Só vi que estava sangrando quando ele [Rubén] estava no chão. O juiz viu o sangue e me deu vermelho. Ano passado, contra o Strongest, na Bolívia, o cara rasgou minha testa, foi a mesma coisa, e não aconteceu nada. Foi um erro grosseiro que prejudicou a equipe. Conseguimos um empate válido pela situação", disse Rodrigo Caio, ainda na Argentina, para o SporTV.

A atual expulsão ocorre em um momento em que o defensor divide a opinião de torcedores como nunca.

Algo inimaginável para alguém que está há oito temporada no São Paulo, o que o torna o mais longevo do elenco e dono de um feito que nem Raí (diretor de futebol) ostenta. Entre os jogadores de linha, apenas Nelsinho ficou mais tempo seguido do que ele (12 anos).

Mas os primeiros quatro meses de 2018 foram de altos e baixos para o defensor. O momento mais positivo foi ser convocado por Tite, em 12 de março, para os amistosos contra a Rússia e Alemanha, ambos parte da preparação da seleção para a Copa do Mundo.

Rodrigo Caio não teve o gostinho de jogar. Participou apenas dos treinamentos e diante da Rússia ficou fora até do banco de reservas.

Já as apresentações pelo São Paulo estavam deixando a desejar. A defesa tricolor teve atuações contestáveis no início do ano e a pior apresentação ocorreu no clássico contra o Palmeiras, na derrota por 2 a 0 dentro do Allianz Parque.

O setor defensivo começou a melhorar após a chegada do técnico Diego Aguirre, substituindo Dorival Júnior. Mas ele pode contar com Rodrigo Caio apenas quando estreou - na derrota para o São Caetano por 1 a 0 no primeiro jogo das quartas de final do Paulista.

Depois o treinador formou a defesa com Arboleda e Bruno Alves. E o setor foi muito elogiado no confronto de volta contra a equipe do ABC e nas duas partidas da semifinal contra o Corinthians. Transmitiu segurança e caiu nas graças do público.

Rodrigo Caio voltou ao time contra o Atlético-PR pela quarta fase da Copa do Brasil e acabou falhando no primeiro gol do time curitibano. Depois enfrentou o Rosario Central e, até ser expulso, cometeu dois erros na defesa que quase resultaram em gol do rival.

Questionado por muitos torcedores, o defensor ainda goza de prestígio com o treinador. O uruguaio adotou uma formação com três zagueiros no segundo tempo do duelo contra o Atlético-PR e iniciou assim diante do Rosario Central. E Aguirre vê em Rodrigo Caio um jogador com capacidade para ajudar a defesa e ter sucesso desta forma. Por isso não teve a moral abalada.

Na próxima segunda-feira, quando o time encarar o Paraná, na estreia do Campeonato Brasileiro, no Morumbi, Rodrigo Caio terá mais uma chance para mostrar que foram apenas maus momentos. Afinal, a paciência da torcida diminuiu a cada vacilo e a Copa do Mundo está ficando cada vez mais próxima...


Leia mais

Comentários